quarta-feira, 26 de Dezembro de 2012

Dos cabazes de Natal 2012







Apesar da falta de tempo lá com segui acabar todos os meus cabazes. Uns em caixas, outros em cestos, outros ainda em caixas recicladas e forradas com papel de embrulhos. Cabazes que foram em latas ou pratos. Houve cabazes de todas as formas e feitios. Muitos e para todos os gostos. Todos feitos com amor e carinho e entregues com um sorriso aos destinatários.
Cabazes com chutneys, licores, bolachas, molho de tomate e pickles. Com mistura de esparguete. Com compotas. Simples kit massas. Latinhas com gomas ou brittle de amendoim. Mini-bolos cozinhados na véspera de natal. Marmeladas de Outubro e compota de pêssego de Junho.
Pela primeira vez houve bolachinhas preparadas com a ajuda do Miguel – que este ano também quis colocar a mão na massa e ajudar a fazer.
Receitas escritas a acompanhar a maior parte dos cabazes, que foram acabadas de escrever ainda no dia 24… Enfim! A correria habitual, mas a mesma paixão de sempre, de poder dar o que faz com amor, dedicação e pelas nossas mãos.
Espero que os vossos cabazes tenham sido bem recebidos e que tenham feito os vossos amigos e familiares felizes. Boas Festas!

sexta-feira, 21 de Dezembro de 2012

Sugestões para os cabazes de Natal #7 – Mini – Bolos

Com o natal mesmo à porta, certamente que os vossos cabazes de natal estão já quase terminados. Mas para os que ainda estão um bocadinho atrasados, ou que não sabem o que fazer, aqui fica mais uma sugestão: uns mini-bolos de frutos secos, quase como se fossem uns mini-bolos rainha, cuja receita está hoje no As Minhas Receitas.
As forminhas que utilizei, foram compradas na More Than Cookies, mas a falta das formas não serve de desculpa para não fazerem estes bolinhos.
Coloquem-nos em forminhas de alumínio ou moldem-nos em forma de bolo rei em miniatura. Depois de prontos e arrefecidos embrulhem-nos em película aderente ou coloquem-nos em saquinhos de celofane. Ponham uma etiqueta bonita e estão prontos a distribuir.
Acho que os meus bolinhos ficaram super amorosos, e tenho pena de me ter esquecido de lhes tirar uma foto depois de embalados e antes de seguirem viagem para presentearem umas pessoas muito especiais.
Esta é a última sugestão para os cabazes deste natal. Espero sinceramente que a partilha de todas estas ideias tenha sido de alguma utilidade, e que gostem tanto de preparar e oferecer estas oferendas caseiras como eu.

Boas Festas a todos!

terça-feira, 18 de Dezembro de 2012

Sugestões para os cabazes de Natal #6 - Lata com Sortido de Bolachas

A falta de tempo é sem dúvida o meu pior inimigo quando chego a esta altura, a uma semana do Natal. E presumo que não sou a única.
Apesar de o dia 25 estar quase a chegar, ainda há tempo para colocar em prática algumas ideias, e é a altura para começar com as bolachinhas. Diz a tradição cá de casa que as bolachas só se começam a fazer depois do meu aniversário, e à medida que vou distribuindo os cabazes.
Neste caso não há cabazes. Há sim uma latinha com bolachas que vai seguir viagem via CTT até chegar aos destinatários.
A ideia é simples: fazer um sortido de bolachas com a mesma massa base, mas variando os sabores e a formas para criar bolachas diferentes. Vi a ideia de fugida numa revista, mas usei uma receita conhecida, simples e habitual de bolachas. (Cuja receita encontram aqui!)
Fiz a massa, dividi-a em 4 partes. A uma misturei raspa de laranja. A outra essência de baunilha. A outra canela em pó e à última chocolate em pó.
Com a massa de laranja formei bolinhas e cobri com açúcar demerara. Com as de baunilha fiz também bolinhas e coloquei um pedacinho de chocolate ao meio para derreter. Com as de canela estiquei-a com o rolo, polvilhei com mais canela e enrolei como se fosse uma torta. Depois cortei em fatias fazendo um engraçado efeito de espiral. Com as de chocolate formei um rolo que passei em amêndoa ralada e depois também cortei em fatias.
Depois de prontas e arrefecidas, coloquei-as na lata dentro de forminhas de papel frisado, como as latinhas sortidas que se compram no supermercado.
E pronto, depois de decoradas, um miminho de natal pronto a seguir para o seu destino. E mais uma sugestão ainda a tempo do Natal.

sexta-feira, 14 de Dezembro de 2012

Ir Fazendo o Natal


O Natal é mais do que o dia 24 e 25 de Dezembro. É mais do que jantar, abrir os presentes, e almoçar no dia seguinte.
Para mim o Natal começa no dia 1 de Dezembro e só acaba no dia 6 de Janeiro. Começa com chocolate quente, músicas de natal e decoração da casa e da árvore. Continua com o apanhar do musgo e o fazer do presépio. Com a preparação dos cabazes de natal. Com as bolachinhas e os docinhos. É Natal quando preparo e decoro os cabazes, quando escrevo os postais de natal.
Durante o Natal decidem-se as ementas a fazer tanto para a ceia e dia de natal como para o meu aniversário. E é obviamente Natal quando se compram os presentes, quando se embrulham na mesa da sala atolada de coisas e quando se fazem mil e um encontros e jantares de natal com os amigos e colegas.
O Natal não se esgota em dois dias. Em um jantar e um almoço e alguns presentes abertos a correr. É tão mais do que isso. E vai-se fazendo, dia após dia. Nas luzinhas, no calendário de advento escrito todos os dias, na preparação dos postais e dos cabazes. Nos doces de natal. No peru ou no cabrito. No bacalhau. Nos votos de boas festas. Na família que se (re) encontra. Nas músicas de natal. Nos sorrisos. No presépio ainda sem menino Jesus e com os reis magos vagarosamente a chegarem cada vez mais perto, todos os dias mais um bocadinho. Nas tradições de cada um. Nas mudanças.
E depois ainda dizem que por causa disto ou daquilo não há Natal. Há sempre Natal. Porque reunir a família, partilhar uma refeição mais ou menos rica, celebrar o nascimento do Deus Menino e manter as nossas tradições fazem com que haja sempre Natal.
Na minha preparação para o Natal foi tempo de fazer e enviar os votos de boas festas, em postais personalizados.
E é assim que por aqui se vai fazendo Natal!

terça-feira, 11 de Dezembro de 2012

Sugestões para os cabazes de Natal #5 – Brittle de Amendoim


Aos poucos os cabazes desde Natal vão tomando forma. Há kit de massas para uns, e cabazes mais tradicionais para outros.  A seu tempo irei fazer as habituais bolachinhas e gomas para os mais novos. Mas há também que descobrir coisas novas para mimar a família e os amigos.
E que tal uns docinhos simples para juntar a outras coisas num cabaz, ou para dar só assim dentro de uma embalagem bonita?
Sugiro um brittle de amendoim, uma espécie de caramelo-nougat de amendoim, perfeito para servir , por exemplo, com um café.
Aqui fica a ideia (e a receita!)

Brittle de amendoim (para cerca de 400g - 2 saquinhos)

75g de açúcar amarelo
200g de açúcar
75g de golden syrup ou mel
25g de manteiga
½ colher de chá de bicarbonato de sódio
150g de amendoins (torrados e salgados)

Preparação:

Comece por untar com um pouco de óleo um tabuleiro. Reserve.
Num tacho coloque os dois açúcares e o golden syrup ou mel e acrescente 75ml de água. Leve ao lume até dissolver bem o açúcar. Junte depois a manteiga e mexa bem até estar derretida.
Deixe depois a mistura ferver cerca de 8 a 10 minutos mexendo de vez em quando. (A mistura deverá deixar de ser cristalina para ser opaca.)
Retire do lume e junte os amendoins e o bicarbonato de sódio de imediato, mexendo bem. Verta depois a mistura para o tabuleiro preparado e alise com a colher de pau de modo a que fique com a mesma espessura. Deixe arrefecer completamente.
Depois de fria parta a mistura em pedaços com a ajuda de um maço de cozinha e coloque em saquinhos de celofane, latinhas ou frasquinhos. Decore a gosto e coloque uma etiqueta bonita.
(Desde que bem acondicionado num saco, frasco ou caixa bem fechado, aguenta algumas semanas em perfeitas condições)

sexta-feira, 7 de Dezembro de 2012

Postais de Natal: faça-os, escreva-os e envie-os!


Cá em casa há uma tradição, quase perdidas pela maioria das pessoas, que se recuperou: os postais de natal!
Falo por mim, mas é tão bom abrir a caixa do correio e ver uma carta endereçada à mão por alguém que nos é querido. Uma carta pessoal. Algo mais do que as contas e a publicidade que nos enche diariamente a caixa do correio.
Não digo para agora deixarmos de envia emails e sms para passarmos a enviar cartas manuscritas mas, pelo menos no Natal, será que é assim tão difícil mantermos a tradição de enviarmos os tradicionais postais com cenas na neve, presépios, pais-natais, renas e árvores decoradas?
A culpa de tudo isto é do meu amigo Luís. Entre outros talentos, o Luís tem um jeito incrível para desenhar. Todos os anos recebo na minha caixa de correio um postal de natal desenhado por ele (e que normalmente representa uma cena natalícia pessoal!) com votos de boas festas. E o Luís mora a 1 km de distância de minha casa, e estamos juntos todas as semanas. Mesmo assim, todos os anos o seu postal de natal chega cá a casa. E invariavelmente é um dos meus favoritos.
O ano passado, e já contagiada por ele, passei também eu a enviar postais de natal aos amigos e familiares. Pedi as moradas e lá escrevi – à mão – mais de 30 postais de natal. Gostei muito de o fazer e espero sinceramente que quem os recebeu tenha sentido a mesma alegria que eu sinto, ao abrir a caixa do correio e descobrir um postal de boas festas.
E que me desculpem as pessoas que enviam postais de natal por email. Não é a mesma coisa e, para dizer a verdade eu não gosto de receber as boas festas por email de alguém que envia postais de natal da mesma maneira que se enviam conteúdos a partir de uma mailing list. É impessoal e, para mim, não tem nada de “natalício”. Não se podem colocar sobre a lareira ou no móvel da entrada. Não se podem guardar em caixas para mais tarde recordar. Não se lhes sente o cheiro a papel e, principalmente não se “sente” o carinho e o amor de quem os escreveu.
Este ano vou manter a tradição de escrever as boas festas. Não são precisas grandes mensagens, nem assim tanto tempo (uns bocadinhos depois de jantar em vez de ficar a ver as “novelas”).
Os mais habilidosos, como o meu amigo Luís, podem criar os seus próprios postais de natal. Com cartolinas, papel cavalinho, restos de tecidos, estrelas recortadas e desenhos feitos pelas crianças ou até restos de papel de natal, podem criar os seus próprios postais de natal. Ou então podem comprar alguns e ao mesmo tempo ajudar instituições como a Unicef, a Ami e tantas outras que vendem postais de natal para financiar uma causa. Depois é só escrever, e porque não juntar uma foto de família (ou fazer da foto da família a capa do postal) e enviar.
E depois esperar de volta sorrisos a abrir a caixa do correio, telefonemas animados e a retribuição das boas festas!

quarta-feira, 5 de Dezembro de 2012

Sugestões para os cabazes de Natal #4 – Kit Massas

Durante o verão, e na altura do tomate maduro que veio de casa dos avós, andei feita “formiguinha”. Preparei frascos e frascos de molho de tomate que pasteurizei. Fiz e pasteurizei também peperonata com os pimentos caseiros. E tudo com uma ideia em mente. Oferecer no natal.
Entretanto surgiu a ideia. Em vez de fazer um cabaz de natal mais tradicional com as habituais compotas, marmelada e bolachinhas, que tal presentear alguns amigos com um Kit Massas? Eu sei que eles gostam e é uma ideia diferente.
Ao molho de tomate caseiro e à peperonata juntei azeite aromatizado com manjericão do meu vaso da varanda, e ainda uma mistura de especiarias para esparguete que descobri no novo livro na Nigella Lawson (“Nigellissima”) e que encaixa na perfeição no tema dos meus Kit Massas de Natal.

Cada kit é composto por um frasco de molho de tomate caseiro, um frasco de peperonata, um frasco com mistura de especiarias para massa e uma garrafinha de azeite de manjericão .E ainda cartões personalizados, com receitas onde os diferentes condimentos são utilizados em saborosos pratos de massa. Uma ideia diferente para presentear os amigos este Natal.

Especiarias para Esparguete
(in “Nigellissima” Nigella Lawson, página 235)

Para 4 frascos de 110ml:
15g de salsa seca
15g de alho seco granulado
30g de piri-piri moído
45g de sal

Preparação:
Misture os ingredientes numa taça e coloque-os depois nos frascos. Feche bem e ofereça com instruções de uso.
(Coza 100g de esparguete em água temperada de sal e quando estiver cozinhado escorra-o. Polvilhe com 2 colheres de chá da mistura de especiarias e uma colher de sopa de azeite e envolva bem no esparguete, juntando ainda uma ou duas colheres de sopa da água da cozedura. Sirva)

Receitas para o Kit Massas:

Esparguete com Camarão e Tomate
Para 4 pessoas coza 300g de esparguete em água temperada de sal.
Entretanto salteie 400g de miolo de camarão em 1 colher de sopa do azeite de manjericão e tempere com sal e pimenta. Acrescente o molho de tomate caseiro e deixe levantar fervura.
Junte agora o esparguete previamente escorrido, envolva bem e antes de servir regue com um pouco mais de azeite de manjericão. Sirva de imediato.

Esparguete com Especiarias e Azeite de Manjericão
Para 4 pessoas coza 350g de esparguete em água temperada de sal.
Entretanto leve ao lume uma frigideira com 4 colheres de sopa do azeite de manjericão e 4 colheres de sopa da mistura de especiarias. Deixe aquecer bem e acrescente o esparguete previamente escorrido e um pouco de água da cozedura. Envolva bem e sirva.

Penne com Peperonata e Chouriço
Para 4 pessoas coza 300g de massa penne em água temperada de sal.
Corte 1 chouriço em rodelas e leve-o a cozinhar numa frigideira anti aderente até começar a libertar a sua gordura. Acrescente depois a pepeonata e deixe cozinhar uns minutos em lume brando. Junte depois a massa bem escorrida e envolva no preparado anterior. Sirva polvilhado com um pouco de queijo ralado.

Bruchetas de Peperonata
Para 4 pessoas torre ligeiramente 4 fatias de pão caseiro. Esfregue-as com um dente de alho e regue-as depois com um pouco do azeite de manjericão. Coloque sobre cada fatia de pão 1 colher de sopa de peperonata e termine com uma fatia fina de presunto. Sirva.

segunda-feira, 3 de Dezembro de 2012

Calendário de Advento – DIY


Cá em casa já é Natal. Dezembro começa com chocolate quente ao som de música de natal, com a decoração da casa e com a montagem do presépio e da árvore de natal. E assim foi. (Quer dizer, ainda falta a o presépio…)
Além disso, este ano havia outros projetos que queria colocar me prática. Um deles era fazer o meu próprio calendário de advento, que ao mesmo tempo fosse diferente e personalizável. E assim fiz.
Bastou um cordel de sisal, alguns pedaços de cartolina verde e vermelha, um marcador e pequenas molas decorativas. E imaginação!
Cortei 12 círculos de cartolina vermelha e 12 círculos de cartolina verde com cerca de 5cm de diâmetro. Cortei também um pequeno coração de cartolina vermelho.
Depois numerei os círculos vermelhos com os números ímpares de 1 a 23, e os verdes cm os números pares de 2 a 24. O coração ficou com o número 25 e a palavra Natal.
Depois coloquei os círculos de cartolina, por ordem e presos com as molas decorativas, no cordel de sisal. Bastou depois pendurar no sítio escolhido, no meu caso sobre a lareira.
Cada um dos círculos, que corresponde a cada um dos dias até ao natal, servirá para que cada um escreva algo de significativo durante o seu “caminho de advento”. Mensagens de esperança, partilha, amor, família, amizade, solidariedade. Mensagens pessoais das nossas experiências diárias e preparação para o verdadeiro natal. (Até porque advento quer dizer chegar e é por principio um tempo de preparação para a chegada, não do Pai Natal com os seus presentes, mas do Menino Jesus!) Mas esta é apenas a minha sugestão e motivação.
No entanto podem personalizar o vosso calendário de advento como preferirem e será certamente um projeto engraçado para fazerem com crianças na contagem decrescente para o dia 25 de Dezembro!