sexta-feira, 28 de Setembro de 2012

A menos de 3 meses do Natal

Parece que ainda falta muito tempo, mas como diria uma pessoa que eu conheço, estes últimos meses do ano passam a correr, e não tarda nada é Natal.
Eu sei que muitos ainda nem sequer começaram a pensar nisso, mas cá por casa, há muita coisa preparada e pensada, porque até ao final do ano ainda há muitas coisas para fazer e já se sabe que depois o tempo não chega para tudo.
Como sabem, poucas são as prendas compradas porque os mimos caseiros são aquilo que verdadeiramente gosto de oferecer. No entanto há os muitos sobrinhos – os verdadeiros e os de coração – que recebem sempre umas prendinhas, bem como os avós, irmãos e cunhados. E neste campo está tudo comprado embrulhado e arrumado desde meio de Agosto, porque há que aproveitar os saldos e as promoções e além disso é o que eu menos gosto de fazer, principalmente em shoppings apinhados de gente. Ninguém faz segredo disso na família, todos o fazem e sabemos bem os tamanhos, os gostos e as necessidades de cada um. E se não sabemos perguntamos para podermos realmente oferecer o que é útil e necessário, sem encher a casa com coisas sem interesse. Além disso  nós somos os “tios chatos” que não oferecem brinquedos. Só livros, roupa ou qualquer outra coisa didática. E como todas estas crianças têm mais brinquedos do que os necessários acreditem que os pais até agradecem.
Quanto a prendas, faltam mesmo só as prendas dos pais, mas essas resolvem-se facilmente e não é necessário comprar com antecedência. O ano passado ofereci  uma máquina de café aos meus pais porque a deles tinha avariado. Acabou por não ser o que tínhamos pensado, mas sim o que seria mais útil e necessário para quem toma café em casa mais de duas vezes por dia!
Da cozinha têm continuado a sair -  à medida do tempo da cozinheira e dos ingredientes caseiros que vão chegando – os diversos componentes dos cabazes que, este ano, vão ser diferentes do habitual, mas que a seu tempo contarei apesar de poder estragar a surpresa a quem os receber. Mas sei que a ideia vai certamente ser útil para alguns.
Entretanto já comecei a receber vários mails com sugestões para os cabazes de natal. Aqui no blogue há imensas ideias nos anos anteriores, pelo que vos peço que façam uma pesquisa pelos meses de Novembro e Dezembro dos anos anteriores para ficarem com ideias e sugestões. De qualquer maneira, a seu tempo vão surgindo algumas dicas, tal é habitual, e já este ano falei de diversas coisas que tenho feito, como os licores, os pickles, o molho de tomate caseiro, as compotas… Ideias não faltam!
Aqui por casa estamos preparados e adiantados – talvez até demais! Mas ainda há tempo. Comecem as vossas listas, e a pensar no que podem fazer ou comprar qualquer que seja o vosso orçamento (e principalmente dentro do orçamento de cada um), disponibilidade ou habilidade. Estamos a menos de 3 meses do natal.

quarta-feira, 26 de Setembro de 2012

Notícias do Horta 8




A minha pequena horta continua a dar!
Os tomate chucha continuam em grande, e é incrivel a quantidade que um pequeno pé consegue produzir. Os tomate cereja estão mais timidos, mas acho que não gostam tanto do calor e do vaso em que estão aqui na minha varanda.
Há pimentos pequenos e vermelhinhos, e os morangos voltaram a dar, ainda em maior quantidade do que da ultima vez.
O limoeiro tem novos limões e as aromáticas continuam viçosas.
Claro que as courgetes nunca deram em nada e, apesar de crescerem alguns centimetros acabam sempre por definhar. A rucula também nunca vingou - está completamente espigada e feia. E apesar da rega o sol e o calor queimou os meus espinafres que estavam a ficar tão bonitos, Tenho esperanças que voltem a rebentar agora que a chuva chegou e o calor diminuiu.
É altura de começar a pensar em novas colheitas e de reestruturar a pequena horta.

quinta-feira, 20 de Setembro de 2012

10 Coisas que simplificam a minha cozinha


Quase todos temos pequenos truques, métodos ou utensílios que nos ajudam no nosso dia-a-dia na cozinha. Eu não era capaz de passar sem estas 10 coisas que estão sempre presentes na minha cozinha. Aqui ficam os meus pequenos “truques” para todos os dias!

1 – Massa de Alho : de compra ou feita em casa. É apenas alho esmagado com um pouco de sal que, na hora de fazer um refogado ou temperar uma carne poupam tempo por vezes precioso em descascar e picar dentes de alho. Tenho sempre um frasquinho no frigorífico.

2 –Ralador Microplane: Farta de ralar casca de citrinos (ou alho ou gengibre) e ficar com aquilo tudo agarrado ao ralador, nada melhor do que investir num artigo de qualidade. Um ralador microplane pode não ser muito barato, mas dura uma vida, é realmente eficaz e rápido de utilizar e aproveita ao máximo toda a casca dos citrinos para alem de ser perfeito para ralar alho ou gengibre em vez de o picar.

3 – Taça de desperdício: De cada vez que começo a cozinhar, tenho uma taça grande ao meu lado onde coloco todo o lixo e desperdício que vou fazendo quando estou a cozinhar: uma lata vazia, as cascas de ovos, as cascas da cenoura…. Assim não há lixo dentro do lava louças misturado com a louça que se vai sujando, e parecendo que não a cozinha parece logo muito mais arrumada. Quando acabo de cozinhar basta deitar fora (e reciclar) o lixo que está na taça.

5 – Tábua de cozinha sempre à mão: Não há quem não tenha tábuas de cozinha para cortar os mais variados ingredientes. Mas o que é ainda mais eficaz é termos um tábua sempre na banca da cozinha, daquelas que se adaptam a qualquer bancada. A minha é de bambu e está na banca ao lado do fogão sempre pronta a usar.

6 – Robot de Cozinha: Um simples robot de cozinha é realmente uma ajuda importante. Para cortar e ralar alimentos, para ajudar a fazer massas e biscoitos, triturar molhos ou fruta. (Quem vê o programa do Jamie Oliver “30 minute meals” facilmente percebe o que quero dizer – aprendi a usar o meu robot para massa de quiches e bolachas com ele há já muitos anos.)

7 – Margarina líquida: Apesar de não usar muitas vezes no meu frigorífico há sempre uma garrafinha de margarina líquida. Porque em tantas receitas é apenas para juntar 1 colher de sopa de margarina derretida e estar a sujar louça e desperdiçar tempo a derreter um nico de margarina ou manteiga. Basta abrir a garrafinha, e já está. (E antes de existirem os óleos em spray para untar formas de bolos, e como eu nunca gostei de fazer esta tarefa, usava sempre um esguicho de margarina derretida na forma que depois untava com um pincel de silicone. Mais rápido e eficaz era impossível)

8 – Óleo em Spray: A melhor invenção para untar formas de bolos. Rápido e sem ficar com as mãos todas gordurosas. Também eficaz para untar rapidamente uma frigideira para fazer uma omelete, por exemplo.

9 – Chapa de “grelhar”: Porque aquece num instante e tanto dá para “grelhar” peixe como carne, fazer ovos estrelados sem gordura, fazer várias pequenas panquecas ao mesmo tempo, para “grelhar” legumes, torrar pão para bruchetas ou tapas. O mesmo resultado é possível com uma grande frigideira anti-aderente.

10 – Molhos, Especiarias e Ervas Frescas: A primeira prateleira do meu frigorífico está carregada de molho e temperos – mostarda em grão, massa de pimentão, chutneys, achar, tahini, compotas, massa de alho, molho de ostra, teriaki, sweet chilli, ketchup… Pode parecer um exagero, mas são estas pequenas coisas que permitem cozinhar sempre coisas um pouco diferentes usando os ingredientes base de sempre, e como têm uma validade alargada duram imenso tempo no frigorífico. Uma boa variedade de especiarias disponíveis e de ervas frescas permite também criar rapidamente sabores novos e uma refeição saborosa para todos.

terça-feira, 18 de Setembro de 2012

Evitar o Desperdício Alimentar



Cá em casa sempre se evitou desperdiçar alimentos. De uma sobra da mistura de requeijão e espinafres que serviram para rechear uns rolinhos de beringela, uns dias mais tarde fiz uma massa com molho de requeijão e espinafres. Básico. Simples. E o mesmo que muitas famílias fazem todos os dias em suas casas. Mas mesmo assim muitos alimentos são desperdiçados todos os dias, em muitas casas e em muitos países diferentes. Porque conheço mais pessoas do que gostaria que deitam fora as sobras e uma refeição e que se recusam a comer comida que não foi feita no dia. Pessoas que até me vêm falar de "aproveitar" e no entanto não comem comida que tenha sido reaquecida ou até congelada porque já não está fresca. Fico espantada, de boca aberta e quase sem saber o que dizer (o que para quem me conhece é difícil de imaginar!)
Evitar o desperdício alimentar é mais do que comer todos as sobras que se encontram no frigorífico. É também ser conscientes quando vamos às compras e saber comprar apenas o que necessitamos para não acabar com alimentos fora da validade na despensa, ou amarelecidos e podres nas gavetas do frigorífico e na fruteira.
O desperdício alimentar passa também por uma utilização consciente dos alimentos que temos ao nosso alcance. É por isso que as muitas courgetes, tomates, pimentos ou pêssegos dos avós passam por diversas transformações - compotas, molhos, congelados em pedaços - para não serem desperdiçadas e não irem parar ao lixo. Uma compota dura vários meses, para não dizer anos, enquanto que os pêssegos ao natural têm uma validade limitada.
Não compreendo o desperdício alimentar e choca-me ler que na UE se desperdiçam cerca de 42% dos alimentos. Nem sequer consigo imaginar o que é simplesmente deitar fora quase metade dos alimentos que temos em nossas casas!
Mais do que o desperdício de dinheiro em comida que acaba no lixo, é saber que estamos a inutilizar comida que muitos não têm a possibilidade de comprar e consumir. É saber que as sobras do frango estufado do jantar de há dois dias que por "mania" muitos se recusam a comer, que o pão duro do dia anterior ou a banana madura e de casca escura vão parar ao lixo, em sociedades onde outras pessoas têm escassez de alimentos.
E evitar o desperdício alimentar só depende de nós:

- Vá às compras com uma lista apenas das coisas de que necessita, de modo a não comprar alimentos que vão inevitavelmente acabar esquecidos no frigorífico sem serem consumidos até irem parar ao lixo.
- De vez em quando veja a validade dos alimentos que tem na sua despensa. Evite deixar passar os prazos e se algum fim de validade se estiver a aproximar consuma-o quanto antes para evitar o desperdício.
- Aproveite as sobras de refeições anteriores para levar no dia seguinte na marmita para o escritório ou para instituir em sua casa o dia das sobras, em que se faz essa "limpeza" ao frigorífico. Se em sua casa "torcem o nariz" a comer comida do dia anterior, transforme-a num novo prato, Aproveite carne e peixe já cozinhados para empadão, empadas ou folhados. Legumes para tortilhas vegetarianas ou puré da sopa. Pão para fazer açordas, torradas, ou pão ralado.
- Não deixe as sobras de comida muito tempo no frigorífico. Antes de preparar uma nova refeição veja o que sobrou de outros dias e o que pode fazer com isso em vez de consumir novos alimentos e deixar estragar as sobras do frigorífico.
- Se tiver fruta a ficar demasiado madura ou um pouco tocada aproveite-a para batidos, sumos naturais ou simplesmente congele-a para mais tarde usar. O mesmo poderá fazer com legumes. Uma arca congeladora organizada pode ser uma boa ferramenta para evitar desperdícios.
- Se tiver uma horta ou um quintal e muita abundância de frutas e legumes, não os deixe estragar. Distribua-os pelas seus amigos ou familiares - ou até por uma instituição de caridade -, e aproveite também para fazer compotas, molhos, bolos, ... Qualquer solução é melhor do que deitar alimentos fora.
- Seja consciente e pense bem antes de deitar algum alimento fora. Poderá não estar bom para ser consumido pela sua família mas será que não pode acabar a alimentar o cão, as galinhas ou outros animais?

quarta-feira, 12 de Setembro de 2012

Um projeto decorativo por menos de 8€

Há algum tempo atrás decidimos alterar o escritório cá de casa. Para nós não fazia sentido em ter uma divisão ocupada com a estante (a que passou pelo hall e que agora está no nosso quarto), uma secretária enorme e um monte outras coisas, quando afinal ninguém trabalhava no escritório.
Muito por causa dos computadores portáteis e das redes sem fios caseiras, que nos permitem acesso à internet, impressoras e todo o restante equipamento informático, eu acabo a trabalhar na cozinha, na mesa da varanda ou no sofá da sala. O Miguel, quando está em casa, acaba sempre a trabalhar onde eu estou, e acaba por o fazer sempre na mesa da sala. Qual o objetivo de termos uma divisão ocupada com algo que não usamos?
Depois das modificação e alterações o nosso antigo escritório transformou-se agora num misto entre segunda sala, sala de costura e quarto de brincadeiras com os sobrinhos. Todas as coisas referentes ao escritório - como arquivos, impressora e outros artigos - estão arrumadas num pequeno armário IKEA, que transformámos numa "office station". Ficou (para nós, claro está) uma sala muito mais funcional, limpa e arejada e mais simples de transformar em quarto de hóspedes quando necessário. Mas isto tudo foi já feito há cerca de um ano, e eu fui adiando o projeto decorativo para esta divisão. Até agora.
Na altura comprei 4 molduras muito simples IKEA (1,75€/cada) para lhes colocar algumas fotos a preto e branco, imagens ou frases. Decidi-me por algumas frases ou palavras e fiz uma  pesquisa através do google images. Copiei depois as imagens para o computador e importei-as para uma folha word que imprimi. (Certamente que haverá outras maneiras de fazer.) Depois foi só colocar nas molduras e pendurar na parede mesmo por cima do sofá.
Poderá também ser uma alternativa económica para aproveitar molduras antigas (transformadas ou não) e dar uma nova vida a uma divisão/parede.
Por cá gostámos muito do resultado deste simples projeto.

segunda-feira, 10 de Setembro de 2012

Pasteurização Caseira - Molho de Tomate

É normal, chegar a esta altura do ano e começarem a chegar os tomates grandes e maduros da quintinha dos avós.
Para além de saborosas saladas e em diversas preparações para o dia-a-dia, há muitas formas de os ir utilizando. Gosto também de os congelar - inteiros - para o inverno e de preparar doce de tomate, que é o meu favorito, e um grande panelão de molho de tomate caseiro para ir utilizando à medida das necessidades.
Normalmente, preparava o molho de tomate que depois congelada em pequenas doses individuais, para utilizar como molho de massas, nas pizzas caseiras, como base de um refogado ou de um estufado. Entretanto o ano passado fiz as coisas de forma diferente e, depois de devidamente testado e aprovado, voltei a fazer este ano e venho agora aqui partilhar.
O método não é novo, mas eu tinha algumas dúvidas se resultaria. Falo da pasteurização caseira. Desta forma, consigo conservar o meu molho de tomate em frascos devidamente esterilizados fora do congelador. Guardo-os na despensa, e é igual a comprar qualquer molho de compra. Quando os abro estão em perfeitas condições e faz o barulho típico de uma embalagem que esteve devidamente fechada e guardada em vácuo.
Este método serve não só para o molho de tomate, como para quase todos os tipos de conservas e compotas que façam. Entretanto passei a fazer o mesmo ao curd de limão, mas conheço quem faça diversas conservas de legumes e de frutas utilizando sempre esta forma de pasteurização caseira.
O mesmo pode também ser feito com as compotas tradicionais garantindo a sua preservação.  (Eu não o faço, pois nunca tive nenhum tipo de problema em conservar os meus doces, usando o método de vácuo natural ao virar os frascos do doce de "cabeça para baixo", mas eu também deixo o doce atingir o ponto correctamente e faço-os com a quantidade devida de açúcar!)
A pasteurização em casa é muito mais simples do que podem estar a pensar. Depois de preparar o molho de tomate (ou outra coisa) basta colocar o molho ainda quente nos frascos devidamente esterilizados e também eles ainda quentes (para isso podem colocá-los uns minutos no microondas ou no forno). Os frascos devem ser cheios até cerca de 2cm do bordo. As tampas dos frascos, que devem ser sempre de metal, devem ser colocadas em água a ferver durante uns minutos e depois, também ainda quentes devem ser usadas para fechar os frascos. (O facto de se usarem as coisas quentes é para não permitir que haja o desenvolvimento de bactérias.)
Depois basta colocar os frascos cheios e bem fechados numa panela e encher com água até cerca de 2/3 da altura dos frascos. Leve depois a panela ao lume e assim que a água começar a ferver conte cerca de 10 a 15 minutos. Desligue e deixe arrefecer tudo completamente dentro da panela antes de retirar os frascos para os limpar, rotular e guardar na despensa ou num armário para utilizar quando necessário.
Fiz a experiência o ano passado e o meu molho de tomate esteve sempre impecável até gastar o ultimo frasco. O mesmo posso dizer do curd de limão, que também se conservou perfeito e sem se estragar durante largos meses.
Há que não esquecer que tudo tem de ser bem lavado e esterilizado, da mesmo maneiro que fazemos quando estamos a preparar compotas. A única diferença é mesmo ferver os frascos fechados durante alguns minutos. E não se preocupem que nada explode ou rebenta. Esta é também uma boa alternativa a quem não tem muito espaço de congelação e que não tinha uma alternativa para guardar molho de tomate já preparado.
Agora há uns quantos frasco de molho de tomate na despensa que, além de serem para usar cá por casa, têm também como fim outros planos natalícios!