terça-feira, 28 de Fevereiro de 2012

Uma mini-horta na Varanda!

Tenho uma horta na varanda. Na realidade não é uma horta, mas sim vários vasos com diversas coisas semeadas.
O limoeiro é o resistente e já existe há uns 6 anos. Tem dado limões nos últimos anos e este ano não é excepção. Está tão carregado que os seus jovens e finos ramos quase nem aguentam o peso dos pequenos e sumarentos limões. Já colhi alguns e mesmo assim o pequeno limoeiro continua carregado.
Além do já conhecido limoeiro, há um loureiro, tomilho e 3 vasos com hortelã (que é tipo praga e vai povoando os vasos vazios de culturas que não consegui levar avante!)
Este ano deu-me para encher vasos com outras coisas menos convencionais e que deixaram os meus avós perdidos de riso quando lhes contei: há um vaso com abóboras, outro com courgete, um com pimento e outro ainda com alho francês.
As abóboras são as que estão mais adiantadas: várias folhinhas verdes já estão a sair de debaixo da terra. A quem me pergunta como é que as abóboras vão crescer dentro do vaso a resposta é simples, não sei! Se por acaso alguma conseguir sobreviver à minha tendência assassina horticula, espero que consiga crescer do lado de fora do vaso, enquanto as raízes continuarem agarradas à terra. A ver vamos...
As courgetes começaram esta semana a aparecer e, mais uma vez se sobreviverem, espero conseguir fazê-las crescer da mesma maneira que as abóboras.
Quanto aos pimentos e alho francês ainda não deram ar de sua graça, mas foi-me dito que demoram mais a germinar que as restantes coisas que tenho semeadas.
Tem sido divertido regar e ver crescer o que semeei. E vai ser certamente com orgulho - e se tal vier a acontecer - preparar doce de abóbora com abóboras que semeei e colhi, ou fazer uma sopa com as primeiras courgetes ou alho francês.
Numa altura em que as hortas urbanas estão na moda, que se está a ver um regresso às raízes e à terra quer por necessidade, quer por novas oportunidades, porque não começarmos a ter pequenas hortas em vasos na varanda, e podermos comer algo que semeamos e cuidamos com as nossas mãos?Ando já a pensar nas alfaces e no tomate cherry que vou plantar. Depois conto as novidades.
E quem mais me aceita o desafio de uma horta na varanda?

quarta-feira, 22 de Fevereiro de 2012

Acerca de vales e talões de desconto

O que não falta pela blogosfera fora são dezenas de blogues que falam acerca de talões e vales de desconto. Que explicam como os conseguir, utilizar e como fazer compras com eles.
Cá em casa também se fazem compras utilizando talões e vales de desconto. Aproveitando também as promoções e sempre que possível associando a vales e outros descontos. A pensar as compras antes de as fazer. Mas sem cair em exageros ou fundamentalismos.
Compro o que preciso e aproveito as promoções e os talões apenas dos produtos que utilizo.
Antes de comprar - mesmo com talões, promoções e vales - vejo sempre se o produto fica mais económico do que comprando o produto habitual. (O que muitas vezes não acontece!)
Compro em alguma quantidade produtos que se podem guardar como detergentes, papel higiénico ou mercearias, mas não colecciono embalagens. Duas no máximo, pois até acabar os artigos novas promoções e artigos vão surgir, e não preciso de stock de 4 ou 6 embalagens de detergente da roupa ou de pastilhas da máquina. Actualmente estou a acabar uma embalagem de detergente da roupa e tenho uma nova por abrir de 72 doses. Apesar de poder ter comprado outra (com promoção e vale de desconto) acho que não vale a pena "empatar o dinheiro". Até acabar a embalagem por abrir tenho a certeza de que haverá uma nova promoção e novos talões de desconto.
Também vejo os folhetos dos supermercados e planeio compras das promoções que valem a pena.  Melhor ainda se tiver um vale de desconto que lhe possa associar. (E junto sempre os talões à lista de compras para não me esquecer deles em casa!) Mas não vou a supermercados fora da minha zona. O que gasto em combustível, mas principalmente em tempo, não compensa algumas deslocações. E isso também deve ser contabilizado.
Das coisas que tenho lido, parece-me que há pessoas com métodos que para mim, são já muito complicados e demasiado exagerados para o "universo dos cupões" que existe em Portugal. Mas isto não quer dizer que  esta é a maneira certa de fazer as coisas. Não há maneiras certas ou erradas, há vários métodos e este é o que se utiliza cá em casa.  Há que saber comprar com estas "ofertas", e isso é a verdadeira economia doméstica!
Acreditem que se pode comprar mais e gastar menos.

Onde  conseguir alguns talões e vales de desconto:

- site Para Mim (basta inscreverem-se e pedir os talões trimestralmente  - os talões são todos de produtos P&G e podem ser utilizados em qualquer supermercado)
- Algumas revistas de culinária trazem talões de desconto, como por exemplo a revista "Saberes & Sabores" da Vaqueiro
- Quem tem cartão Continente recebe talões de desconto regularmente para além de acumular no cartão os descontos do supermercado. (Podem ainda usar o desconto vice-versa para colocarem combustível mais barato e descontarem depois na ida ao supermercado!)
- Basta inscreverem-se nas páginas das marcas da vossa preferência para além de receberem newsleters gratuitas com informações de produtos, poderão receber talões e vales de produtos. De uma maneira geral quando as marcas lançam vales de desconto enviam aos utilizadores inscritos nos seus sites e páginas que depois os podem utilizar em quelquer supermercado
- Há uma aplicação nova no facebook - Couponxare - de vales de descontos que podem ser impressos em casa e utilizados depois nos supermercados Continente

domingo, 12 de Fevereiro de 2012

Sugestões para o Dia dos Namorados

Cada um é como cada qual. É por isso que cada um celebra este dia como prefere. Cá por casa, não se liga muito, não se trocam prendas nem se costuma ter nenhum programa especial. Mas aproveito sempre a desculpa deste dia para uma ementa mais especial, experimentar alguma receita nova, usar ingredientes ou o prato favorito do M ou apenas inventar com o que houver lá por casa.
Mas há sempre um cuidado especial: velas, ambiente acolhedor, musica ambiente e um bom vinho. O que fazemos habitualmente...
E esta é também a minha sugestão. Nada de restaurantes cheios de casais enamorados e ementas caras. O conforto da nossa casa numa refeição a dois ou com os filhos. Um prato especial ou o favorito, nem que seja a coisa mais banal. E uma mesa cuidada.Tudo o que é preciso para um dia de namorados versão caseira.

Ementas para celebrar o dia de S. Valentim:

Sugestão "Só Gosto de Ti"
Salada de Rucula com Pinhões e Romã
Arroz de Gambas e Chouriço
Crepes Doces de Framboesas e Queijo Creme

Sugestão  "Saber Amar"
Queijo de Cabra Panado com Redução de Frutos Vermelhos
Batatas Gratinadas com Magret de Pato
Sopa de Morangos, Vinho do Porto e Hortelã com Gelado de Baunilha

Sugestão "Paixão"
Camarões Aria
Porco Assado com Puré de Maçã e Pêra e Molho de Coentros
Pavlova com Queijo Creme e Morangos

Sugestão "Tudo por um Beijo"
Tarteletes de Cogumelos Balsâmicos com Rolinhos de Presunto Crocantes
Cataplana Exótica de Peixe
Brownie de Chocolate com Cobertura

sexta-feira, 3 de Fevereiro de 2012

Ementa Semanal para a Proxima Semana #14

Mais uma semana e outra sugestão de ementa!

Segunda-feira, dia 6 de Fevereiro:

Jantar: Carne de Porco com Alecrim e Batatas Salteadas
Terça-feira, dia 7 de Fevereiro:
Jantar: Lasanha de Pescada com Alho Francês
Quarta-feira, dia 8 de Fevereiro:
Jantar: Frango Assado com Pimentos
Quinta-feira, dia 9 de Fevereiro:
Jantar: Arroz de Especiarias com Peixe
Sexta-feira, dia 10 de Fevereiro:
Jantar: Estufadinho de Grão com Ovo
Bolo para o fim de semana: Bolo Rápido de Noz com Caramelo
Sábado, dia 11 de Fevereiro:
Almoço: Douradinhos de Salmão
Jantar: Bolinhas de Carne com Molho de Iogurte
Domingo, dia 12 de Fevereiro:
Almoço: Bacalhau com Natas à Antiga
Sobremesa: Leite Creme de Laranja
Jantar: Esparguete com Salmão Fumado, Cogumelos e Rucula

quinta-feira, 2 de Fevereiro de 2012

Combater o Frio


Lá vai o tempo de passar fins de semanas de inverno na casa dos avós. Casas de aldeias, frias e parcialmente desabitadas. Onde a lareira acesa na cozinha ou na sala faziam destas as únicas divisões aquecidas. À noite, vestíamos os pijamas aquecidos na botija de água quente que ia depois para a cama para nos fazer companhia. Na cama muitos cobertores que puxava até às orelhas para dormir quentinha. Talvez por isso me tenha ficado o gosto pela botija de água quente e pelas mantas no sofá que ainda hoje não dispenso.
Apesar de morar numa casa com lareira, aquecimento central a gás natural e de ter termo ventiladores e aquecedores, uso ainda essas técnicas mais simples para me manter aquecida.
Sou uma fã incondicional da velhinhas botijas de água quente, e não há nada melhor para manter os pés quentes ou de aquecer a cama e o pijama. A manta no sofá, neste caso um saco cama mais antigo que é ainda mais quentinho, é outra das companhias imprescindíveis nestes dias frios. Umas meias grossas e umas pantufas, camisolas ou polares ajudam  a manter-me confortável em casa. E para ficar ainda melhor nada melhor como uma chávena de chá a escaldar ou de um chocolate quente.
E isto não quer dizer que não acenda a lareira, ou não ligue aquecedores ou que não use o aquecimento central. No entanto parece-me um desperdício de energia ligar o aquecimento central, que aquece toda a casa, quando estou sozinha. O mesmo se passa com a lareira (que nem sei acender....). e que só tem piada quando é para ser partilhada entre família e amigos.
E claro que uso aquecedores, agora só para mim, para estar confortável a ver as minhas séries favoritas umas meias, o saco cama, a botija de água quente e uma chávena de chá deixam-me perfeitamente bem.
Agora, que as notícias tanto falam desta vaga de frio, nunca são demais sugestões simples para nos mantermos quentes nestes dias mais frios.