quarta-feira, 27 de Junho de 2012

Sobremesas Pré- Congeladas - Versão Feito em Casa

O meu hábito de congelar quase tudo cria, em algumas pessoas, aquela ideia de que as coisas vão acabar por nem serem consumidas - que vão acabar no lixo, e que portanto nem vale a pena congelar. E são essas mesmas pessoas que, muitas vezes pensam que não há necessidade de ter uma arca congeladora, pois esta serve apenas para armazenar comida que, mais tarde ou mais cedo, vai parar ao caixote do lixo.
Ora essas pessoas não podiam estar mais erradas! Na arca congeladora cá de casa não há comida a estragar-se. E, além disso, nem saberia viver sem ela... Onde iria eu colocar os muitos legumes que os meus avós me trazem e que não conseguimos consumir. Guardar carne e peixe que compro quando aproveito promoções. Ou queijos e enchidos que a prima I. me oferece. Ou ainda a cuba da máquina dos gelados sempre pronta a usar, os gelados e refeições caseiras prontas a consumir, o feijão e grão cozido pronto a usar no puré de uma sopa ou num arroz malandrinho. Não, a minha arca congeladora é essencial .E não há desperdícios nem estragos, porque há uma lista sempre actualizada do que tenho para consumir, e a partir da qual planeio as refeições da semana, como já tantas vezes aqui expliquei.
Portanto na minha arca congeladora há um pouco de tudo, sempre pronto a ser utilizado. E por isso, a minha sugestão de hoje são estas sobremesas pré- congeladas, mas numa versão caseira.
Um bolo de chocolate feito em casa e do qual congelei metade, já em fatias, num caixa plástica hermética. E também pedaços de morangos que comprei a mais e congelei quando estavam em promoção.
O bolo de chocolate, depois de devidamente descongelado, foi a sobremesa "pré- congelada" que servi num almoço informal cá em casa, juntamente com uns morangos docinhos.
Outra das sobremesas "pré-congeladas" foi um sorvete rápido de morango, ao qual bastou juntar aos morangos congelados umas folhas de hortelã do vaso cá de casa, um pouco de açúcar e gelo, e triturar tudo muito bem no robot de cozinha até estar com a consistencia de um sorvete.
Verdadeiras versões "homemade" de sobremesas pré-congeladas e (quase) prontas a consumir. E mais uma vantagem de se ter uma arca congeladora com espaço para quase tudo.

sexta-feira, 22 de Junho de 2012

quinta-feira, 21 de Junho de 2012

O cabaz dos Avós (Acondicionar e Organizar)

Mais um cabaz de coisas boas chegou de casa dos avós. Os primeiros pêssegos do ano (e tantos!). Couve para caldo verde. Salsa. Cebolas novas. Espinafres. Nêsperas. Alfaces.
Com os primeiros pêssegos, e para não fugir à tradição, as primeiras compotas feitas com a fruta mais madura, pisada e bicada pelos passaritos. Ainda assim há ali muitos para comer, fazer sumos, gelados e outras preparações. E certamente que mais virão.
A salsa está devidamente guardada no frigorífico dentro de um copo com água e é certo que assim durará algum tempo, e as nésperas doces são a sobremes perfeita para o jantar ou almoço.
Os espinafres foram escolhidos, lavados, secos e devidamente guardados num saco e estão prontos a usar no frigorífico. Não os uso só para sopas ou acompanhamento, mas também gosto de os comer crús, em salada. Se nunca experimentaram não sabem o que estão a perder.
A couve de caldo verde, depois de bem lavada, seca e cortada grosseiramente foi congelada. Está então pronta a colocar num puré de sopa ou para preparar umas migas de que tanto gostamos cá em casa.
As alfaces estão no frigorífico embrulhadas num pano húmido para se conservarem mais tempo. Depois, conforme vão sendo precisas são lavadas, arranjadas, secas e guardadas num saco hermético, prontas a usar conforme as necessidades.
Claro que dá um bocadinho de trabalho organizar tudo assim que chega o "cabaz" cá a casa, mas depois também tenho a tarefa simplificada com tudo pronto a usar.
Também costumam fazer assim?

terça-feira, 19 de Junho de 2012

Para não desperdiçar - Caldo de Camarão caseiro e pronto a usar

Pois cá por casa, no domingo, foi dia de preparar uns camarões para petiscar. Da receita que resolvi fazer não se aproveitavam as cabeças do camarão, e deitar fora parecia-me um verdadeiro desperdício, até porque todos sabemos que é na cabeça do camarão que se encontra a maior parte do sabor. Muitas vezes preparo apenas um simples caldo com as cabeças e as cascas que depois de coado aproveito para utilizar num arroz de peixe ou numa massa.
Desta vez resolvi inovar um bocadinho e preparar um caldo mais rico, mas dividido em pequenas doses para utilizar mais facilmente nas preparações cá de casa.
Sendo assim, coloquei numa panela as cabeças do camarão, 2 tomates partidos em pedaços, assim como 1 cebola e uma cenoura. Temperei com um pouco de sal e pimenta, vinho branco e juntei um pouco de água (não sei bem as quantidades, uma vez que foi tudo um bocado a olho!). Leve a ferver durante 20 a 30 minutos, e ao fim desse tempo triturei tudo muito bem com a varinha mágica até obter um creme espesso.
Em seguida passei a mistura por um coador com um pano fino (muselina) e deitei fora a "papa" que ficou no pano, aproveitando somente o caldo alaranjado.
Coloquei-o então a congelar em couvetes de gelo. Depois de solidificado coloquei os cubinhos num saco de congelação.
Agora na minha arca há  também caldos caseiros, em pequenas doses e prontos a usar para um arroz, uma massada, um estufado (como um caril) ou um risotto. E também deve dar para um consomé de camarão em minutos...
Aqui fica a sugestão.

sexta-feira, 15 de Junho de 2012

Notícias da Horta 5

A horta não está esquecida!
Há novas alfaces a crescer e não tardará que seja altura de apanharmos os primeiros tomates chucha, que vão crescendo a olhos visto, apesar das muitas folhas amareladas e feias que os tomateiros vão tendo. Quanto aos tomate cereja, apesar de crescidas as plantinhas, não há maneira de começarem a ganhar flores. Os pimentos estão também muito atrasados e as plantas ainda pequeninas. Os morangueiros para já, deram o que tinham a dar, mas espero mais morangos...
As primeiras courgetes acabaram por morrer ainda pequeninas, mas já se vêm novas a caminho.
As aromáticas mais antigas como o tomilho, a hortelã e o louro continuam com toda a força. A salsa está pequena e amarelada e os coentros estão todos espigados....
O manjericão também me parece que já viu melhores dias, ma lá vai andando - até porque o meu inquilino gafanhoto tem andado a comer as folhinhas.... E a rucula continua muito pequenina, feiota e também amarelada!
Não sei o que fazer em relação às folhas amareladas e feias. Não é falta de água e também não me parece que seja excesso, O tempo realmente não tem ajudado muito, mas não sei... a horta já esteve bem mais viçosa e bonita do que agora. Mas eu lá vou cuidando dela com amor e carinho!
O limoeiro tem lindos limões que eu até tenho pena de apanhar e continua com novas flores e folhinhas. E já começam a aparecer as primeiras framboesas.
Entretanto há um novo habitante na horta - um manjerico, que não podia faltar nesta época de Santos Populares.
Apesar de tudo a minha hortinha cá vai andando. E serei sou eu a achar que a minha horta está pouco viçosa?

sexta-feira, 8 de Junho de 2012

terça-feira, 5 de Junho de 2012

Os nossos Morangos

A primeira colheita de morangos do nosso vaso na varanda. Vermelhos, doces e sumarentos e deliciosos. Não são muitos, é certo, mas tiveram um sabor muito especial.
Aos pouco vamos colhendo e saboreando os alimentos da nossa mini-horta e a experiência tem sido muito engraçada.
Quem mais tem estado a ter resultados positivos?