terça-feira, 23 de Dezembro de 2008

Gourmet Low Cost

Podem encontrar o artigo completo do Jornal Publico, aqui.
No final têm uma lista de compras com preços incluídos dos melhores produtos em cada um dos supermercados. Concordo com a maioria, mas tenho pena de não estarem algumas coisas incluídas! Pode ser que com tempo ainda me dedique a completar a lista!
Um excelente artigo, com sugestões práticas.

terça-feira, 16 de Dezembro de 2008

Natal - As Decorações

É claro que já vão tarde para comprar as decorações de Natal para este ano!
Mas não sei se já repararam, que neste momento, em todo o lado que se vendam decorações de Natal, estas estão com promoções.
É arvores de Natal artificiais, presépios, arranjos, Pais Natais e afins com 50% ou mais de desconto, conjuntos de bolas coloridas e fitas a 1€.
Eu, já comprei decorações para usar na próximo ano. Estão arrumadas numa caixa na garagem.
Será que precisam de substituir as bolas e as fitas da árvore? Comprar um presépio novo?
Aproveitem as promoções do fim da época, e terão decorações novas e muito mais baratas para o próximo ano!

segunda-feira, 15 de Dezembro de 2008

Natal - Os presentes III

Continuo a achar que não há nada como presentear as pessoas com algo feito por nós. Onde pusemos toda a nossa dedicação e carinho.
Não quero com isto dizer que têm de ser vocês a fazer tudo aquilo que vão oferecer. Há quem não goste de cozinhar, ou não tenha jeito.
Já aqui referi que podem oferecer qualquer coisa que saibam fazer: decoupages, bordados, rendas, licores, trabalhos em vidro ou madeira, molduras pintadas ou forradas em casa, com fotografias giras... Há inúmeras coisas que podem fazer, sem gastar muito dinheiro.
Nas chamadas lojas dos 300, ou nas lojas chinesas, podem encontrar cestinhos, bolsinhas de organza e afins por pouco dinheiro.
Mas, continuando com a temática de reduzir custos, porque não ir ao supermercado e fazer um cabaz com, por exemplo, 1 garrafa de vinho ou licor, uma caixinha de bombons, uns patés, uma garrafinha de azeite, um vinagre balsâmico, compotas, chá, bolacinhas.... Estipulam um orçamento e vão comprando. Depois é só colocar numa caixa - podem até utilizar uma caixa de cartão forrada com papel de Natal bonito e atar com uma fita.
Assim têm um belo cabaz para oferecer, por exemplo, a uma família de amigos, em vez de oferecerem um presente a cada um!
Vou parar com as sugestões, e dar-vos um cheirinho das minhas ofertas deste ano:

sábado, 13 de Dezembro de 2008

Natal - Os presentes II

Continuando com a temática dos presentes que podem ser feitos por nós, não quero deixar de vos continuar a inspirar.
Aqui ficam, portanto, as fotografias de cabazes oferecidos em 2006, na esperança que vos inspirem nas vossas criações de Natal.






sábado, 6 de Dezembro de 2008

Natal - Os presentes

Ora nada melhor que começar a falar de economia doméstica na época do Natal.
Estes conselhos poderão já ir tarde para algumas pessoas, mas pode ser que ainda venham a servir a alguém.
Em primeiro lugar, e antes de tudo o resto, devemos fazer uma lista com todas as pessoas a quem queremos oferecer alguma coisa. Normalmente tenho uma lista numa folha de exel, que guardo de uns anos para os outros. Nessa lista, além dos nomes, coloco também o que comprei, e quanto custou. Tenho assim algumas vantagens: não repito prendas de uns anos para os outros, e nunca me esqueço de ninguém, apenas tenho de retirar ou colocar pessoas na lista pré existente.
Depois da lista de nomes feitas, estabelecer um orçamento de quanto se pode/quer gastar por pessoa. Aqui dou alguns conselhos: no Natal dou quase sempre prendas por casais. A excepção só costuma ser em relação a pais, sogros e avós. Todos os outros recebem prendas em conjunto. Isso permite baixar bastantes euros no orçamento, e ao mesmo tempo presentear as pessoas com coisas melhores. Já que vamos gastar o dinheiro, ao menos que seja em alguma coisa verdadeiramente útil.
Ao estabelecer o orçamento de quanto se pode gastar permite procurar exactamente aquilo que podemos pagar. Se só podemos gastar 10€, não vamos andar a procurar coisas em sítios que sabemos que não as vamos encontrar.
Some agora todos os valores em relação ao orçamento anterior (estão a perceber a vantagem da folha de exel!) Veja se tem ou não possíbilidade de pagar tudo isso.

É muito relativo, o número de pessoas que se vão presentear e o orçamento que se pode gastar, mas mesmo assim, aqui ficam algumas sugestões para gerir o seu orçamento para o Natal:
- Se oferecer tudo sozinha/o, não deveria gastar mais do que metade do seu subsídio de Natal. Isso iria permitir ficar com algum dinheiro extra amealhado para si, para depois gastar como melhor entender , ou para uma emergência.
Porque não juntar-se com um irmão ou irmã também sozinhos, e/ou uma amiga, e oferecerem prendas em conjunto às pessoas em comum. De certeza que os familiares não se iam importar de ter uma prenda sua e da sua irmã, por ex, dada em conjunto, nem os seus outros amigos se deveriam importar que lhes desse uma lembrança em conjunto com uma amiga comum!
- Se fizer parte de um casal, deverão gastar até à totalidade (depende do valor do seu subsídio, e do número de pessoas a quem vão oferecer alguma coisa) do menor subsídio de Natal, deixando o outro guardado para depois utilizarem da melhor maneira.

Como deve distribuir o seu orçamento?

As melhores prendas são sempre as dos filhos e conjuges, pais e sogros, irmãos, irmãs, cunhados, sobrinhos e avós. Depois vêm os amigos especiais, e os tios e primos. Finalmente todos aqueles de quem gostamos e que queremos dizer de que não nos esquecemos deles nesta época.

Mas vamos a sugestões praticas!
Cá em casa, as prendas "compradas", são apenas para os pais e sogros, irmãos, cunhados, sobrinhos avós, e amigos mais especiais. (Ainda não temos filhos!)
Todos os outros recebem presentes caseiros. Coisas que eu vou fazendo, e que depois gosto de oferecer aos tios, primos e restantes amigos.

Quanto às prendas "compradas", devo dizer que algumas já as cá tenho desde o fim de Agosto!
Como eu digo logo no início no poupar é que está o ganho. Aproveitei os saldos e as promoções e fui comprando alguns dos presentes. Mas atenção! Não compro apenas porque está barato. Compro porque acho que a pessoa vai realmente gostar daquilo e é uma possíbilidade de comprar uma coisa melhor sem me desviar do orçamento.

Quanto aos presentes caseiros. O M. tem uma família maior que a minha (além de pais, irmãos e cunhados, sobrinha, e avós tem 6 tios e 6 primos direitos), e trocam todos presentes entre si. A minha é bem menor, pois não tenho tios nem primos direitos, mas temos muitos outros nomes na lista para presentear.
Portanto os presentes caseiros são a forma que nós encontramos de poder oferecer algo a todos aqueles que são importantes para nós, sem fazer explodir o orçamento. Além disso, prefiro oferecer estes presentes caseiros do que dar coisas sem utilidade nenhuma que as pessoas vão arrumar a um canto sem nunca usar.
Não vou dizer o que os presentes caseiros são este ano, mas posso dizer que já ofereci velinhas com Mensagens de Natal feitas por mim, pequenos cabazes com bolachinhas, compotas e marmeladas caseiras, pratos com decoupage de Natal....
Outras sugestões são azeites ou sal aromatizados, bolos, bombons caseiros, panos de cozinha bordados a ponto de cruz com motivos de natal, licores caseiros, tabuleiros em decoupage. Qualquer coisa que se tenha habilidade a fazer e onde se ponha a nossa dedicação e o nosso tempo. E é claro que uma embalagem bonita também conta!

Existem portanto inúmeras coisas que se podem fazer sem gastar muito dinheiro, e que decerto serão mais apreciadas do que muitas das coisas que poderíamos comprar já feitas!

Afinal o Natal é uma época de amor, de família, de partilha, de amizade. É muito mais do que dinheiro, e compras e presentes.
Há apenas que saber dar, e como dar!

sexta-feira, 5 de Dezembro de 2008

Orçamentos!

Se há uma coisa que sempre me irritou profundamente, são conversas acerca de dinheiro.
Não concebo que se pergunte a outra pessoa quanto é que ela ganha, e depois, fazer constatações duvidosas acerca do seu estilo de vida.
Acho que ninguem tem nada a ver com isso!
Acho de incrível mau tom encontrar conhecidos na rua, em que 2 minutos depois estão a contar como a filha mudou de emprego , e que agora vai ganhar x€!
Deve ser mania do português ter de saber quando ganha o vizinho, o primo, a filha do colega de trabalho, ..., para poder comparar.
Além de tudo mais detesto comparações de todos os níveis.
Tanta conversa para chegar a uma simples conclusão. Independentemente do que cada um de nós ganha, o importante é saber gerir o que se ganha, e saber viver de acordo com aquilo que se ganha. Parece obvio. A coisa complica-se para quem ganha o salário mínimo, tem suportar uma família. Há histórias de vida muito difíceis...
Aqui o objectivo é tentar dar umas dicas de "economia" e "organização" doméstica.
Dicas que tenham resultados práticos e sejam facilmente postos em prática.
Dicas que nos ajudem a gerir o nosso orçamento mensal da melhor forma.
Dicas que nos permitam amealhar qualquer coisita ao fim do mês (se possível).
Dicas que tornem possível não atingirmos a "bancarrota" antes do fim do mês.
Pelo menos podemos tentar.
E claro, aceitam-se sempre sugestões!