terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Reaproveitar e Reduzir sem nunca esquecer de Reciclar


Um dos meus objectivos pessoais para este ano de 2018, é ter mais atenção ao lixo que produzimos, e tentar reduzir, reciclar e reaproveitar cada vez mais. E isso aconteceu com o leitura do livro “Desperdício Zero” da Bea Johnson. Apesar de o livro mostar um perspectiva um bocadinho fundamentalista da coisa, também indica caminhos fáceis de colocar em prática e que todos podemos seguir. Porque se todos fizermos pequenas coisas, o impacto pode ser grande....
Cá em casa a reciclagem é constante. Somos bastante cuidadosos com a separação do lixo, e reciclamos tudo o que é possível, desde as coisas mais convencionais, como o vidro, papel e embalagens, mas também as rolhas, as tampinhas plásticas, os medicamentos fora do prazo (que levamos para a farmácia), os óleos alimentares usados e as pilhas...
Para além disso, sou uma acérrima reaproveitadora de frascos de vidro - e tenho um armário cheio deles, que uso para tudo e mais alguma coisa, desde aproveitar para a despensa, como para congelar coisas, colocar o iogurte caseiro, as compotas, .... e além dos frascos de vidro tento aproveitar tudo o que pode ter outra vida e outras utilidades no nosso dia.
E ando também a tentar reduzir o plástico, pois acho impressionante a quantidade de embalagens plásticas e não só nos dias que correm. E, quem faz separação de lixo e reciclagem certamente que já se apercebeu do mesmo.

Acho também que pequenos gestos fazem uma grande diferença, e não precisamos de sermos fundamentalistas. Se cada um de nós mudar duas ou três coisas nos seus hábitos, isso pode trazer grandes mudanças. Os “baby steps” são importantes quando se tentam mudar mentalidades. No meu caso, não quero mudar a cabeça de ninguém, mas apenas indicar algumas simples mudanças que evitam desperdícios.

Uma das minhas primeiras resoluções foi reduzir os sacos de plástico quando vou às compras. Como já aqui referi diversas vezes, faço cada vez mais compras em comércio local, como é o caso das frutas e legumes: ou vêm no cabaz da semana da Dona Rosa, ou compro na frutaria habitual. No caso do cabaz, eles ou embalam em pequenos sacos de papel ou colocam tudo no saco de sarapilheira que trás o cabaz, pelo que o plástico é muito reduzido. No caso da frutaria.... bem. Eram sacos e saquinhos de frutas e legumes variados. Portanto a resolução foi: fazer sacos de tecido (algodão) - reaproveitando tecidos - para colocar as frutas e os legumes. Na frutaria onde vou foram logo muito elogiados. E também já os usei em supermercados como o Aldi e o Supercor e ninguém me levantou nenhuma objeção...

Ainda nesta decisão de reduzir as mil embalagens que nos vêm parar a casa com tudo e mais alguma coisa, descobri em Coimbra uma loja de venda a granel de produtos essencialmente biológicos, a Grão Natural (eu só conheço esta, não sei se haverá outras!) A vantagem é que além de reduzir o plástico - têm saquinho de papel para colocarmos as coisas, também podemos levar as nossas próprias embalagens - frascos - para trazermos os produtos a granel. Tenho lá ido comprar algumas coisas que costumava comprar embaladas anteriormente, como leguminosas, cacau em pó, quinoa, flocos de coco.....

Antes disto tudo, já tinha começado a substituir as caixas plásticas por caixas de vidro hermética, a usar sacos reutilizáveis e cestas de vime para ir às compras, a aproveitar todas as aparas para as minhas galinhas, reduzindo assim o meu lixo orgânico. E voltei a utilizar com mais regularidade o spray multiuosos com água e vinagre e fiz sabão “líquido” partindo de sabão azul tradicional (se acharem pertinente e quiserem, volto a falar disso aqui num post). Não deito nada fora que esteja em boas condições e que possa ser aproveitado por outras pessoas ou para instituições - como roupa, calçado, brinquedos, coisas de casa.... Já para não falar no reaproveitamento constante na cozinha.


E por aí? Que habitos de reaproveitamento e redução de “lixo” têm?

12 comentários:

  1. Olá! Este assunto também me interessa e também já envio para reciclagem ou doo tudo o que posso. Quanto ao desperdício alimentar tenho tido mais cuidado, muito pelo alerta dado neste blog!
    Gostava que falasse mais sobre o spray multiuosos o sabão “líquido” que fala neste post, sff!
    Obrigada! :)

    ResponderEliminar
  2. Olá Joana!
    Gosto muito dos teus posts e já tenho comentado mas nunca os vejo publicados.
    Porque será que isso acontece?
    Sobre o sabão..."fiz sabão “líquido” partindo de sabão azul tradicional " poderás explicar como fazes? É uma questão que me interessa...
    Obrigada
    Beijinhos
    Filomena

    ResponderEliminar
  3. Olá 😊
    Aqui por casa também reciclamos tudo o que é possível, aliás, costumo dizer que antes de me mudar para casa do meu namorado, mudaram-se os ecopontos, que foram um miminho que lhe dei ��
    Fazendo anos hoje, há umas semanas comecei a reflectir no novo ano que ia começar e uma das decisões foi precisamente o combate aos sacos de plástico, por isso agora levamos sacos que já temos em casa ou então sacos de rede quando vamos as compras. O pão vamos buscar num saquinho de pano. Parece insignificante, mas se toda a gente fizesse o mesmo, a quantidade de plástico reduziria substancialmente e, com ele, alguns dos efeitos nefastos deste.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  4. Mais uma a pedir a "receita" do sabão! E parabéns pela chegada da bebé! :)

    ResponderEliminar
  5. Há muitos anos que cá em casa se tenta reciclar e reutilizar o mais possível. Quando compro frutas e legumes em comércio local (que é a maioria das vezes) não utilizo os sacos de plástico para tudo, apenas para os produtos húmidos ou que sejam pequenos (por exemplo, uvas ou morangos). Os outros produtos vão diretamente do cesto para a balança e daí para o meu saco de pano. Os sacos que ainda assim vêm para casa, utilizo para o lixo, evitando comprar. Também uso para guardar os legumes que vêm da horta da minha sogra.
    Também poupamos em alguns produtos, como acrescentar um pouco de água ao sabonete líquido ou detergente - faz o mesmo efeito.
    Pode partilhar a receita do sabão líquido? Parece-me uma boa ideia!

    ResponderEliminar
  6. "A jornada de 1000 léguas começa com um passo." E passo a passo (ou degrau a degrau) vamos mudando. Melhorar o ambiente é fundamental e gera felicidade. Há anos que reciclo tudo o que você disse e também radiografias. Trapos,tapetes, mantas, almofadas velhas que não estão em condições de doação para familias carenciadas doo para associações de animais abandonados. E eles agradecem. Já li o Desperdício Zero e recomendo. A autora é maravilhosa! Parabéns pelo tema pertinente e ajude-nos a continuar neste caminho do Bem. Helena (já comentei no seu blog sobre o musgo. Você na altura estava à espera do esclarecimento de uma sua amiga bióloga.)

    ResponderEliminar
  7. Acabei de comentar mas acrescento esta nota: devia ser obrigatório nas escolas ensinar Educação Ambiental. Teoria mas principalmente muita prática. Há 20 anos atrás minhas sugestões nas reuniões de pais caíram todas em saco roto. Espero que as mentalidades tenham evoluído. Vi muito desperdício escolar.Todos os anos tinha uma lista enorme de material escolar para comprar. Que muitas vezes não era utilizado nem devolvido. Isto mudou?

    ResponderEliminar
  8. Olá Joana,
    Parabéns por abordar um tema tão pertinente.
    Em minha casa reutilizamos os sacos dos legumes e frutas. Os sacos das compras já estão equipados com vários destes sacos e facilita muito a tarefa de não levar mais para casa. Frequentemente, e sobretudo se têm restos de couve flor ou brócolos, lavo seco e reutilizo novamente. O último fim é para o balde do do lixo da casa de banho.
    Nas lojas de roupa já recusei muitas vezes saco, tenho na mala um saco dobrado tipo Seaside e serve perfeitamente.
    Baby steps, mas steps.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Por aqui também se tem vindo a tentar reduzir e reaproveitar ainda mais. A reciclagem há muito que é um hábito. No entanto, nos últimos tempos temos vindo a reduzir o consumo de sacos de plástico nas idas à feira para comprar fruta e legumes. Cada vez mais a opção são embalagens familiares e sempre que possível optamos por comprar embalagens em vidro que depois se podem reutilizar. Cada vez tentamos desperdiçar menos, seja em que âmbito for. A meu ver é mesmo a direção a seguir..O ambiente agradece. E a carteira também! ;)
    Beijinho
    Cris

    www.lima-limao.pt

    ResponderEliminar
  10. Olá!
    Por cá também andamos a tentar minimizar ao máximo o lixo que produzimos e é como diz.. aos poucos fazemos muito ;)
    Bjinhos

    www.maenatureza.pt

    ResponderEliminar
  11. Em Lisboa,há uma loja que se chama "Maria Granel", e como o nome diz,vende a granel,com sacos de papel e podemos levar os nossos frascos,quem não tiver compra lá!Fica no bairro de Alvalade!

    ResponderEliminar
  12. Uma das minhas resoluções é usar menos produtos tóxicos e tenho usado muita coisa simples feita em casa. O blog "um ano sem lixo" tem ajudado muito. 😉

    ResponderEliminar