terça-feira, 31 de Julho de 2012

Preparar com antecedência e Pronto a usar: Crepes e Tarteletes

De quase todas as vezes que faço festas e jantares cá em casa, perguntam -me como tenho tempo para tudo. É uma questão de planeamento, organização e preparar com antecedência tudo o que for possível. Claro que o congelador é muitas vezes essencial neste processo, pois permite congelar e guardar tudo até ser necessário. E aqui há também algo a acrescentar. Há quem sinta que congelar comida para se servir mais tarde é servir à família e amigos comida de "segunda", porque não é fresca. Eu não estou nada de acordo com essa opinião e acho mesmo que é uma mania como outra qualquer. Desde que perfeitamente acondicionada e consumida dentro de prazos normais, congelar sobras ou até refeições inteiras é uma excelente maneira de não desperdiçar nada e de até rentabilizar os alimentos que temos. É que eu sei que há muitas pessoas que acabam a deitar fora comida depois de descongelada porque acham esta não está em condições.
Mas estava eu a dizer que uma maneira de ganhar tempo quando se prepara uma festa ou um jantar é ir fazendo algumas coisas com a devida antecedência, congelando ou guardando no frigorífico. Por exemplo, as sobremesas podem sempre ser feitas de véspera e guardadas no frigorífico até ao dia seguinte.
O que eu comecei a fazer, e que tem sido uma grande ajuda e me aliviam algum do trabalho no dia do jantar ou da festa, é preparar crepes e "caixinhas" de massa quebrada doce, e congelar até necessitar de usar. E assim, preparadas com antecedência estão sempre prontas a usar quando preciso e são óptimas para emergências ou convidados inesperados.
Uma das coisas que gosto muito de fazer são crepes. Basta variar o recheio e há entradas ou sobremesas preparadas em minutos. O que realmente demora um pouco mais de tempo é preparar a massa dos crepes, e por isso passei a preparar esta tarefa com antecedência aprendi a congelar os crepes correctamente ficando depois perfeitos a utilizar em alguns minutos.
Faço sempre esta receita que sai sempre bem. Depois de prontos sobreponho-os uns sobre os outros separados com um pouco de papel vegetal. Depois embrulho-os bem sobrepostos  em papel de alumínio e coloco-os num saco de congelação. Se for para usar logo no dia seguinte, guardo-os no frigorífico, senão congelo-os e vou retirando-os à medida das necessidades. E como são fininhos descongelam rapidamente enquanto se prepara o recheio que poderá ser doce ou salgado, de acordo com os nossos ingredientes favoritos.
Outras das coisas que fazem sempre grande sucesso, e que são também ideais para preparar com antecedência e ter sempre à mão, são estas caixinhas doces que se podem rechear com coalhadas doces (que também se podem fazer com antecedência e guardar no frigorífico), compotas, natas, creme de pasteleiro, fruta fresca, iogurte e bagas... As possibilidades são infinitas e, quando habitam no nosso congelador permitem uma sobremesa doce e bonita, na mesa em muito pouco tempo. Basta depois de prontas e arrefecidas (e claro, sem recheio) guardar numa caixa plástica hermética. Fora do frigorífico aguentam perfeitamente até uma semana e no congelador, guardadas na mesma caixa, aguentam várias semanas.
Portanto sempre que há um jantar ou uma festa, e se a ementa tiver crepes ou tarteletes doces recheadas e o meu tempo for curto, nada melhor do que preparar com antecedência, congelar e ter pronto a usar.
E eu sei que estas coisas se podem comprar em qualquer supermercado mas, para mim, não era a
mesma coisa.

(Na foto são as tais caixinhas de massa quebrada doce recheadas com curd de lima e decoradas com framboesas frescas da varanda e polvilhadas com açúcar em pó. Preparadas em 2 minutos!)

sexta-feira, 27 de Julho de 2012

Ementa Para a Próxima Semana #26



(E só para dizer que amanhã, dia 28 de Julho pelas 11h30, vou estar no Continente do Coimbrashopping em Coimbra numa sessão de autógrafos integrada na Feira do Livro de Verão do Continente. Apareçam!)

Segunda-feira, dia 30 de Julho:
Jantar: Esparguete com Requeijão, Nozes e Espinafres
Terça-feira, dia 31 de Julho:
Jantar: Bifanas em Molho de Fricassé
Quarta-feira, dia 1 de Agosto:
Jantar: Lulas com Molho Verde
Quinta-feira, dia 2 de Agosto:
Jantar: Frango com Chouriço e Pimentos
Sexta-feira, dia 3 de Agosto:
Jantar: Lasanha de Atum
Bolo para o fim de semana: Tarte de Iogurte
Sábado, dia 4 de Agosto:
Almoço: Courgete Recheada com Couscous
Jantar: Cataplana de Frango com Ameijoas e Camarão
Domingo, dia 5 de Agosto:
Almoço: Lombo de Porco com Batatas e Alecrim
Sobremesa: Cheesecake de Iogurte com Frutos Silvestres
Jantar: Tosta Piratas

Lista de Compras:

iogurtes naturais
requeijão
espinafres frescos
Couscous
Courgete
salsa
pimento
bifanas
limão
lulas
massa fresca para lasanha
atum
queijo mozarella
tomate
frango
chouriço
pão alentejano
molho cocktail
natas
folhas de gelatina
frutos vermelhos congelados
lombo de porco em fatias
alecrim fresco
ameijoas
camarão
coentros

Na Despensa lá de casa:

farinha
açúcar
ovos
açúcar em pó
esparguete
nozes
azeite
alho
cebola
cominhos
vinho branco
mostarda
oregãos
colorau
polpa de tomate
queijo
fiambre
bolacha Maria
manteiga
batatas
malagueta
louro

quarta-feira, 25 de Julho de 2012

Roupa para passar?


Quantas vezes alguém chega cá a casa depois de eu ter estado a apanhar a roupa lavada, e me pergunta se eu estive a passar a ferro porque a roupa está devidamente dobrada e empilhada, (como na foto acima - sim, é roupa apanhada e ainda por passar!)
É que é tudo muito mais simples e rápido se a roupa for devidamente esticada e dobrada assim que é apanhada, como a minha mãe sempre me ensinou. A roupa fica com menos vincos, está já devidamente dobrada, o que em alguns casos basta depois passar o ferro quente apenas para ficar pronta a arrumar - como é o caso das toalhas de cozinha, das toalhas de casa de banho, guardanapos de pano, cuecas, ...
Imaginem apanhar a roupa num rodilho e enfiá-la num cesto. Dois ou três dias depois imaginam a canseira que é organizar a roupa e passar a ferro todos aqueles vincos? Mais vale perder mais 5 minutos ao apanhar.
No final ficam com roupa que se passa mais rapidamente e facilmente, e consequentemente gastam menos tempo nesta tarefa. E isto também é útil, mesmo quando não somos nós a passar a nossa própria roupa...

segunda-feira, 23 de Julho de 2012

O que são as Férias?


Perguntem a qualquer miúdo em idade escolar o que são as férias, que a resposta está na ponta da língua. Férias é quando não há escola!
Seria lógico pensar o mesmo quando chegamos à idade adulta. Com as devidas excepções para certos grupos de pessoas e de empregos, todos temos férias, porque todos usufruímos de um período de tempo em que não vamos para o emprego/trabalho e, por lei temos todos direito a esse período de tempo. Isso são as férias.
O problema está no conceito que cada um de nós instituiu  - ou que se instituiu - para o que devem ser as férias. Longe vão os tempos em que ficávamos felizes e contentes no ultimo dia de escola. Que suspirávamos "Finalmente de férias!", porque já não tínhamos de acordar cedo, de aturar os professores, de fazer trabalhos de casa, de estudar para os testes e de nos deitar cedo.
Nas férias podíamos dormir até mais tarde, ficar a ver televisão até depois da meia-noite sem a mãe a chatear que "tens de ir para a cama pois amanhã é dia de escola." Nas férias podíamos ir brincar para a rua ou para o parque, ir para casa dos avós ou da tia, ficar no sofá a ouvir música ou jogar computador ou ver televisão a tarde toda ou simplesmente a não fazer nada até nos fartarmos estar de férias. Durante os 3 meses de férias poderia ou não haver uns dias de praia com a família, mas havia idas às piscinas municipais (ou a praia se estivessemos perto de alguma.). Lanchávamos em casa uns dos outros e íamos ao clube de vídeo alugar uns filmes e ia-se ao shopping ver as montras. E estávamos felizes porque estávamos de férias. Era isso que significavam as férias.
Provavelmente , e com as devidas adaptações de década(s),  as férias continuam a significar a mesma coisa para a maior parte dos miúdos. Mas enquanto adultos não pensamos o mesmo.
O período de tempo em que não vamos para o nosso emprego deixou de ser sinónimo de "ter férias". Porque ter férias passou a ser ir para para o Brasil, Cabo Verde ou Republica Dominicana. Férias passou  a ser ir passar uns dias à praia - Algarve ou outro destino qualquer - de preferência para um hotel, sem fazer almoço, jantar nem mesmo a nossa cama. Férias passou a ser viajar, e fazer compras no estrangeiro. E, se o nosso orçamento não permitir nada disso dizemos que não temos férias.
E é aqui que eu não sou capaz de compreender estas diferenças nos conceitos. Claro que é óptimo poder ir para a praia ou para uma capital europeia ou para um hotel fantástico. Mas o facto de não pudermos , não quer dizer que não estamos a ter férias.
Para mim férias é não ter horários, poder ler todos os livros que consigo, ver filmes e séries sem me preocupar com as horas. Almoçar às 15h e jantar às 22h. Comer grelhados no carvão. Férias é não ter que me preocupar em esconder as borbulhas com maquilhagem nem me preocupar com a roupa que vou vestir. Poder sair para tomar um café à hora de almoço a um dia da semana. (E para quem tem filhos presumo que seja também poder passar tempo com eles, no parque ou num jardim, sem ser a controlar o relógio porque é hora do banho e depois jantar e ir para a cama porque amanhã é dia de escola e de trabalho.) Para mim tudo isso são férias indepedentemente do sítio onde ocorrem, se tenho ou não de fazer jantar e almoço, arrumar a cozinha, de fazer a cama e de limpar a minha casa de banho.  E é por isso que muitas vezes ouço dizer "mas isso para mim não são férias", e eu continuo a achar que é tudo uma questão de conceitos, tal como aquelas pessoas que dizem que nunca tiveram férias porque nunca foram passar uns dias de verão à praia ou porque nunca viajaram para o estrangeiro. Afinal o conceito das férias, tal como tantas outras coisas, está erradamente confinado a uma mera questão de orçamento!
Seja por causa da crise, ou dos cortes dos subsídios, anda tudo a dizer que não tem férias. Porque não há dinheiro para ir para a o Algarve, e muito menos para fora do país. Comer fora nem pensar, e não há quem possa gastar dinheiro num hotel. Ouvem-se as pessoas dizerem que não têm férias, porque só vão para a terra. Outras não têm férias, vão ficar em casa.
Na verdade apesar de poderem não ser as férias que gostaríamos, são férias.  Porque não vamos trabalhar. Porque se vamos para a terra, vamos ver os amigos e familiares, vamos apanhar as batatas e os tomates e não temos o patrão a buzinar aos ouvidos, nem temos de apanhar uma fila de transito para casa ao final do dia. Se ficamos em casa, podemos sair e ir conhecer a nossa cidade, tomar o pequeno almoço em família todos os dias, ver os programas das manhãs da TV e pegar num livro coisa que não fazemos há anos, em vez de passar o dia em frente ao computador a escrever relatórios ou a aturar clientes mal dispostos ou a atender telefone e responder a mails.
Ainda bem que há quem pouco ou nada tenha alterado o seu tipo de férias. Mas para aqueles a quem as actuais dificuldades alteraram os rendimentos, a resposta poderá ser alterar o conceito do que são as férias e tentar pensar como quando andávamos na escola.
Se são as férias que queríamos? Dificilmente. Mas não é por isso que deixam de ser férias.

quinta-feira, 19 de Julho de 2012

Ementa para a Próxima Semana #25


Segunda-feira, dia 23 de Julho:
Jantar: Tentáculos de Pota no Forno à Lagareiro
Terça-feira, dia 24 de Julho:
Jantar: Hamburguers Aromáticos de Frango
Quarta-feira, dia 25 de Julho:
Jantar: Arroz de Atum com Ervilhas
Quinta-feira, dia 26 de Julho:
Jantar: Salsichas no Forno
Sexta-feira, dia 27 de Julho:
Jantar: Penne com Molho Cremoso de Cogumelos
Bolo para o fim de semana: Bolo de Banana e Queijo Creme
Sábado, dia 28 de Julho:
Almoço: Peixe à Marroquina com Couscous
Jantar: Escalopes de Porco com Presunto e Oregãos
Domingo, dia 29 de Julho:
Almoço: Lascas de Bacalhau com Crocante de Broa
Sobremesa: Pêssegos Grelhados com Iogurte e Hortelã
Jantar: Quiche Loraine

Lista de Compras:

Tentáculos de Pota
Salsa
Pêssegos
Iogurte Natural
Peito de Frango (peça no talho para picar)
Coentros
Limão
Atum em Azeite
Bananas
Queijo - Creme de barrar (Tipo Philadelphia)
Bifanas
Presunto fatiado
Cogumelos Frescos
Lombos ou Medalhões de Pescada
Courgete
Tomate
Salsichas
Bacalhau
Broa de Milho
Massa quebrada pronta a usar
Bacon

Na Despensa lá de casa:

Azeite
Batatas
Cebolas
Alho
Malaguetas seca
Açúcar
Hortelã (se tiverem um vasinho na varanda!)
Arroz Basmati
Ervilhas congeladas
Louro
Vinho Branco
Polpa de Tomate
Ovos
Manteiga
Farinha
Fermento em pó
Pão ralado
Oregãos secos
Massa Penne
Couscous
Natas
Raiz de Gengibre

segunda-feira, 16 de Julho de 2012

Simplificar ao Planear um Jantar


Se para alguns organizar um jantar e receber amigos em casa é uma tarefa fácil, para outros é uma enorme dor de cabeça, e nem sabem por onde começar.
Receber pessoas em casa para jantar não ter de ser um momento de stress nem de dona de casa desesperada com cabelos em desalinho e um fogão cheio de tachos e panelas.
A regra de ouro é simplificar e assim conseguir fazer desse jantar algo memorável e divertido para todos.
O ideal é mesmo ter uma ementa base. Uma entrada, prato principal e sobremesa que sejam receitas que faz sem nenhum problema e que permitam ser preparadas com antecedência, pois para simplificar é também necessário planear.
O ideal mesmo é como entrada preparar uma sopa ou um creme de legumes que, poderá ser preparado de véspera e apenas aquecido antes dos convidados chegarem. Nos meses mais quentes, poderá sempre optar por uma salada que também pode ser preparada com antecedência e apenas "montada" e temperada na hora (por exemplo uma salada com rucula, parmesão, nozes e bacon estaladiço). Mas, se quer mesmo simplificar opte por colocar na mesa azeitonas temperadas, pão fresco, uma ou duas variedades de queijo, presunto ou paio de boa qualidade e um patê a seu gosto que tanto poderá comprar como preparar em casa, como é o caso do paté de atum.
Para o prato principal escolha uma receita "de um tacho só", carne ou peixe e acompanhamento tudo numa só travessa, como é o caso da lasanha (que poderá fazer de qualquer combinação que imaginar), ou um prato de bacalhau ou camarão gratinado ou até um arroz de pato. Escolha receitas - como as referidas - que possam ser preparadas de véspera e que, basta acabar no forno assim que os seus convidados chegam a sua casa. Para acompanhar bastará preparar uma simples salada ou legumes.
Quanto à sobremesa, parece-me que é mesmo o mais fácil. Leite-creme, uma tarte de maçã, bolo de chocolate ainda morno com uma bola de gelado, uma mousse de frutas ou de chocolate são receitas simples e rápidas que quase todos sabem fazer. No caso de ter dificuldades com as sobremesas, opte por uma ou duas variedades de gelado com uns canudinhos de bolacha ou chocolate. Outra alternativa simples e do agrado e todos é um fondue de chocolate com morangos, bolachinhas secas e pedaços de donuts.
Ninguém necessita de ser um grande cozinheiro para receber pessoas em casa, mas se simplificar em vez de tentar fazer receitas complicadas que nunca experimentou e que lhe vão ocupar o tempo mesmo antes dos convidados chegarem, vai ver que tudo correrá melhor.
Simplifique a ementa e as tarefas, organizando tudo o que puder de véspera. No dia ponha uma mesa bonita, organize e ultime as coisas na cozinha e tenha tempo para se arranjar e assim receber os convidados com um sorriso nos lábios e sem stress. Afinal o que deseja é passar um bom momento com os seus amigos em vez de estar desesperada, cabelo em desalinho, cozinha caótica e avental posto quando os seus convidados finalmente aparecem para jantar.

quinta-feira, 12 de Julho de 2012

As Compotas, os Frascos e o Natal


Cá por casa já começou a época das compotas. De pêssego e baunilha, marmelade de limão, de kiwi e limade ameixa .... Não quero ser repetitiva, mas se querem fazer compotas para oferecer no natal ou noutra época do ano, e têm agora excesso de frutas está é a altura de as prepararem. Principalmente se têm - ou algum familiar próximo ou amigo tem - árvores de fruto e recebem cestos com fruta como acontece cá por casa. Fruta que vem dos avós e de casa dos sogros.
Volto novamente a repetir  - porque todos os dias recebo emails com esta pergunta - que as compotas não se estragam até ao natal. Aliás, desde que usem frascos devidamente esterilizados (como explicado aqui), não cortem no açúcar, pois é o açúcar que permite que as compotas se conservem, e deixem o doce ferver bem até atingir o ponto, não há motivo para que as compotas não durem ANOS. Acabei recentemente de consumir um frascos de geleia que fiz em 2008. E estava perfeito. Claro que depois de aberto guardei no frigorífico, mas até lá esteve bem fechado (tinha sido virado de cabeça para baixo e tinha criado o vácuo natural) e guardado num local escuro e seco: na despensa.
Portanto aproveitem agora para preparar compotas. Mesmo que queiram fazer compotas e tenham que comprar fruta, aproveitem esta altura para a comprar no mercado, a pequenos produtores. Há maior abundância e por ser fruta da época será mais barato. Claro que o ideal é poderem usar fruta "caseira". (Como tenho a sorte de poder fazer cá em casa!)
Mas depois de preparar as compotas, vem o dilema dos frascos para a guardar. Cá em casa não se compram frascos. Ao longo de todo o ano os frascos de vidro são religiosamente guardados na despensa. Tenho também a sorte da minha cunhada D. e da minha amiga C. me guardarem frascos de vidro que me vão trazendo depois ocasionalmente. E assim vou juntando para que nunca faltem na altura em que as compotas começam a sair da cozinha. Se costumam ter poucos frascos de vidro para as vossas compotas, porque não começarem a pedir a amigos e familiares para vos guardarem os deles?
O mais difícil poderá ser remover os rótulos dos frascos que tantas vezes vêm tão agarrados que é um castigo para tirar tudo aquilo. Ora bem. Coloquem todos os frascos numa bacia com água quente e com um pouco de detergente para a louça e deixem ficar de molho de um dia para o outro. Vão ver que no dia seguinte os rótulos saem facilmente. E se mesmo assim existirem alguns mais difíceis de sair, nada que um daqueles esfregões de palha de aço fininha com sabão não resolva em segundos.
Depois de retirarem os rótulos basta então esterilizar bem e estão prontos a usar nas vossas compotas caseiras.
Só um pequeno aparte, acerca do Natal. Muitas vezes, quando falo nos cabazes de natal, lá vem as vozes criticas dizer que se gasta dinheiro nos frascos, no gás, na eletricidade... E que é mais caro dar um frasco de compota do que comprar uma prenda simbólica. Mas eu não compro frascos. E tenho a sorte de não ter que comprar a fruta com que preparo as minhas compotas. Claro, gasto no açúcar e no gás. Mas um quilo de açúcar dá para 4 frascos de compota (cerca de  0,25€ por frasco em açúcar) e se fizerem bem as contas, provavelmente nem gastam 1€ de gás por dia, portanto duas horas de gás é um valor mínimo a pagar por um mimo de natal. O resto é apenas o tempo que gasto a arranjar a fruta e a preparar os frascos. Mas é esse tempo que tem valor, ao contrário de uma prenda comprada em 5 minutos. E é isso que gosto de oferecer: a minha dedicação nos mimos que faço. E é isso que é tão difícil para tantos entender!
Posto isto, é altura de começar as compotas e a preparar o Natal. E sei que não sou a única.

terça-feira, 10 de Julho de 2012

Notícias da Horta 6



A horta não está esquecida! Continua a crescer e a alterar-se todos os dias.
Neste momento há imensos tomates, alguns já vermelhinhos e outros ainda verdes. Os tomates cereja é que estão mais atrasados, mas a julgar pela quantidade de flores, parece-me que vamos ter alguns para colher.
As segundas alfaces, ao contrário das primeiras que estavam enormes e bonitas, estão mirradas e todas espigadas. Já me disseram que é deste tempo, mas tenho pena de não voltar a ter as fantásticas alfaces que já aqui mostrei.
Os pimentos estão a crescer e, apesar de uma moléstia qualquer que os atacou e que tenho andado a combater com uma mistela caseira, parecem-me bem e já se vem minúsculos frutos a começarem a queres aparecer.
As courgetes são mais uma brincadeira que outra coisa, pois não crescem mais do que 5 cm, mas tem sido engraçado ver como se desenvolvem.
A rucula não deve gostar muito de estar nos vasos - ou na minha varanda - pois continua feia e espigadita, mas eu não desisto dela e lá a vou regando e tratando como posso.
Os coentros estão completamente espigados e cheios de semente que vou aproveitar para voltar a semear e a salsa continua muito pequenina.
As framboesas continuam a dar e já apanhei mais de 10 framboesas deliciosas, o que me não me parece nada mal para apenas 1 pequeno pé. Os primeiros morangos já foram colhidos há uns tempos, mas há tantos novos rebentos que acredito que ainda vai acontecer uma nova colheita.
O limoeiro lá continua com limões, folhas novas e novos frutos, assim como a hortelã, o tomilho e o louro que continuam sempre bem.
O manjericão está cheio de folhas perfumadas mas teve de mudar de sítio. Vive agora dentro de casa, ao pé da janela cheia de luz e calor e parece que está a gostar ainda mais da nova casa.
Entretanto há um manjerico que continua viçoso e bonito e plantei espinafres no sábado. Para já estão muito murchinhos, mas vamos a ver o que isto vai dar.
O melhor de tudo é o meu mirtilo. Pensava que estava irremediávelmente perdido, poiso ano passado secou e caíram todas as folhas. Apesar de ter pensado que não havia nada a fazer, continuei a regá-lo, apesar de todos me aconselharem a deitá-lo fora. Mas fui recompensada, e fiquei tão mas tão contente quando um dia reparo num tímido rebento a nascer do tronco aparentemente seco. Portanto há novamente um mirtilo na varanda que, obviamente não dará frutos tão depressa, mas que espero que tenha uma história para contar no próximo ano.
E como estão as correr as vossas hortas?

quinta-feira, 5 de Julho de 2012

Para um Piquenique...

Não há nada como a chegada do bom tempo para começar a planear piqueniques. Adoro! A possibilidade de um dia bem passado, de ter de cozinhar algumas coisas diferentes, de passar tempo com os amigos...Depois do sítio decidido, da distribuição de tarefas e receitas com os restantes convivas, o piquenique está praticamente preparado... Principalmente se tiverem um kit para piqueniques sempre pronto a usar como nós!
Não é preciso muito. Basta um cesto - mas também podem usar um saco resistente - recheado de essenciais para piquenicar. No meu cesto há conjuntos de pratos, copos e talheres de plástico reutilizáveis. São mais caros que os descartáveis, mas compensam porque podem ser usados e lavados quantas vezes quisermos. Há também uma toalha (aos quadrados, pois então!), uma manta própria para piqueniques com a parte de cima em tecido e a parte de baixo em oleado. No cesto há ainda guardanapos de papel, uma caixinha com pacotes de açúcar (para o café que nunca falta), sacos de plástico para o lixo, uma boa faca e um termo (para o café). Tudo isto está sempre guardado e pronto a usar dentro do cesto de piqueniques. Assim, quando planeamos a nossa saída, basta preparar os alimentos pois tudo o resto já se encontra pronto.

O sítio está escolhido, o kit para piqueniques a postos. Já só falta mesmo saber o que cozinhar. Se alguns sítios têm a possibilidade de preparar churrascos, outros não permitem estas preparações. Por isso, há que saber o que levar e cozinhar. Em baixo seguem algumas sugestões do que pode cozinhar para um piquenique delicioso.
Para o dia do piquenique basta colocar a comida, juntamente com fruta, água e outras bebidas num saco térmico, pegar no cesto de piquenique e seguir para o local escolhido. E se forem como nós, não se esqueçam do termo cheio de café, uns jogos para animar, chapéus e protetor solar!
Bons piqueniques!

- Asinhas de Frango Fritas
- Bola Rápida de Presunto e Bacon
- Folhadinhos de Camenbert com Compota de Maçã
- Salada Primavera de Frango e Arroz
- Tortilha de Courgete e Cenoura com Salsicha
- Salada de Verão
- Empadinhas Rápidas
- Salada de Massa e Atum com Molho de Iogurte
- Quiche de Tomate, Pesto e Mozarella
- Salada de Rucula à Italiana
- Enroladinhos Folhados
- Bolos de Bacalhau
- Quiche de Queijo, Fiambre e Cogumelos
- Entrecosto com Mel, Lima e Coentros

- Bolo de Maçã e Mirtilos
- Bolo de Larnja com Iogurte
- Bolo da D. Lurdes
- Muffins de Banana com Manteiga de Amendoim

terça-feira, 3 de Julho de 2012

Ideias para poupar tempo quando se cozinha



Todos os que cozinham regularmente sabem como é importante ter alguns truques na manga que nos ajueam a rentabilizar melhor o tempo.Quem, como eu gosta de cozinhar, teria  idealmente todo o tempo do mundo para dedicar a esta tarefa, mas todos sabemos que não funciona assim. Quantas vezes se chega a casa em cima da hora de jantar e com tantas coisas para fazer que, todas as tecnicas que pudermos usar para poupar tempo serão bem vindas.
Claro que não há tecnicas milagrosas, e a maioria exige que, durante o fim de semana, se preparem algumas coisas que nos permitem ganhar tempo durante a semana. Mas acreditem que vale a pena.
Ficam aqui as ideias mais usadas na minha cozinha.

Saladas prontas a usar:
Quando compra a alface separe as folhas uma por uma e lave-as muito bem em água corrente. Prepare-a depois ripando as folhas e seque-a bem num secador de saladas. Coloque-a depois pronta a usar num saco com fecho ou numa caixa hermética e terá salada pronta a usar durante a semana. O mesmo poderá ser feito com espinafres prontos a saltear ou outros legumes de folha. Antes de ir para a mesa basta colocar a salada pronta a consumir numa taça e temperar. (Veja mais aqui!)

Tempero de salada sempre à mão:
Numa garrafinha de plástico ou vidro ou num simples frasco coloque 3 partes de azeite para uma parte de vinagre ou sumo de limão e tempere com sal. Agite bem e terá o seu tempero para a salada sempre pronto a usar. Guarde normalmente junto do azeite e vinagre.

Cafeteira Eletrica:
Se está a preparar um arroz, a fazer uma sopa, a cozer uma massa ou simplesmente precisa de água bem quente para acrescentar a qualquer prato, use uma cafeteira eletrica pois é muito mais rápida a aquecer a água do que colocando normalmente ao fogão. No caso de estar a ferver água para cozer massa, por exemplo, deverá ao mesmo tempo tempo que liga a cafeteira eletrica, colocar a panela com um fundo de água ao lume. Assim, ao juntar a água a ferver na panela já quente esta não baixa a temperatura e a água está pronta (em ebulição) a receber a massa. Enquanto prepara o refogado de um arroz  ou salteia os legumes para a sopa, coloque a água a ferver e assim poupará alguns minutos.

Molho para Grelhados:
Se faz grelhados em casa habitualmente, que tal ter sempre pronto um molho simples para os temperar? Num frasco de vidro coloque um pouco de azeite, alho picado, piri-piri, sal e pimenta, louro partido ou outros temperos a gosto e agite bem. Guarde no frigorífico e, quando estiver a grelhar frango ou carne de porco bastará ir pincelando com o molho já pronto. (Saiba mais aqui.)

Massa de Alho Caseira:
Na maioria dos dias, começamos um cozinhado com um refogado. Ter os alhos prontos a usar poderá ser uma opção rápida. Descasque uma ou duas cabeças de alho, Na picadora (eu por acaso costumo fazer no moínho de café) coloque os dentes de alho descascados e um pouco de sal e triture até fazer uma pasta. Coloque depois num frasquinho e cubra com um pouco de azeite. Alho já picado para um refogado, assados ou salteados. Se costuma fazer comida indiana com frequencia poderá também preparar uma pasta de alho e gengibre fresco - seguindo o mesmo método - para ter sempre disponível.

Deixe a descongelar durante o dia o que vai preparar para o jantar:
Quer use ou não o método da ementa semanal, não sai de casa sem deixar a descongelar o que vai preparar para o jantar desse dia. Assim, ao chegar a casa já não perderá tempo a pensar o que vai cozinhar e poderá logo começar a cozinhar sem perder mais tempo.

Prepare no fim de semana:
Se prepara uma ementa semanal, poderá aproveitar algum tempo ao fim de semana para organizar e planear a sua semana na cozinha. Se vai cozinhar alguma coisa com molho de tomate prepare-o durante o fim de semana e guarde-o depois no frigorífico ou no congelador e assim poupará algum tempo de preparação. Faça o mesmo com legumes para a sopa, por exemplo, ou então prepare uma maior quantidade ao fim de semana e congele ou guarde no frigorífico para toda a semana.

Acondicione depois e comprar:
Assim que chega das compras acondicione a carne ou o peixe de acordo com o seu planeamento de refeições. Congele o frango já partido em pedaços e sem a pele. A carne já nas doses que necessita, o peixe separado pelas refeições. Assim, depois de descongelado está pronto a cozinhar sem lhe exigir mais tempo de preparação.