sexta-feira, 28 de Novembro de 2014

DIY: 3 Sugestões para Reutilizar e Reaproveitar


Aqui por casa guardam-se muitas coisas com a ideia de mais tarde as reutilizar ou reaproveitar. É o caso dos mil frasquinhos de vidro para as compotas e Chutneys e outros mimos, das caixas para aproveitar para os cabazes ou para colocar bolachinhas para oferecer, as fitinhas para fechar caixas e saquinhos… 
Entretanto outra coisa que costumamos guardar aqui por casa são as rolhas de cortiça das garrafas de vinho. Primeiro porque sim, porque dentro de frascos de vidro grandes ou jarras transparente fazem um efeito decorativo que eu gosto, e depois porque penso sempre em mil projectos que poderia fazer com elas.
Este ano passei também a guardar os baldes de 1kg de iogurte grego, porque achei que dariam uma bela embalagem para os cabazes de natal, depois de forradas com papel natalício, fitinhas e etiquetas.
E os frasquinhos têm sempre mil utilizações, mas será que há necessidade de guardar os que não têm tampa? Servem para quê.
Bem. Eu guardo e aproveito imensas coisas. E hoje decidi partilhar com vocês 3 pequenos projectos de DIY, daqueles que se fazem em pouco tempo e que não necessitam de nenhum tipo de material complicado.



Projeto DIY 1 - Coração de Cortiça

cartão grosso
cerca de 70 rolhas de cortiça
cola tudo
fita

Comece por desenhar no cartão um coração. Com uma tesoura recorte o coração. Coloque na base de cada um das rolhas (que convém serem todas do mesmo tamanho) um pouco de cola e comece a preencher todo o cartão. No final deve ter o coartão todo preenchido de rolhas. Coloque um livro ou uma coisa pesada em cima das rolhas para que fiquem bem colocadas. 
Finalmente decore com a fitinha. Poderá pendurar ou utilizar como uma base para levar tachos quentes à mesa.



Projeto DIY 2 - Copo para velas tea-lights

1 boião de vidro pequeno
fita de tecido
naperon de papel rendilhado

Dobre o naperon de papel a gosto de modo a formar uma espécie de tira e onde a parte rendilhada seja visível. Enrole depois a tira de papel à volta do boião de vidro e prenda cuidadosamente com a fitinha de tecido, dando um pequeno laço ou nó.
Coloque dentro do boião uma vela tea-light e use para decorar a mesa, a lareira, ou um móvel de entrada.

Projeto DIY 3 - Recipiente de Oferta 

1 balde com tampa de 1 kg de iogurte
papel de embrulho
fita-cola
cola

Tire as medidas ao balde de iogurte e à tampa e corte o papel de embrulho à medida para forrar os mesmos.
Prenda o papel À volta do balde com um pouco de fita cola, e na tampa opte com colar com um pouco de cola.

Poderá depois encher o balde com bolachinhas, chocolates, bombons, trufas ou até pequenos frascos de compota. Decore com umas fitinhas e coloque uma etiqueta antes de oferecer.

quarta-feira, 26 de Novembro de 2014

Receitas, Ideias e Sugestões para receber a Família durante o Natal



Na altura do natal muitas são as famílias que, separadas fisicamente ao longo da maior parte do ano, aproveitam este período, juntamente com as férias dos mais pequenos para uns dias verdadeiramente em família. E já se sabe que muita gente junta gera almoços e jantares demorados, louça com fatura para lavar e muito planeamento e organização para não “ficarmos malucos”. Porque por um dia ainda se aguenta bem, mas ao fim de 2 ou 3, se as coisas não estiverem bem planeadas o mais normal é acabarmos os dias a pensar que nunca mais nos metemos noutra.
A pensar nisso, há uns dias atrás, recebi um mail de uma simpática leitora que dizia o seguinte:
“… Este ano calhou-me a mim fazer a ementa para os vários dias  e é aí que preciso de ajuda, para vários dias a minha imaginação esgota-se. Somos sempre no mínimo 12 pessoas ás refeições, será portanto de privilegiar pratos que rendam; julgo que haverá muitas mais famílias nesta situação, poderia por favor fazer um post sobre este assunto? Tenho a certeza que seria muito bem recebido por muitas seguidoras.”
Eu não podia ter concordado mais. Segue então algumas receitas ideais para uma “multidão”, que rendem e são práticas de preparar, podendo mesmo, em alguns casos, ser preparadas com antecedência e congeladas, bastando para isso apenas deixar descongelar e aquecer ou colocar no forno uns minutos antes de todos irem para a mesa.

Algumas receitas perfeitas para cozinhar para uma família grande: (económicas e rápidas também!)













Outras sugestões:
  • Faça dois ou três bolos simples, tipo bolo de iogurte ou de chocolate, sem coberturas ou recheios. São perfeitos para lanches e para colocar na mesa ao pequeno almoço. Poderá fazê-los com antecedência, congelar e ir depois tirando à medida das necessidades. E quem diz bolos diz muffins ou queques e, se faz o seu próprio pão também poderá fazer o mesmo.

  • Prepare com antecedência o puré para sopa. Basta depois descongelar, deixar ferver novamente  (para que volte a ficar homogénea) e juntar os verdes que quiser. Com sopa e mais qualquer coisa tem sempre uma refeição pronta a servir.

  • Anote todas as refeições que vai fazer em família, todas as receitas e todos os ingredientes que necessita. Acrescente à sua lista aquelas coisas que não costuma comprar mas que quer ter em casa para receber a sua família (sumos por exemplo) e organize-se para ir às compras com tempo.

  • Adiante com antecedência tudo o que puder. Se vai fazer uma lasanha, prepare-a e congele-a. Se vai fazer umas migas, tenha já a broa migada assim como as couves. Tudo o que puder sem feito antes de receber as pessoas deverá estar pronto. Só assim conseguirá disfrutar ao máximo os seus familiares, sem estarem todos na cozinha, cada um a puxar para o seu lado. 

  • Se os seus familiares querem ajudar, porque não porem a mesa, trazerem o vinho, irem ao pão, ou prepararem uma sobremesa para uma das refeições em família.

  • Não se esqueça de ter um pequeno miminho em cada quarto. Umas flores frescas - ou uma “estrela de natal”, uma garrafa de água com um copo, uma vela de cheiro… pequenos gestos que os façam sentir desejados e bem vindos.


segunda-feira, 24 de Novembro de 2014

30 dias para o Natal - Pesto de Tomate Seco para oferecer


Se ainda havia quem não estivesse em contagem decrescente, esta é a altura para isso. Faltam 30 dias para o Natal. 
Espero que quem segue esta aventura de fazer cabazes de natal já tenha tudo a postos. Saquinhos, fitinhas, caixinhas, cestos, frascos, papel seda, enfeites, papel de natal….. E que já tenha alguma ideia do que pretende colocar nos seus cabazes.
Depois dos Pickles de Rabanetes e do Licor de Chocolate, hoje a sugestão também é salgada: um pesto de tomate seco, que podem e devem acompanhar com um cartãozinho com receita para que quem recebe este mimo saiba o que fazer com ele (podem usar esta receita aqui http://paracozinhar.blogspot.pt/search?q=pesto+de+tomate+seco ou sugerir que seja usado como dip ou paté, barrado em bruchetas ou crostinis  e a acompanhar carnes frias, azeitonas, queijo mozarella e manjericão)
De resto precisam de poucos ingredientes: amêndoas (ou nozes), tomate seco em conserva de óleo ou azeite, sal e pimenta e de pouco tempo para o preparar.
E se quiserem podem preparar o pesto já. Mas devem guardar no frigorífico até à altura de oferecer. Aguenta cerca de 3 meses no frio.

Ingredientes para 1 frasco pequeno

75g de amêndoas ou nozes
10 tomates secos em conserva de azeite ou óleo
sal e pimenta q.b.
80ml de azeite

Preparação:

No copo da varinha mágica coloque as amêndoas ou nozes, o tomate seco e o azeite. Tempere com sal e pimenta e triture tudo até obter uma pasta. Se achar que o “pesto” está muito seco, junte mais azeite até ficar a seu gosto.
Coloque o pesto num frasco previamente esterilizado e guarde no frio até oferecer.
(E não se esqueça de decorar o frasco a gosto, com uma etiqueta identificativa e de juntar um pequeno cartão com uma receita de utilização para que, quem receba o pesto, saiba como o deve utilizar!)


Até ao Natal, todas as semanas haverá por aqui uma receita que poderá acrescentar aos seus cabazes. Para a semana será doce. Muito doce.

quarta-feira, 19 de Novembro de 2014

Snacks para Levar


Levar o lanche ou snack na carteira de cada vez que saio é um hábito que tem quase tantos anos quanto eu. Sempre fui habituada assim desde miúda, e sempre mas sempre levei o lanche para a escola. Lembro-me do pão dentro dos sacos de pano - que também serviam para guardar os guardanapos. As vezes levava também fruta e havia leite na escola, distribuído ao intervalo (não sei se ainda há). Depois crescemos e passamos pela fase da parvoeira em que não é fixe levar o lanche na mochila e queremos ir ao bar. Os meus pais não iam muito nisso, e se queria comer no bar esse dinheiro teria que sair da semana. Era obviamente um luxo para de vez em quando…. 

A variedade de lanches que podemos “levar” são muitas. Ou de compra ou feito em casa. Barrinhas de cereais, bolachas, iogurtes, um pão, um wrap, uma peça de fruta, uma fatia de bolo, queques doces ou salgados… são muitas as opções que podemos preparar ao fim de semana e ter sempre disponíveis para colocar na lancheira - ou na carteira, durante a semana.
No entanto há coisas mais difíceis de comer em modo “snack” fora de casa. Um dos meus lanches favoritos é iogurte natural com granola caseira e um pouco de banana às rodelas ou frutos vermelhos. E não gosto de comer a granola empapada. E como tornar este lanche mais caseiro em algo que se possa comer no trabalho, ou que se possa levar para qualquer lado?
Apesar de não ser o lanche mais simples de “levar”, é possível.
Um frasquinho com a dose de granola. Um iogurte natural. A fruta que se quer juntar. Para comer basta abrir o frasco da granola e colocar o iogurte lá dentro, assim como a fruta escolhida em pedaços e misturar tudo dentro do frasco que deve ter tamanho suficiente para albergar tudo. E comer à colherada. Não, continua a não ser o lanche mais simples de levar. Mas é outra sugestão. 
E espero que agrade à querida leitora que me fez este pedido e a outros que possam ter o mesmo dilema. Eu confesso que já testei para comer fora de casa. E é possível!

No entanto deixo aqui alguns links de receitas perfeitas para snacks que se pode fazer durante o fim de semana e que é só colocar no saco e ir.










segunda-feira, 17 de Novembro de 2014

37 dias para o Natal - Licor de Chocolate para Oferecer


A pouco mais de um mês para o Natal, os preparativos começam a aquecer aqui por casa. Já há fitas, receitas todas escolhidas, e caixas cheias de coisas para utilizar. Já descobri e editei as etiquetas lindas que quero usar este ano, e aos poucos vejo os cabazes a ganharem forma na minha cabeça.
Entretanto os mails com pedidos de ajuda e dúvidas acerca dos cabazes não param de surgir e apesar dos meus esforços de compilar tudo direitinho aqui no blogue há quem não consiga encontrar as respostas que procura ou que tenha ainda outras dúvidas. Tudo o que necessitarem terei todo o gosto de vos responder.
E todos me continuam a pedir sugestões. Depois dos pickles de rabanetes, que agradaram mais a uns do que a outros, a sugestão que vos trago hoje é de um delicioso licor de chocolate.
As meninas que foram ao workshop de Coimbra tiveram direito à receita em primeira mão, e também a decidi publicar por aqui, bem como prepará-la para os meus cabazes de Natal.
Fiz com chocolate negro, mas creio que também deve ficar bem com chocolate branco - ainda não experimentei, mas vou também fazer essa versão.
Podem fazer desde já o licor que este aguenta imenso tempo e não necessita de ser guardado no frigorífico.
Espero que gostem desta sugestão e que seja uma nova ideia para os vossos cabazes de Natal.

Ingredientes para cerca de 3 garrafinhas de 200ml:

200g de chocolate negro
150g de açúcar
200ml de água
1 lata de leite condensado
300ml de Whisky (ou Rum ou Brandy)

Preparação:

Coloque a água e o açúcar num tacho e leve ao lume até dissolver bem, deixando levantar fervura. Acrescente depois o chocolate partido em pedaços deixando-o responsar e derreter.
Misture depois o leite condensado com a mistura de chocolate batendo com a ajuda da varinha mágica e junte, por fim o whisky até que tudo fique bem incorporado.
Coloque em garrafinhas previamente esterilizadas, decore-as a gosto e ofereça.
Antes de servir agite bem a garrafa.

E deixo no ar a pergunta. Que outro tipo de sugestões para os cabazes gostariam de ver publicadas?


segunda-feira, 10 de Novembro de 2014

44 dias para o Natal- Pickles Caseiros para Oferecer


Assusto-me de cada vez que vejo esta contagem decrescente até ao Natal. Penso que se calhar não vou ter tempo para tudo, mas pelo menos já  defini tudo aquilo que quero preparar para os meus cabazes. Este ano quero fazer algumas coisas diferentes.
Apesar de as compotas e a marmelada já serem um clássico por aqui, e estarem já prontas para os cabazes, e de dificilmente poderem faltar umas bolachinhas, quero “inovar” um bocadinho nas restantes coisas.
E hoje, a 44 dias do Natal sai a minha primeira sugestão para este ano. Comprometida pelos excessos da minha horta, e pela quantidade de rabanetes que tive, mas que podem adaptar a outro legume ou mistura de legumes, como cenoura, cebolinhas, pimento ou pepinos, que tal preparar uns pickles caseiros?
São ideais para acompanhar charcutaria numa entrada, carnes assadas, colocar nas sandes e até para misturar em saladas, para lhe dar o toque avinagrado.
Por aqui já se começa. E por ai?

Pickles de Rabanetes:

1 kg de rabanetes bem lavados e cortados em rodelas finas
1 colher de sobremesa de sal
1 colher de chá de açúcar
1 colher de sobremesa de tomilho seco
1 colher de sobremesa de sementes de mostarda
1 colher de chá de pimenta preta em grão
250ml de vinagre de vinho branco
500ml de água

Preparação:

Encha bem cerca de 4 frascos previamente esterilizados com as rodelas de rabanetes.
Numa taça misture a água com o vinagre, o açúcar, o sal, o tomilho, as sementes de mostarda e a pimenta. 
Verta este preparado sobre  os rabanetes até encher os frascos. Feche bem e deixe a “curar” durante pelo menos 2 semanas antes de usar.



sexta-feira, 7 de Novembro de 2014

O Natal está a Chegar!


Esta semana ouvi pela primeira vez uma música de natal na rádio.
Esta semana fui a uma loja comprar coisas de natal para preprar os meus cabazes - e os workshops -  e ouvi o meu querido Michael Bublé a cantar as minhas músicas de natal.
Mesmo que não queira, acho que estou a entrar no espírito, este ano, por força das circunstâncias, um pouco mais rápido que o habitual.
Cá a casa já chegou um presente para o Zé Maria, da madrinha, com a indicação que deve ser aberto dia 1 de Dezembro.
Na minha mesa da sala há bolas de natal, uns guizos maravilhosos para a árvore, o ornamento deste ano para o Zé Maria colocará na árvore e os saquinhos de celofane para os cabazes que já fui comprar ontem.
Na cozinha vou acomodando os frascos de compota, as marmeladas e geleias e os pickles de rabanetes.
Tenho uma caixa cheia de coisas de natal arrumada a um canto da cozinha e umas quantas folhas cheias de ideias e receitas e sugestões de coisas para os cabazes.
No meu quarto há já umas quantas coisas para serem embrulhadas a seu tempo e colocadas debaixo da árvore. 
Eu sei que ainda falta. A arvore de natal e o presépio nunca são feitos antes de dia 1 de Dezembro, e é também nessa altura que o Michael Bublé começa a cantar aqui por casa, a ponto de levar o meu “Michael” quase à loucura de tanto o ouvir.
Mas até dia 1 de Dezembro, todos os presentes que há para comprar estarão comprados para depois, e só depois poder viver em pleno esta época que tanto gosto longe de shoppings apinhados, de compras de natal desprovidas de sentido e vontade e quase feitas por obrigação.
Depois de dia 1, quando a maioria começa a correr as lojas todos os fins de semana, cá em casa há toalha de natal na mesa, fita cola, açúcar, farinha e muitos mimos pensados e preparados com muito amor e carinho para oferecer aos meus amigos e familiares.
Tenho pena que haja quem não encare assim o Natal. Que torça a cara a presentes feitos em casa - os meus favoritos - e que ache que o Natal é o 24 e 25 de Dezembro, e quem nem vale a pena fazer árvore e presépio e isto é tudo um consumismo.
Respeito obviamente a opinião de todos. Mas o Natal é a época do ano que mais gosto e que sempre anseio como se ainda fosse criança. Não pelas presentes. Mas pelas pessoas, pelo cheiro, pelos doces, pela família, pela consoada, pelas músicas, pelo ar das pessoas verdadeiramente felizes, pela ânsia das crianças, pelo presépio e o cheiro a musgo, pelas luzes da árvore de natal, pela lareira acesa, pelo chocolate quente bebido na manhã de natal.
Já falta pouco para o Natal. Já falta pouco para o dia 1 de Dezembro.

Digam-me lá, partilham comigo este gosto pelo Natal? Ou são daqueles que não gostam desta época do ano? Porque?