quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Sugestão de Presentes Dentro de um Orçamento


Eu gosto de orçamentos. E, pessoalmente, acho que não há nada mais importante do que estabelecermos valores que “cabem” dentro das nossas despesas.
No natal, e para os presentes ou lembranças que se ofereçam isso ainda faz mais sentido. Por dois motivos: primeiro porque o nosso dinheiro não é ilimitado e temos de criar uma fronteira que nos diga até onde podemos ir, e procurar algo dentro desse limite. Por outro lado é fundamental estabelecermos um orçamento com a família, de um valor a gastar por presente. Não faz sentido darmos um presente de 10€ e em troca recebermos um de 50€. Ou vice versa.
Sou portanto apologista de, em famílias que trocam presentes entre si - mesmo que sejam só irmãos, cunhados e sobrinhos - de se estabelecer o valor que cada presente deve ter. 
Quase mais importante do que estabelecer o valor a gastar, é também perguntar o que se necessita. E sim, essa é outra regra que há por aqui. O que querem? O que estão a precisar?  São sempre as perguntas essenciais antes de se começarem a comprar os presentes.
Assim o nosso dinheiro é gasto em algo útil, necessário e com valor acrescido.
Não há nada pior do que os presentes que ninguém quer e que acabam no fundo da gaveta ou dentro do armário sem nunca terem tido utilidade.
Para alguns isto poderá parecer um exercício muito complicado, para outros mais simples.
No entanto, e sem um orçamento pré-definido  ou uma lista de presentes a pedido, deixo-vos algumas sugestões que, de uma maneira ou de outra costumam fazer parte das minhas listas de presentes - e que conseguem encontrar numa variada gama de preços.


1 - Livros
Os livros são dos meus presentes favoritos de oferecer e receber. Normalmente é o meu presente de eleição para os miúdos. Também recorro a eles quando sei que aquela pessoa quer exatamente aquele livro - e o valor dele está dentro do orçamento!

2 - Cabaz “Gourmet”
Nem todos os cabazes têm de ser feitos por nós. Basta ir ao um supermercado e fazer um pequeno cabaz para oferecer. Tem um amigo que gosta muito de queijo? Ofereça-lhe uma tábua de queijos, seleccionados por si, para que ele os possa saborear no natal. Ou então faça um cabaz apenas de algumas variedades de chocolates. Ou um cabaz de chá, bolachinhas e compotas. É fácil, útil - se comprar algo que sabe agradar a quem recebe - e consegue fazer que “caiba” o seu orçamento.

3 - Artigos para a Casa
Pode parecer uma prenda disparatada, mas se prefere oferecer um presente para um casal amigo - ou até de família, nada melhor se necessitam de algo para a casa ou para os dois. Posso dar-vos como exemplo que já pedi e recebi coisas como frigideiras (porque as minhas anteriores estavam mesmo a necessitar de reforma), uma mala de viagem, um grelhador/chapa de fogão.
Se é algo que estamos a necessitar e temos mesmo que comprar a mim parece-me uma excelente prenda de natal. 

4 - Roupa/perfumes/bijuteria
Uma coisa é comprar uma peça de roupa para dar (e quem diz roupa, diz uma carteira, um colar,…) apenas porque sim outra coisa é porque sabemos que aquela pessoa queria mesmo um casaco vermelho assim, ou aquele colar específico que adorou, ou está mesmo a precisar de um perfume. Desde que esteja ao alcance do nosso orçamento, oferecer algo que sabemos que alguém está desejoso de ter é sempre uma excelente forma de agradar. Fora isso  - e isto é uma questão meramente pessoal - não gosto de oferecer este género de coisas!

5 - Vales
Sejam vales de lojas de roupa, de livrarias, multimédia, lojas de cosmética, para fotografias… os vales são uma opção segura. É fácil de estabelecer o orçamento, e sabemos que quando o forem gastar, gastam em algo que realmente querem. Se é uma prenda pouco pessoal? Até pode ser. Mas há maneira de poder tornar os vales personificáveis, e depois há maneira bonitas de os oferecer. Por exemplo: um vale de maquilhagem dentro de uma bolinha de maquilhagem vazia com a frase: “Agora escolhe a teu gosto”. Uma revista ou livro usado com um vale lá dentro a dizer “O que vais ler a seguir?”. Uma T-shirt velha e um vale de uma loja de roupa a dizer “Vai lá comprar um trapinho novo para vestir”

6 - “Ficam sempre bem” (e ajustam-se a todos os orçamentos, membros da família e amigos)
Molduras com fotos da família
Chinelos ou Pantufas
Meias (de preferência meias de dormir para quem usa)
Mantas polares
Velas perfumadas para a casa
Conjuntos gel de duche/hidratante
Garrafas de vinho

Presépios

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

16 dias do Natal: Molho de Caramelo Salgado para oferecer


Oh meu Deus! Estamos quase a chegar ao Natal!
Eu gostava de ter os meus cabazes meios prontos mas, no meio de tantos afazeres, ainda nem imprimi ou recortei as minhas etiquetas, não comecei a decorar os frascos que já estão prontos, nem sequer a colocar as coisas nos cabazes.
No entanto da cozinha vão saindo receitas para os encher e por aqui vão aparecendo algumas sugestões para vos ajudar a variar um pouco das receitas mais habituais de bolachas e compotas, sal e azeite aromatizados e misturas de tudo e mais alguma coisa.
Também eu tenho imensa vontade de inovar nos meus cabazes deste ano, e de continuar a surpreender quem os vai recebendo.
Além dos cabazes, por aqui já há decorações, árvore, luzes e presépio. Estão todos os presentes embrulhados e já colocados debaixo da árvore, as louças para usar no natal escolhidas, as receitas seleccionadas e a lista de ingredientes feita. 
Parece-me mesmo que só me falta dedicar-me de corpo e alma aos meus adorados cabazes. 
Esta semana deixo-vos então uma das minhas sugestões favoritas deste ano, um molho de caramelo salgado, do qual em sou completamente viciada, e que é perfeito para comer com gelado de nata ou baunilha, em crepes ou panquecas ou para rechear bolos e tartes. Oferecam-no juntamente com um cartãozinho com sugestões de utilização!
Para a semana trago uma sugestão de bolachinhas que, apesar de ser sempre uma sugestão convencional, nunca é demais! 



Ingredientes para 2 frascos pequenos:

200g de açúcar
200ml de natas
2 colheres de sopa de manteiga
flor de sal q.b.

Preparação:

Num tacho pequeno, ou numa frigideira leve o açúcar ao lume. Sem mexer, apenas agitando a frigideira ou tacho, deixei açúcar formar o caramelo de tom escuro, mas sem deixar queimar para não ficar amargo. Cuidadosamente acrescente as natas - cuidado para não se queimar - e deixe o açúcar caramelizado voltar a derreter e incorporar nas natas. Quando o molho estiver formado, retire do lume e acrescente a manteiga. Acrescente depois a flor de sal a gosto. (É difícil quantificar a quantidade. Só mesmo o vosso palato poderá dar um equilibrio correto, mas cerca de 1 colher de chá rasa?) Mexa bem para dissolver o sal e coloque nos frasquinhos fechando-os de seguida. (O molho engrossa à medida que arrefece).


Decore os frasquinhos a gosto e oferça com um pequeno cartão com sugestões de utilização, como por exemplo servir com gelado de nata ou baunilha, com panquecas e crepes, para rechear bolos e bolachas….

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Arca Congeladora: Uma aliada!


Acho que não sabia viver sem a minha arca congeladora. Congelo quase tudo e assim, tenho quase tudo sempre à mão. No entanto algumas pessoas ainda acham que a arca congeladora altera o sabor dos alimentos e não gostam de congelar refeições prontas a comer, sopa, pão. legumes ou queijos.
A ver se vos consigo fazer mudar de opinião, ou pelo menos perceberem que uma rada congeladora, utilizada de forma racional e organizada, pode ser uma excelente aliada nas vidas mais atarefadas.

A sopa: Há quem diga que a sopa congelada não fica igual. Por aqui nunca notei diferença e sempre congelei sopa. Ou para o Zé Maria ou para nós, principalmente em altura de féria ou de sair de casa durante uns dias sem saber quando chego. Nada melhor do que saber que há, pelo menos, sopa pronta no congelador.
Não fica boa depois de descongelada? Nunca tive nenhum tipo de problema. O truque voltar sempre a ferver a sopa que é congelada, para que se “reconstitua” novamente e não fique “polpa” para um lado e água para o outro.

Os legumes: O tomate maduro de verão congelo inteiro e cru. Coloco depois debaixo da torneira da água quente e a pele sai de imediato e uso-o assim mesmo, ainda meio congelado para estufados e guisados. O pimento congelo-o cortado em tiras, em cru e depois é só juntar à panela.
Os legumes verdes - feijão verde, brócolos, espinafres, couve para caldo verde… - branqueio-os uns segundos antes de passar por água fria e congelar. E cozinho-os depois ao vapor ou em água a ferver sem necessitar de os congelar. E por vezes ainda congelo saquinhos de legumes prontos a usar para sopas. Basta colocar na panela e juntar água. Congelar abóbora aos pedaços, ou courgete. Para quem tem horta ou abundância e não os consegue gastar todos em tempo útil, é uma excelente forma de aproveitar a época de maior abundância e assim ter legumes à mão todo o ano - ou pelo menos enquanto durar o stock.

As frutas: saquinhos com pedaços de pêssego, morangos e até bananas. Framboesas ou Mirtilos. Pedaços de ananás ou manga. Descascados e cortados em pedaços - as bananas até inteiras e com casca. Perfeitas para gelados rápidos, sumos naturais, coulis de fruta e até compotas. Nada se estraga.

Os queijos: Por aqui também se congelam queijos. Depois basta descongelar e usar como habitualmente. Também valido pra requeijões que, mesmo depois noa ficando bons para comer em cru, ficam perfeita para usar em bolos ou outras preparações gastronómicas. E o queijo da serra que não conseguimos comer todos de uma vez? Congelo em quartos e vou tirando de acordo com as necessidades. (Aproveito muitas vezes para comprar queijos em aproximação de prazo de validade que depois descongelar e vou usando quando necessito!)

As massas: Sabiam que também podem congelar massas frescas? A vossa própria massa de pizza, quebrada, areada. E mesmo as frescas de compra. E depois? Depois é deixar descongelar e usar normalmente.

O pão: Cá em casa há sempre pão. De compra ou caseiro, do grande cortado em fatias. Ao pequeno almoço ou em qualquer outra ocasião, basta colocar uma fatia na torradeira e aí estão o pão pronto a comer. 
Também faço uma fornada de pão caseiro de hamburguer e congelo, usando-o depois à medida das necessidades. Também costumo congelar broa em pedaços para fazer, se assim me apetecer, migas ou até bacalhau com broa.

Os bolos: Fazer bolos simples e congelar inteiros. Ou em fatias que se vão comendo ao sabor dos dias. Ou congelar muffins e queques individualmente que se vão colocando depois nas lancheiras. 
Adiantar trabalho em festas e outras ocasiões e fazer alguns bolos e deixa-los depois congelados.

As refeições caseiras: Congelar quiches, lasanhas, empadão, rolo de carne, feijoadas, bolas, massa de bolachas. Congelar arroz de pato e pratos de bacalhau de gratinar. Congelar pãozão recheado, folhados e empadas. Bem acondicionados e fechados em película aderente e depois papel de alumínio.

As sobras: congelar as sobras de arroz, que fica perfeito depois de descongelado. Ou congelar o resto da carne assada ou do frango. Fazer uma refeição - como por exemplo uma feijoada de camarão - e congelar as sobras para um dia em que até almoço sozinha. Congelar bocadinhos de peixe que depois se juntam todos e acabam em sonhos ou pataniscas. Congelar o resto do conteúdo da lata do leite de coco. Ou do milho, ou até dos cogumelos que sobram. De preferência acondicionar tudo em caixas plásticas herméticas próprias para congelação.

Fazer para congelar:  Hamburguers, almôndegas, pizzas caseiras, rissois ou croquetes. Tudo caseiro, tudo feito por nós num dia de disponibilidade e vontade. Congelar feijão cozido, ou grão.E depois ter uma refeição pronta num instante , ou tudo preparada para uma festa ou celebração em menos de nada. Congele em caixas plásticas ou saquinhos próprios.

Enchidos: Morcelas, alheiras, chouriços, farinheiras. Então se forem caseiras ainda melhor. Congelar bem embrulhadas em papel de alumínio e depois colocar em saquinhos próprios.

As outras coisas: Congelar malaguetas. Coentros ou salsa picados guardados em azeite. Congelar o gengibre que não se usa todo. Congelar claras que se usam depois como habitualmente, depois de descongeladas à temperatura ambiente.  Congelar doce de ovos pronto a usar ou até coulis de framboesas. Em saquinhos ou caixinhas  próprias para congelação.

Uma única nota: acondicionar bem e não guardar infinitamente no congelador.

Já vos convenci de que a arca congeladora é uma aliada? 

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

23 dias do Natal: Trufas de Bolacha com Chocolate e Laranja


Chegamos finalmente ao mês do Natal. E assim de repente já só faltam 23 dias. A partir de agora o tempo passa a voar e é mesmo preciso acelerar as coisas.
Por aqui as prendas que havia para comprar já estão compradas. A árvore e as decorações estão à espera do dia de hoje para serem colocadas, assim como o presépio.
Ainda não embrulhei nenhum dos meus presentes, e os cabazes estão mesmo muito atrasados. 
Mas vamos respirar fundo. Colocar uma musiquinha de natal (Bublé para mim s.f.f.!) e começar a viver em pleno o melhor mÊs no ano.
E hoje deixo-vos mais uma sugestão para os vossos cabazes de Natal. Uma trufas deliciosas, que já pode ir fazendo e que podem “inventar” os sabores que quiserem. As minhas são de laranja e chocolate. E tentem não as comer todas antes de oferecer.



Ingredientes para cerca de 25 trufas:

300g de bolachas com sabor a laranja e cobertas de chocolate
300g de chocolate de culinária
100ml de natas
1 laranja

Preparação:

Triture a bolacha até ficarem bem finas. Reserve.
Leve ao lume um tacho com as natas e deixe aquecer bem. Acrescente 100g de chocolate e deixe derreter juntamente com as natas. Misture a bolacha triturada nesta mistura , envolvendo bem, e leve ao frigorífico até arrefecer.
Assim que a mistura estiver fria e presa, molde bolinhas do tamanho de nozes e volte a colocar no frigorífico alguns minutos para que fiquem bem rijas e firmes.
Entretanto derreta o restante chocolate no micrrondas, durante cerca de 1,30 minutos, mexendo o chocolate a cada 30 segundos. Assim que o chocolate estiver derretido coloque-o sobre uma outra taça que deve conter água bem quente, isto para que o chocolate permaneça quente e mais fácil de trabalhar.
Coloque, uma a uma, cada uma das trufas no chocolate derretido, envolvendo e com a ajuda de um garfo retire e coloque sobre papel vegetal. Repita até cobrir todas as trufas. 
Ainda antes do chocolate solidificar polvilhe as trufas com a raspa de laranja.
Deixe solidificar bem fora do frigorífico.

Embale em saquinhos de celofane ou caixinhas, decore a gosto e ofereça.

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

DIY: 3 Sugestões para Reutilizar e Reaproveitar


Aqui por casa guardam-se muitas coisas com a ideia de mais tarde as reutilizar ou reaproveitar. É o caso dos mil frasquinhos de vidro para as compotas e Chutneys e outros mimos, das caixas para aproveitar para os cabazes ou para colocar bolachinhas para oferecer, as fitinhas para fechar caixas e saquinhos… 
Entretanto outra coisa que costumamos guardar aqui por casa são as rolhas de cortiça das garrafas de vinho. Primeiro porque sim, porque dentro de frascos de vidro grandes ou jarras transparente fazem um efeito decorativo que eu gosto, e depois porque penso sempre em mil projectos que poderia fazer com elas.
Este ano passei também a guardar os baldes de 1kg de iogurte grego, porque achei que dariam uma bela embalagem para os cabazes de natal, depois de forradas com papel natalício, fitinhas e etiquetas.
E os frasquinhos têm sempre mil utilizações, mas será que há necessidade de guardar os que não têm tampa? Servem para quê.
Bem. Eu guardo e aproveito imensas coisas. E hoje decidi partilhar com vocês 3 pequenos projectos de DIY, daqueles que se fazem em pouco tempo e que não necessitam de nenhum tipo de material complicado.



Projeto DIY 1 - Coração de Cortiça

cartão grosso
cerca de 70 rolhas de cortiça
cola tudo
fita

Comece por desenhar no cartão um coração. Com uma tesoura recorte o coração. Coloque na base de cada um das rolhas (que convém serem todas do mesmo tamanho) um pouco de cola e comece a preencher todo o cartão. No final deve ter o coartão todo preenchido de rolhas. Coloque um livro ou uma coisa pesada em cima das rolhas para que fiquem bem colocadas. 
Finalmente decore com a fitinha. Poderá pendurar ou utilizar como uma base para levar tachos quentes à mesa.



Projeto DIY 2 - Copo para velas tea-lights

1 boião de vidro pequeno
fita de tecido
naperon de papel rendilhado

Dobre o naperon de papel a gosto de modo a formar uma espécie de tira e onde a parte rendilhada seja visível. Enrole depois a tira de papel à volta do boião de vidro e prenda cuidadosamente com a fitinha de tecido, dando um pequeno laço ou nó.
Coloque dentro do boião uma vela tea-light e use para decorar a mesa, a lareira, ou um móvel de entrada.

Projeto DIY 3 - Recipiente de Oferta 

1 balde com tampa de 1 kg de iogurte
papel de embrulho
fita-cola
cola

Tire as medidas ao balde de iogurte e à tampa e corte o papel de embrulho à medida para forrar os mesmos.
Prenda o papel À volta do balde com um pouco de fita cola, e na tampa opte com colar com um pouco de cola.

Poderá depois encher o balde com bolachinhas, chocolates, bombons, trufas ou até pequenos frascos de compota. Decore com umas fitinhas e coloque uma etiqueta antes de oferecer.

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Receitas, Ideias e Sugestões para receber a Família durante o Natal



Na altura do natal muitas são as famílias que, separadas fisicamente ao longo da maior parte do ano, aproveitam este período, juntamente com as férias dos mais pequenos para uns dias verdadeiramente em família. E já se sabe que muita gente junta gera almoços e jantares demorados, louça com fatura para lavar e muito planeamento e organização para não “ficarmos malucos”. Porque por um dia ainda se aguenta bem, mas ao fim de 2 ou 3, se as coisas não estiverem bem planeadas o mais normal é acabarmos os dias a pensar que nunca mais nos metemos noutra.
A pensar nisso, há uns dias atrás, recebi um mail de uma simpática leitora que dizia o seguinte:
“… Este ano calhou-me a mim fazer a ementa para os vários dias  e é aí que preciso de ajuda, para vários dias a minha imaginação esgota-se. Somos sempre no mínimo 12 pessoas ás refeições, será portanto de privilegiar pratos que rendam; julgo que haverá muitas mais famílias nesta situação, poderia por favor fazer um post sobre este assunto? Tenho a certeza que seria muito bem recebido por muitas seguidoras.”
Eu não podia ter concordado mais. Segue então algumas receitas ideais para uma “multidão”, que rendem e são práticas de preparar, podendo mesmo, em alguns casos, ser preparadas com antecedência e congeladas, bastando para isso apenas deixar descongelar e aquecer ou colocar no forno uns minutos antes de todos irem para a mesa.

Algumas receitas perfeitas para cozinhar para uma família grande: (económicas e rápidas também!)













Outras sugestões:
  • Faça dois ou três bolos simples, tipo bolo de iogurte ou de chocolate, sem coberturas ou recheios. São perfeitos para lanches e para colocar na mesa ao pequeno almoço. Poderá fazê-los com antecedência, congelar e ir depois tirando à medida das necessidades. E quem diz bolos diz muffins ou queques e, se faz o seu próprio pão também poderá fazer o mesmo.

  • Prepare com antecedência o puré para sopa. Basta depois descongelar, deixar ferver novamente  (para que volte a ficar homogénea) e juntar os verdes que quiser. Com sopa e mais qualquer coisa tem sempre uma refeição pronta a servir.

  • Anote todas as refeições que vai fazer em família, todas as receitas e todos os ingredientes que necessita. Acrescente à sua lista aquelas coisas que não costuma comprar mas que quer ter em casa para receber a sua família (sumos por exemplo) e organize-se para ir às compras com tempo.

  • Adiante com antecedência tudo o que puder. Se vai fazer uma lasanha, prepare-a e congele-a. Se vai fazer umas migas, tenha já a broa migada assim como as couves. Tudo o que puder sem feito antes de receber as pessoas deverá estar pronto. Só assim conseguirá disfrutar ao máximo os seus familiares, sem estarem todos na cozinha, cada um a puxar para o seu lado. 

  • Se os seus familiares querem ajudar, porque não porem a mesa, trazerem o vinho, irem ao pão, ou prepararem uma sobremesa para uma das refeições em família.

  • Não se esqueça de ter um pequeno miminho em cada quarto. Umas flores frescas - ou uma “estrela de natal”, uma garrafa de água com um copo, uma vela de cheiro… pequenos gestos que os façam sentir desejados e bem vindos.


segunda-feira, 24 de novembro de 2014

30 dias para o Natal - Pesto de Tomate Seco para oferecer


Se ainda havia quem não estivesse em contagem decrescente, esta é a altura para isso. Faltam 30 dias para o Natal. 
Espero que quem segue esta aventura de fazer cabazes de natal já tenha tudo a postos. Saquinhos, fitinhas, caixinhas, cestos, frascos, papel seda, enfeites, papel de natal….. E que já tenha alguma ideia do que pretende colocar nos seus cabazes.
Depois dos Pickles de Rabanetes e do Licor de Chocolate, hoje a sugestão também é salgada: um pesto de tomate seco, que podem e devem acompanhar com um cartãozinho com receita para que quem recebe este mimo saiba o que fazer com ele (podem usar esta receita aqui http://paracozinhar.blogspot.pt/search?q=pesto+de+tomate+seco ou sugerir que seja usado como dip ou paté, barrado em bruchetas ou crostinis  e a acompanhar carnes frias, azeitonas, queijo mozarella e manjericão)
De resto precisam de poucos ingredientes: amêndoas (ou nozes), tomate seco em conserva de óleo ou azeite, sal e pimenta e de pouco tempo para o preparar.
E se quiserem podem preparar o pesto já. Mas devem guardar no frigorífico até à altura de oferecer. Aguenta cerca de 3 meses no frio.

Ingredientes para 1 frasco pequeno

75g de amêndoas ou nozes
10 tomates secos em conserva de azeite ou óleo
sal e pimenta q.b.
80ml de azeite

Preparação:

No copo da varinha mágica coloque as amêndoas ou nozes, o tomate seco e o azeite. Tempere com sal e pimenta e triture tudo até obter uma pasta. Se achar que o “pesto” está muito seco, junte mais azeite até ficar a seu gosto.
Coloque o pesto num frasco previamente esterilizado e guarde no frio até oferecer.
(E não se esqueça de decorar o frasco a gosto, com uma etiqueta identificativa e de juntar um pequeno cartão com uma receita de utilização para que, quem receba o pesto, saiba como o deve utilizar!)


Até ao Natal, todas as semanas haverá por aqui uma receita que poderá acrescentar aos seus cabazes. Para a semana será doce. Muito doce.