quarta-feira, 31 de Outubro de 2012

Ervas Aromáticas em Azeite (para não deixar estragar!)


Desde que passei a ir com regularidade ao Mercadinho Biológico (neste caso do Jardim Botânico em Coimbra), tenho descoberto muitas coisas novas. Em cada barraquinha há conversas sobre como utilizar os ingredientes, quando foram apanhados, e como são produzidos. Conversa-se um pouquinho e até se trocam truques e receitas.
Não há nada melhor que saber que as cenouras que estamos a trazer foram colhidas nessa mesma manhã, ou que as abóboras pequeninas e amorosas que acabámos de comprar são deliciosas como sobremesa assadas com mel ou açúcar amarelo.
Neste ultimo sábado comprei um saquinho de coentros para uma massada de peixe. Disse que queria poucos, para não se estragarem durante a semana, pois se necessário voltaria a comprar, frescos da próxima vez. Então, além dos coentros trouxe uma dica para os conservar e ter sempre à mão.
Todos certamente já congelamos ervas aromáticas picadas em caixinhas. Eu faço-o muitas vezes, mas o que esta simpática vendedora do mercadinho me ensinou foi a congelar as folhinhas de coentros ainda inteiras em couvetes de fazer gelo, cobrir com azeite e levar ao congelador. Depois, ao cozinhar, basta juntar um ou dois cubinhos de azeite e coentros ao nosso cozinhado – no início, num refogado, ou no fim para finalizar, deixando o azeite derreter e juntamente com os coentros perfumar todo o prato.
Uma boa sugestão que já coloquei em prática. Simples e eficaz!

segunda-feira, 29 de Outubro de 2012

Máquina de Café: Capsulas ou Tradicional?


A questão das máquina de café de cápsulas vs as mais tradicionais tem dado muito que falar cá por casa, e pelos mais variados motivos.
Quando casamos (2006), as máquinas de capsulas ainda estavam a dar os primeiros passos e só havia um modelo. Ter uma máquina dessas era quase como que pertencer a um grupo especial de pessoas que não compravam café no supermercado, mas sim online ou numa das duas (na altura) lojas exclusivas em Lisboa. E não havia apenas um tipo de café, mas sim uma gama variada de intensidades diferentes e até edições especiais e cafés com sabores. Na altura o Miguel fez as contas e percebemos como ficava muito mais caro este tipo de café. Optamos por uma máquina tradicional de manípulo, apesar de eu ter ficado com pena de não termos uma máquina de capsulas.
A vida continuou e uns anos mais tarde - em 2008, e depois de eu ter aborrecido tanto mas tanto o Miguel que queria uma máquina de capsulas - acabamos por comprar uma. Deixamos de usar a máquina tradicional e só havia café xpto em todas as ocasiões. Um ano mais tarde fizemos as contas em quanto tinhamos gasto em café de capsulas, vs o que no ano anterior tinhamos gasto em café normal na nossa máquina normal. Gastámos cerca de 10 vezes mais em café! O que é uma grande diferença.
O argumento de que uma máquina de capsulas fica mais barato do que ir tomar café à rua não entra nestas contas. Estes são os cafés de habitualmente tomamos em casa, pois quando vamos tomar café fora, continuamos a ir tomar café fora e não o fazemos porque o café de casa não presta. E isto não foi uma decisão “económica”. Claro que o Miguel só me dizia que bem me tinha avisado.
Há no entanto vantagens numa máquina de café de capsulas. São mais simples de usar, são mais limpas, não enchemos tudo de pó de café e de borra por todo o lado e há quem diga que o café é melhor, apesar de isso ser uma questão discutível... E quando temos muita gente em casa é muito mas muito mas fácil ir tratar dos cafés – principalmente se prepararmos uma coffe station onde cada um se possa servir quando lhe apetecer um café.
Mas depois há a grande desvantagem do preço do café ( e não vale a pena falar da qualidade do café, porque se conheço quem defenda acerrimamente o café de capsulas, também conheço entendidos em café que não o suportam!)
Para quem bebe pouco café, ou apenas ao fim de semana ou que têm apenas a máquina para quando recebem visitas porque habitualmente não bebem café é uma excelente opção. Mas para quem bebe vários cafés por dia (em casa dos meus pais, por exemplo 3 pessoas bebem-se cerca de 10 cafés por dia) torna-se uma renda e é preciso ver se estamos dispostos a gastar assim tanto.
Cá em casa a opção tornou-se muito simples. No dia a dia a máquina de café tradicional, de manípulo é que é a escolhida. Nas festas e nos jantares de amigos ao fim de semana optamos pela máquina de capsulas por se tornar mais simples de usar, mais limpa e mais rápida.
Actualmente há varias máquinas de café de capsulas, mas os preços não diferem muito. E há também as cápsulas compatíveis – normalmente mais baratas – para essas máquinas. É tudo uma questão de opção, mas mesmo assim esse café continua a ser caro. Por um lado queremos uma máquina “exclusiva”, mas depois compramos café compatível porque é mais barato. Não seria então mais simples comprar uma maquina tradicional e gastar por mês uma embalagem de café de 2,5€ (cerca de 40 cafés, o que dá 0,06€ por café em vez de 0,35€ o preço de uma capsula?) E nem estou a falar do preço de café de marca branca ou de promoções….
No final é tudo uma questão de fazer contas. Se eu bebo 4 cafés por semana ou se eu bebo 4 cafés por dia. E se no meu orçamento não me importo de gastar 300€ por ano em vez de 30€ por ano em café. É mesmo uma questão que deve ser considerada na altura de comprar uma máquina de café, ou então de pensar se não será vantajoso trocar de máquina.

sexta-feira, 26 de Outubro de 2012

Ementa para a Próxima Semana #30


A pedido de várias pessoas as ementas retomam a programação habituais.

Segunda-feira, dia 29 de Outubro:
Jantar: Esparguete com Frango e Couve
Terça-feira, dia 30 de Outubro:
Jantar: Empadão de Arroz com Atum e Ovos
Quarta-feira, dia 31 de Outubro:
Jantar: Bolinhas de Carne com Molho e Iogurte
Quinta-feira, dia 1 de Novembro:
Almoço: Carne de Porco com Alecrim e Batatas Salteadas
Jantar: Pizza de Figos, Pera e Queijo de Cabra
Sexta-feira, dia 2 de Novembro:
Jantar: Arroz de Especiarias com Peixe
Bolo para o fim de semana: Bolo com Avelãs, Passas e Vinho do Porto
Sábado, dia 3 de Novembro:
Almoço: Bacalhau com Grão, Grelos e Broa
Jantar: Cubinhos de Frango com Molho de Tomate e Cogumelos
Domingo, dia 4 de Novembro:
Almoço: Lasanha de Pescada com Alho Francês
Sobremesa: Tarte de Abóbora
Jantar: Folhado de Fiambre e Emmental

Lista de Compras:
Atum
Carne de Porco
Alecrim
Massa Folhada
Queijo emmental
Fiambre
Ovos
Massa quebrada
Abóbora
Pescada
Alho francês
Placas de lasanha fresca
Queijo mozarela
Passas
Avelãs
Bacalhau
Grão de Bico
Grelos
Broa
Peito de frango
Tomate
Cogumelos
Figos secos
Rúcula
Queijo de cabra
Pera
Peixe branco
Coentros
Esparguete
Frango
Couve
Carne de porco picada
Iogurte natural
Limão
salsa

Na Despensa lá de casa:
sal
Pimenta
Azeite
Farinha
Açúcar
Manteiga
Fermento
Noz moscada
Canela
Arroz
pó de caril
Molho de tomate caseiro
Batata
Massa de pimentão
Vinho branco
Cebola
Alho
Louro
Mostarda
Vinho do Porto
Orégãos
Natas
Piri-piri
Cominhos
Leite
Linguiça

quarta-feira, 24 de Outubro de 2012

60 Dias para o Natal: Ideias de Presentes Caseiros



O Natal está a chegar. E como eu, há muitas mais  pessoas para quem o natal é a festa da família. Em o que importa é estar junto das pessoas que gostamos e de podermos juntos celebrar o nascimento de Jesus. Pessoas que gostam do natal pela tradição, pela lareira acesa, pelos doces tradicionais, pelas luzes da cidade, pelo cheiro a canela, pelas decorações, pelos sorrisos dos mais pequenos, pelo azevinho, pela ceia de natal, pelo peru assado, pelo bacalhau com couves, pelas canções de natal e pela missa do galo. É por isto que eu gosto do Natal.
Quem me conhece sabe já que os presentes que se compram há muito que estão comprados, e que dificilmente me verá em algum shopping durante o mês de dezembro. E sabe também que eu adoro dar coisas feitas por mim: compotas, chutneys, bolachinhas, marmelada, licores… Que gosto de dar e partilhar o que me dão, transformado pelas minhas mãos usando o meu tempo, a minha dedicação e a minha criatividade. Presentes únicos, simples e personalizados.
Os presentes caseiros podem ser mais ou menos dispendiosos, mais ou menos criativos, mais ou menos úteis, mais ou menos perfeitos, mas serão sempre uma oferta pessoal e um presente do coração. E esse é também o significado do natal. (Por isso a minha paciência para ouvir falar de presentes caseiros única e simplesmente por causa da crise já se esgotou há muito. Sempre ofereci presentes caseiros, antes de crises, cortes orçamentais, cortes de subsídios e demais rombos no orçamento familiar e sempre achei que os meus simples presentes eram verdadeiros presentes apesar de muitas vezes me custarem pouco mais do que tempo e originalidade.)
Claro que preparar presentes caseiros também custa algum dinheiro: o do açúcar, da farinha e da manteiga, da luz e do gás, para fazermos bolachas e compota ou outros mimos gastronómicos. Mas se usarmos a fruta do pomar, os marmelos apanhados à beira da estrada, a aguardente do avô que já ninguém usa e lá está a um canto, os frascos vazios que fomos guardando ao longo do ano, caixas vazias, pedaços de pano, podemos cortar alguns custos. E não temos que dar um grande cabaz. Apenas um frasquinho de compota com um rotulo bonito e uma receita de bolachinhas para acompanhar é já uma prenda caseira original. Ou um frasco de orégãos que apanhamos e secamos numa ida ao pinhal. Ou até um pequeno rebento de uma erva aromática da nossa varanda. Ou um saquinho de alfazema apanhada no verão. Ou algumas receitas escritas pelo nosso punho para oferecer à irmã ou cunhada que tantas vezes nos pediram. Tantas possibilidades a tão baixo custo que nos permitem oferecer presentes originais mesmo sem orçamento.

E ficam também algumas sugestões de presentes caseiros para começarem a preparar com tempo.

 Marmelada Rápida
Quem é que não gostará de receber uma tacinha de marmelada no natal? Aproveite agora a sazonalidade dos marmelos e prepare-a rapidamente na panela de pressão. Lave bem os marmelos e corte-os em quartos, sem descascar e apenas retirado os caroços. Coloque na panela de pressão e por cada quilo de marmelo preparado junte 1dl de água e 700g de açúcar. Conte 8 minutos desde que a panela começa a ferver e desligue. Triture bem com a varinha mágica, e distribua em tacinhas tapando-as com um pouco de papel vegetal. Deixe secar até ao natal e ofereça-as pelos seus amigos e familiares.

Chutney  de Outono
Aproveite as frutas e legumes que começam a aparecer agora e procure uma receita de chutney usando os ingredientes ao seu dispor. Como o chutney precisa de pelo menos 1 mês para desenvolver o seu sabor será um presente diferente para os seus amigos mais gourmet. Acompanhe o Chutney com um cartãozinho aconselhando o modo de utilização como por exemplo: “Sirva como acompanhamentos de carnes assadas ou queijos”

Mais uma Compota, mas seja original
Se há presente caseiro que se tornou quase universal são as compotas. Quase todos as fazem e as oferecem. Mas há mais numa compota do que simplesmente a colocar nas torradas do pequeno almoço. Junte ao seu frasquinho de compota uma receita de torta simples e sugira o doce como recheio da torta.

Azeites para Massas
Também o azeite aromatizado é um presente simples de preparar. Que tal fazê-lo um pouco diferente? Triture uma mão cheia de folhas de manjericão ou orégãos frescos ou tomilho e misture-lhe o azeite. Encha pequenas garrafinhas e deixe a desenvolver o sabor durante um ou dois meses. Ofereça o azeite de manjericão (orégãos ou tomilho) com a indicação de servir para temperar pratos de massas ou bruchettas.

Molho de tomate
Se ainda tem por aí alguns tomates maduros e vermelhinhos do verão, aproveite para preparar uma dose generosa de molho de tomate. Coloque depois em frascos esterilizados e pasteurize-os em casa. Guarde para oferecer no natal juntamente com a sua receita de bolonhesa favorita.

Licor de Canela
Nem todas as receitas podem ser tão simples como esta receita de licor, mas será certamente um presente simpático para oferecer. A 1 litro de vodka (ou aguardente caseira se tiver) junte 6 paus de canela e 500g de açúcar. Coloque num frasco grande que feche bem. Agite de vez em quando, para ajudar a dissolver o açúcar e deixe ficar durante um mês. A fim desse tempo  coe a mistura e coloque em pequenas garrafas. Está pronto a consumir.

Folhados com Doce de Maçã e Canela
Procure uma receita de compota de maçã e canela e prepare-a aproveitando as inúmeras variedades de maçãs que começam a aparecer nesta altura. Guarde-a em frascos esterilizados até ao natal. Ofereça a compota com um cartãozinho com uma receita de folhado de maçã e canela, em que bastará rechear uma base pronta a usar com a compota, pincelar com gema de ovo e açúcar e levar ao forno até a massa folhar.

Cabazes em caixas: Reutilizar e reciclar
Comece a guardar ou a pedir que lhe guardem caixas de cartão (de sapatos, por exemplo) e utilize-as depois para colocar os pequenos presentes caseiros que preparar. Forre-as com papel de embrulho de natal a seu gosto e terá o cabaz perfeito.

Cartões e Etiquetas: Personalize-os
Porque não começar a aproveitar as tardes de outono e inverno para começar a fazer postais de natal e etiquetas personalizadas para os seus presentes. Vá buscar as canetas e os lápis e coloque os miúdos a desenhar motivos de natal. Escreva depois umas palavras nos cartões e junte-os aos seus cabazes para os personalizar ainda mais.

Aproveite sempre os seus talentos
Os presentes feitos em casa não têm de ser comestíveis. Se tem jeito para desenhar, porque não começar já a preparar ilustrações para oferecer à sua família e aos seus amigos? Nada como ter um original em casa. Se o que a move é a costura, porque não oferecer bolsinhas, sacos para guardar calçado ou roupa suja? Se faz croché ou é a rainha dos bordados, que tal um cachecol, saquinhos bordados com alfazema para as gavetas, ou um paninho para colocar sobre a jarra da água? Há tanta coisa que pode fazer. Basta por mãos à obra e os seus talentos a render.

segunda-feira, 22 de Outubro de 2012

Uma” lição” de Economia Doméstica


Eu gosto de ter algumas coisas preparadas aqui por casa, prontas a utilizar e resolverem o jantar ou almoço numa qualquer necessidade, principalmente até, para usar quando estou sozinha e não ter de cozinhar só para mim, coisa que não gosto muito. Algo que gosto de ter sempre prontos a cozinhar são hambúrgueres caseiros. Raramente compro prontos. Escolho a carne, peço para picarem e depois preparo-os em casa – algo que não demora mais de 5 ou 10 minutos – e congelo-os individualmente tendo-os depois prontos para usar. Para isso nunca compro a carne picada embalada. Não porque duvide da qualidade da carne, mas porque a maior parte da carne picada embalada não é carne picada, mas sim preparado de carne picada, e na sua composição têm já vários ingredientes que eu não quero nos meus hambúrgueres, como farinhas e espessantes.
Numa  das minhas ida ao supermercado na semana que passou, reparei que os hambúrgueres de frango congelados de uma certa marca conhecida estavam com 50% de desconto. O negócio parecia bom: 10 hambúrgueres de frango por cerca de 3,49€.(em vez de 6, 99€) Mas no mesmo supermercado havia uma outra promoção em que 1kg de peito de frango custava 4,99€.
Eu prefiro sinceramente preparar os meus próprios hambúrgueres. Sei o que lhes coloco, como são preparados e que não levam nada mais do que sal, pimenta, e um bocadinho de cebola e alho picado.
Portanto não me deixei levar pela promoção e fui comprar cerca de 650g de peito de frango que me custaram 3,25€. Já em casa piquei a carne, juntei a cebola e o alho picado, formei os “discos” de carne e congelei. Exatamente 10 hambúrgueres de cerca de 80g/cada, prontos a consumir e 100% carne de frango.
Apesar de a diferença de preço não ser significativa, e de ter despendido algum tempo a prepará-los o meu produto final é sem dúvida melhor do que o produto que eu poderia ter comprado congelado.
Na verdadeira economia doméstica não é só o preço que conta, mas também a qualidade dos ingredientes. O objetivo é conseguirmos a melhor qualidade ao melhor preço possível. E isso é uma verdadeira economia doméstica. Aqui fica o exemplo.

sexta-feira, 19 de Outubro de 2012

Ementa para a Próxima Semana #29


Segunda-feira, dia 22 de Outubro:
Jantar: Frango com Cerveja e Sopa Rabo de Boi
Terça-feira, dia 23 de Outubro:
Jantar: Rolinhos de Beringela com Requeijão e Espinafres
Quarta-feira, dia 24 de Outubro:
Jantar: Bacalhau na Cataplana
Quinta-feira, dia 25 de Outubro:
Jantar: Assado de salsichas Frescas com Tomate e Queijo
Sexta-feira, dia 26 de Outubro:
Jantar: Filetesde Pescada com Especiarias e Limão
Bolo para o fim de semana: Bolinhos de Banana e Chocolate
Sábado, dia 27 de Outubro

Almoço: Ovos Escalfados Gratinados com Espinafres e Cogumelos
Jantar: Tentáculos de Pota no Forno à Lagareiro
Domingo, dia 28 de Outubro:
Almoço: Bifes com Molho Cremoso de Cogumelos
Sobremesa: Peras Escalfadas com Baunilha
Jantar: Pataniscas de Pescada com Espinafres

Lista de Compras:
 
Ovos
Bananas
Chocolate culinária
Frango
Cerveja
Sopa de rabo de Boi
Beringela
Requeijão
Espinafres
Bacalhau
Pimento
Tomate
Coentros
Filetes
Limão
Salsa
Tentáculos de pota
Peras
Vagem de baunilha
Bifes
Natas
Cogumelos
Salsichas frescas
Queijo ralado
 
Na Despensa lá de casa:
 
sal
Pimenta
Azeite
Farinha
Açúcar
Manteiga
Fermento
Noz moscada
Pão ralado
Queijo parmesão
Molho de tomate caseiro
Batata
Cebola
Alho
Louro
Piri.piri
Açafrão das indias
Cominhos
Malagueta
Tomilho
Leite
Molho Pesto

quarta-feira, 17 de Outubro de 2012

10 Coisas para Fazer durante o Outono


Eu sou uma pessoa que gosta do Outono. Que anseia pelos dias de chuva e de frio, entre a vontade de preparar bolos e bolachas, de acender a lareira e de beber chá a escaldar. Nesta época do ano não resisto a preparar a marmelada, de fazer estufados reconfortantes, de apanhar folhas secas para uma tábua de queijos. Deixo-vos hoje como sugestão 10 coisas que podem fazer durante o outono, que não exigem grandes gastos, para além de garantirem bons momentos, partilha e ideias para pôr em pratica.

1 - Compre e cozinhe com os alimentos da época
Com a chegada do outono começam a aparecer as abóboras, as romãs, as castanhas e as uvas. E também as maçãs e as peras. E as primeiras couves e folhas de horto. Aproveite os produtos da época para organizas as suas ementas e fazer saborosas refeições.

2 –  Sopas quentinhas como entrada
Quando começa o tempo mais frio não há nada melhor do que uma sopa para servir de entrada, quer nas refeições do dia a dia, quer quando se recebem amigos e familiares.  Experimente um surpreendente creme de abóbora assada. Depois de preparada tempere a abóbora com sal e pimenta, um fio de azeite e leve-a a assar no forno. Quando estiver macia reduza-a a puré e acrescente água a ferver até ficar com um creme espesso mas sem grumos. Sirva polvilhado com amêndoa torrada laminada.

3 – Passe uma tarde a “compotar”
Aproveite os frutos do outono, como os marmelos, as abóboras, as maçãs ou as peras e prepare umas compotas caseiras. Além da marmelada faça também uma geleia aproveitando os caroços, e junte nozes ao seu doce de abóbora e sirva-o depois, como sobremesa ou entrada juntamente com um pouco de requeijão de Seia. E aproveite assim uma tarde do seu fim de semana, pois cozinhar também ajuda a relaxar!

4 – Prepare comidas de forno
Se no verão está demasiado calor para ligar o forno, com a chegada do outono este passa a ser ferramenta essencial na cozinha de quase todos os dias. Carnes lentamente assadas e bem temperadas, pratos de bacalhau no forno, bolos e bolachas. Cheiros, e sabores que nos fazem sempre sentir no outono.

5 – Uma sobremesa de Outono :Cheesecake de Requeijão com Doce de Abóbora
Triture um pacote de bolacha maria e junte-lhe cerca de 75g de manteiga derretida. Amasse bem e forre o fundo de uma forma de mola com a mistura. Esmague depois dois requeijões de Seia com 150g de queijo fresco e açúcar e canela a gosto e verta sobre a base de bolacha. Leve ao frigorífico a prender. Antes de servir desenforme e cubra com doce de abóbora caseiro.

6 – Prepare uma tábua de queijos outonal para receber os amigos em casa
Não precisa de uma grande variedade de queijos para conseguir um efeito bonito. Duas ou três variedades serão suficientes. Forre depois uma tábua de madeira ou prato, de forma harmoniosa com folhas secas de tons acastanhados, amarelados e avermelhados, que deverá limpar bem antes. Sobre as folhas coloque os queijos e rodeie-os depois com frutos secos: ameixas, figos, alperces, nozes e amêndoas, por exemplo. Ao lado coloque pequenas tacinhas de vidro transparente (podem ser pequenos copos de shot) com compotas variadas e uma cesta com pão e bolachas. Fica também muito bonito e apelativo se colocar junto dos queijos um prato de frutas frescas como uvas, pera ou maçã para acompanhar com os queijos. Tamto poderá servir como entrada como uma sobremesa diferente

7 – Uma refeição para os amigos rápida e saborosa
Prepare um assado para receber os seus amigos. Não necessita de muitos cuidados e poderá ser preparado facilmente deixando-lhe tempo para outras tarefas, como colocar e decorar a mesa. Corte em nacos lombinho de porco e tempere-o com massa de pimentão, sal, pimenta, louro, alho esmagado e vinho branco. Deixe a marinar de um dia para o outro. Coloque depois num tabuleiro que vá ao forno, juntamente com a marinada e tape bem com papel de alumínio. Leve a assar até a carne estar macia e depois retire o papel apenas para alourar um pouco. Sirva com umas migas de feijão, broa de milho e couve e uma batatinhas “a murro”.

8 – Ementas para o Outono: Sugestões para preparar a ementa semanal
Agora que começa a preparar as suas ementas semanais para o outono, escolha refeições de ”um tacho só”, onde poderá juntar a carne ou o peixe com os acompanhamentos e os legumes. Caçarolas, guisados e estufados. Tudo servido bem quente e a fumegar. Uma verdadeira comida de conforto.

9 – Experimente fazer o seu próprio pão
É a partir desta estação que tenho mais vontade de fazer pão em casa. Porque tal como o outono é reconfortante e aconchegante preparar o meu próprio pão. Se nunca o fez porque não experimentar? Vai ver que é uma atividade divertida e poderá incluir e ensinar à crianças como o pão é feito.

10 – Viva o Outono
Fala-se muito na depressão sazonal, e em como as pessoas se sentem mais tristes e deprimidas durante os meses mais frios. Tente combater esse estado de espírito. Saia de casa e vá passear até ao parque ou jardim botânico. Aprecie as cores do outono, o cair das folhas e as mudanças nas arvores e nas flores. Tire fotos, espalhe as folhas secas e divirta-se, mesmo de galochas, com as crianças. Compre legumes e frutas outonais, mesmo os que não conhece e experimente paladares e combinações de sabores: carne de porco com marmelos assados, puré de abóbora com frango estufado ou pão de nozes.

segunda-feira, 15 de Outubro de 2012

Dos Marmelos, Maçãs, Pimentos e Tomates


Muitas coisas se têm passado aqui pela cozinha. A semana que passou trouxe os primeiros marmelos, muitas maçãs e os últimos pimentos e tomates dos avós.
É muito bom receber e partilhar todas estas coisas, mas claro que há também algum trabalho envolvido para não deixar estragar nada.
Os marmelos foram apanhados à beira da estrada. E não pensem que andei por aí a “roubar”. Nas zonas mais rurais, onde há marmeleiros por todo o lado os donos até agradecem que levem alguns frutos uma vez que a maioria dos marmeleiros serve para delimitar terrenos e fazer de sebe e são poucas as pessoas que os conseguem utilizar todos. Se pedirem com jeitinho a maior parte das pessoas tem todo o gosto em oferecer um ou dois quilos para que façam umas taças de marmelada – foi o caso. Até porque a maioria apodrece no chão à medida que caem das árvores. Fiz então 2 quilos de marmelada e uns quantos frasquinhos de geleia a partir dos marmelos pequeninos mas sãos que foram apanhados.
Além disso a minha cozinha está também com umas belas cores outonais das maçãs que vieram de Alcobaça. Maçãs doces e sumarentas perfeitas para compotas, bolos ou simplesmente como sobremesa ou lanche.
Dos últimos pimentos e tomates acabei a preparar uma peperonata que guardei em frascos que depois pasteurizei. Basicamente é um molho de tomate com pedaços de pimento. Serve para servir como entrada, sobre fatias de pão torrado como se fosse uma bruschetta, por exemplo. E é mais um item que vai fazer parte dos meus cabazes de natal.
Ainda aproveitei para congelar tirinhas de pimento vermelho para os estufados e guisados de verão. O mesmo com o tomate. O que não acabou em molho de tomate pasteurizado, em peperonata ou em compota de tomate, está congelado para usar durante o inverno.
Há então marmelada a secar, e muitos frascos e frasquinhos de compotas e molhos feitos com ingredientes da época e prontos a consumir ou oferecer. E uma arca congeladora que se continua a preparar para o inverno…

terça-feira, 2 de Outubro de 2012

Orçamento para Supermercado

Haverá um orçamento tipo para gastar em supermercado? Quanto se deve gastar mensalmente em alimentações? Como é que há famílias que dizem conseguir gastar apenas 100€ em compras?
Estas são algumas das perguntas que me colocam com frequência acerca do orçamento familiar.
A maioria das pessoas não parece ter dificuldade em perceber e contabilizar os gastos com a renda da casa, com a luz, a água e o gás. Mas quando chegam à conta do supermercado começam as dúvidas.
Não há famílias iguais. Duas pessoas que só jantam em casa não podem ter o mesmo orçamento e gastos que uma família de quatro pessoas com crianças que fazem todas as refeições em casa. Se algumas conseguem gastar cerca de 100€ por mês para outras nunca menos de 250 ou 300€. Tudo é relativo e não há formulas secretas.
Planear refeições, comprar produtos mais baratos, aproveitar promoções e descontos, usar vales de desconto, fazer algum stock são "técnicas" que de uma maneira geral já utilizamos e não trazem nada de novo, e que para as pudermos colocar em pratica em alguns meses até exige um aumento de gastos e no nosso orçamento. Mas será possível um orçamento mais curto e mesmo assim manter uma alimentação correta? Eu acho que sim, mas nunca nos podemos esquecer de estabelecer orçamentos realistas dentro das nossas necessidades familiares e das nossas prioridades alimentares.

Cá em casa temos muita sorte com algumas coisas. Da horta dos avós chegam muitas coisas que não temos necessidade de comprar, principalmente batatas, legumes e alguma fruta. E por vários motivos não almoçamos durante a semana em casa. Portanto só há jantares e para dois, com a exceção do fim de semana em que há jantares e almoços de amigos ou de família com alguma frequência. Aproveito promoções, descontos, planeio refeições, uso vales de desconto e faço algum stock de produtos. Na minha conta de supermercado estão incluídos também, além da carne, peixe, frutas, mercearias, vegetais, leite e iogurtes, ...os detergentes e os produtos de higiene e limpeza. E mesmo assim, o gasto mensal anda entre os 150 e os 180€ mensais - e olhem que se cozinha muito cá em casa. Um orçamento curto para uns e demasiado para outros.

Preocupo-me com a relação qualidade/preço, com o consumo de produtos portugueses e com uma alimentação correta. Mas nada disso quer dizer que não estabeleça prioridades. Não se compram habitualmente alimentos processados ou pré cozinhados, refrigerantes, bolos, bolachas, take-away, molhos, salgadinhos, chocolatinhos ou afins. Mas há coisas que não dispenso e que faço "caberem" no meu orçamento. Tento só comprar produtos nacionais - como o leite e outros lacticínios, fruta, legumes, carne e peixe - mesmo que sejam um pouco mais caros, e não tenham promoções. E prefiro comprar os legumes que não me chegam de casa dos avós no mercado biológico semanal. Mas estas são opções minhas enquanto consumidora e que cabem no meu orçamento.
É por isso que acho que cada um de nós deve ter em atenção as suas necessidades e prioridades e não tentar que as suas necessidades caibam no orçamento de outras pessoas.

Algumas simples  sugestões que podem ajudar a controlar um pouco o orçamento do supermercado:

- Ao planear as suas refeições para a semana, lembre-se de pelo menos uma vez por semana criar um dia sem carne ou peixe e fazer uma refeição vegetariana ou com ovos.

- Intercale refeições mais dispendiosas com peixe ou carne acompanhado de arroz, massa ou batata com refeições mais económicas com massas e/ou enlatados, como saladinha de feijão frade ensalsado com atum e ovo cozido, ou massa com fiambre gratinada com molho bechamel.

- Ao domingo à noite, por exemplo, opte por um jantar mais leve com sopa (que deverá servir também a todas as refeições) e complemente com uma tosta, bruchetas ou até uma pizza caseira.

- As chamadas refeições de "um tacho só", são sempre mais económicas do que fazer uma carne ou peixe com acompanhamentos para todos. Se fizer bifes para quatro, precisará no mínimo de quatro bifes, um para cada um, mas se fizer um arroz de carne com legumes, a quantidade de carne a utilizar é sempre menor e é complementada com o arroz e os legumes.

- Comece todas as refeições com sopa de legumes. Além de ser nutritiva ficará logo mais saciado e comerá menos quantidade do prato seguinte.

- Opte por comprar fruta e legumes da época que são normalmente mais económicos.

- Aproveite para planear a ementa da semana à volta dos produtos em promoção no supermercado perto de si.

- Não desperdice comida e aproveite as sobras para novas refeições - fazendo uma quiche, misturando numa massa, fazendo pataniscas ou sonhos....  e assim ganhará uma nova refeição.

- Sempre que possível troque as marcas mais caras por marcas semelhantes mais económicas.

- Prefira fazer os seus proprios bolos, bolachas, empadas, rissois.... do que comprar as variedades processadas do supermercado. Além de ficar mais económico é certamente mais saboroso.