terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Desafio: Um mês sem gastar

O que estou a propor pode parecer impossível. Quem é que consegue passar um mês sem gastar? Há que pagar a casa, a escola das crianças, a água, a luz, o gás, o combustível… E temos de comer, não é?
Mas o desafio que estou a propor não é exatamente um mês sem pagar as nossas obrigações mensais, mas um mês sem gastarmos em nada que não seja absolutamente necessário. A ideia não é minha, descobri-a recentemente em alguns blogues estrangeiros e achei-a um excelente desafio. Será que seremos capazes de passar um mês inteiro – 30 dias – sem fazer uma única despesa extra ou supérflua?
Isto quer dizer que durante um mês não há nem um só café fora de casa, nem a compra de uma revista ou jornal. Durante um mês nada de comprar um bolo apenas porque sim, nada de refeições fora de casa nem idas ao take away. Nada de comprar roupa, acessórios ou sapatos. Nada de gastar combustível em passeios - mesmo que curtos - ao fim de semana. E na ida ao supermercado manter a lista de compras sobre controle e evitar a todo o custo comprar alimentos e snacks extra. Nada de cabeleireiro, esteticista e nem sequer idas ao cinema. Um mês de controle ainda mais apertado das nossas finanças.
A ideia desta iniciativa é não só uma questão de economizar, mas de percebermos na realidade quais são as coisas realmente importantes e aquelas sem as quais podemos passar. Numa altura de dificuldades económicas para a maioria dos portugueses – e onde muitos já limitam os seus gastos ao estritamente necessário – é talvez um “exercício” que muitos outros podem fazer. Porque na maioria das vezes, sem nos apercebermos gastamos vários euros em coisas completamente desnecessários e o pior, é que nem nos apercebemos.
E em 30 dias é uma boa oportunidade para procurar e encontrar alternativas. Em vez comprar o jornal ou a revista, podemos sempre ler online ou aproveitar para finalmente ler aquele livro que nos ofereceram no natal. Aproveitar para experimentar receitas novas e com ingredientes económicos em vez de ir ao take away, e aproveitar para cozinhar ao fim de semana para garantir as refeições da semana. Em vez de sair para um pequeno passeio ao fim de semana, que tal ir a pé até aos baloiços com as crianças ou ficar em casa a ver um filme. Deixar de sair de casa ou do trabalho para ir “só ali beber um cafezinho” e em alternativa beber em casa ou levar de casa.
Não será certamente em 30 dias que vamos mudar os nossos comportamentos financeiros, mas será mais uma oportunidade para avaliarmos como conseguimos gastar dinheiro, tantas vezes sem nos apercebermos. Eu vou experimentar esta iniciativa durante o mês de Fevereiro. Alguém me acompanha?
 E fica também  aqui um “guia” para ajudar a controlar este mês sem gastar, bem como todos os outros!

1 – Estabeleça o orçamento e calcule quanto gasta em despesas fixas todos os meses
Ninguém conseguirá nunca controlar as suas finanças pessoais se não souber exatamente quanto gasta e onde gasta o seu dinheiro. Faça as contas a todas as suas despesas e obrigações fixas mensais. Depois de achar esse valor já sabe que o objetivo para este mês sem gastar é, ter esse valor como o total do gasto mensal.

2 – Procure Alternativas e encontre oportunidades
Se tinha por hábito ir tomar um café fora todos os sábados ou domingos, deixe de o fazer (Eu não estou a dizer para sempre, mas sim durante este mês sem gastar!). Em vez disso tome em casa e aproveite para depois ir dar uma volta a pé pela sua área de residência ou levar as crianças até aos baloiços. E se ia ao cinema uma vez por mês, encontre uma alternativa e faça uma sessão de cinema em casa com os amigos.

3 – Evite usar o Carro e pondere cada uma das suas deslocações
Durante a semana obviamente que não poderá evitar as suas deslocações habituais de carro para o trabalho, levar as crianças ou ir ao supermercado. Mas fora isso será que para comprar pão tem mesmo de ir de carro? Ou será que tem necessidade de sair de casa aos sábados de manhã – de carro - apenas para espairecer? Planifique todas as suas deslocações de modo a conseguir de uma vez só fazer na rua tudo o que tem de fazer e limitar as distancias e o consequente consumo de combustível.

4 – Controle os impulsos consumistas
Para muitas pessoas comprar uma peça de roupa todos os meses é um hábito tão normal como comprar as mercearias lá para casa. Mas se pensarmos bem ninguém tem necessidade de comprar roupa todos os meses ( e quem diz roupa diz qualquer outra coisa comprada por impulso consumista!) Evite ir até ao shopping durante este mês e resista aos seus impulsos.

5 – Controle a lista de compras e faça um levantamento da despensa e da arca congeladora
Aproveite também este mês sem gastar para fazer o máximo da sua despensa e arca congeladora. Programe refeições com tudo o que tem em casa e vá apenas às compras para comprar as restantes coisas como a fruta, os legumes ou os iogurtes. Se por norma compra refrigerantes e sumos não os compre durante este mês e faça também um controle mais apertado a todos os alimentos processados como por exemplo as bolachas, as refeições pré-preparadas, os gelados e outras guloseimas. Deixe-as apenas para os dias de festa uma vez que também não fazem falta à sua mesa.

6 – Atividades em família: Brinque com os seus filhos
Há tantas coisas que se podem fazer sem que isso implique gastar dinheiro. Deixe-os fazer desenhos à vontade, pinturas e até colagens com revistas antigas. Aproveite latas ou frascos, tecidos e tudo o mais que tenha em casa e que possa ser aproveitado para brincar. Por exemplo, faça uma tenda na sala com mantas e lençóis velhos e deixe-os dormir lá por uma noite.

7 – Faça ou Aprenda a fazer em vez de mandar fazer ou comprar feito
Em vez comprar rissóis já prontos a fritar, aprenda a fazer os seus. Há imensos blogues e vídeos que o podem ensinar a fazer. Em vez de ir com o carro à lavagem automática lave-o em casa com balde e esponja. Aprenda a fazer as bainhas das suas calças e das crianças. Passe a sua roupa a ferro em vez de mandar para a engomadoria. Trate da sua depilação em casa e aprenda a arranjar o seu próprio cabelo.

8 – Marmita:  este é o mês de levar a marmita
Não podemos falar de um mês sem gastar se não contabilizarmos os almoços que podemos levar de casa. Se nunca o fez, se nem sequer pensava em fazer tal coisa esta é a oportunidade de finalmente por em prática. Faça sempre mais quantidade ao jantar já a contar com os almoços do dia seguinte. E conte também os lanches – os seus e o das crianças. Acorde com elas que este mês vão ter de levar todos os dias lanche de casa e que não há dinheiro extra para snacks no bar da escola.

9 – Atenção ao desperdício Alimentar (Passe o frigorífico em revista todas as semanas)
Mesmo com uma lista de compras controlada, e as refeições planeadas acontece deixarmos estragar algumas coisas. Dê sempre uma vista de olhos ao seu frigorífico e veja tudo o que está a necessitar de ser consumido. Se há fruta a ficar demasiado madura é esta a primeira que tem de ser consumida, ou então congele ou aproveite para bolos e batidos. O mesmo se aplica aos legumes: congele ou transforme-os numa sopa, quiche ou tortilha para o jantar ou para o almoço da marmita. Muitos restinhos em caixas plásticas podem também ser transformados numa nova refeição. Antes de fazer uma refeição nova tenha a certeza de eu não tem outra alternativa para o jantar e assim evitar o desperdício e o consequente gasto adicional.

10 – Faça contas e veja quanto não gastou
A melhor maneira de perceber quanto deixou de gastar neste mês é ter uma noção de, em meses anteriores, saber exatamente quanto gastou em coisas supérfluas. Depois faça um reflexão e veja quais são as coisas sem as quais consegue perfeitamente viver e pelas quais nem deu falta. E, se for o caso, adapte-se.

86 comentários:

  1. Ora aqui está uma bela receita para agravar a crise. se todos fizermos isso, aumentamos o desemprego e estagnamos completamente a economia.
    Vamos deixar de comprar jornais para que eles não consigam sobreviver. Vamos deixar de beber café no café que é para a situação da restauração ficar ainda pior. etc.
    Não devemos gastar feito loucos, mas o contrário também não é bom. Um dos piores efeitos da crise é quebra do consumo que, simultaneamente a agrava.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desta vez vou ter de concordar com o "anónimo". Acho que é muito importante não esbanjar dinheiro mas cortarmos em tudo só porque sim, não ajuda a situação do país. Porque não ir ao cinema uma vez num mês inteiro ou combinar um café com amigas e passar uma boa tarde de conversa? Não representa um gasto assim tão grande (temos, por exemplo, a Cinemateca em Lisboa que passa filmes de eleição ou o cartão da Zon para quem gosta de coisas mais comerciais) e, em compensação, passamos uma tarde diferente :)

      Acho que é muito importante poupar mas não sou apologista de situações extremas...

      Eliminar
    2. Anonimo e Sara :)boa! é isso mesmo. Haja alguem com bom senso

      Eliminar
    3. É claramente uma ideia boa e que muitos Portugueses já estão a por em prática força dos tempos difíceis mas como refere o anónimo vamos matar o doente se não houver consumo.Todos nós concordamos que efectivamente não há necessidade de comprar roupa e outras coisas mensalmente mas tudo tem e deve ser com conta peso e medida.

      Eliminar
    4. Aposto que estes anónimos são daquele género de que quando vão a um centro comercial comer, não levantam a bandeja da mesa e deixam tudo sujo, para não retirar trabalho à empregada da limpeza...

      Eliminar
  2. Que bela ideia!
    Não vou entrar neste desafio agora mas vou fazê-lo, em breve! Sem dúvida. Seja como for, vou divulgá-lo no meu blogue porque estou a ver muita gente a aderir! Aplausos :)

    Começa em Fevereiro - deixe post e eu torno a divulgar também! Vai ser muito giro!

    Parabéns!

    ResponderEliminar
  3. Epah, sou sovina o suficiente para alinhar numa coisa destas.

    O Anónimo não se preocupe que a adesão a isto vai contar-se pelos dedos das mãos. O.o

    ResponderEliminar
  4. Neste desafio já estou eu há alguns meses! Mas obrigada pelas dicas!

    ResponderEliminar
  5. Há uns anos atrás, tive de "optar" por um estilo de vida assim, foram vários meses. É possível.

    ResponderEliminar
  6. Eu infelizmente optei por este género de vida à algum tempo, e agora que fiquei desempregada vai ser bem pior...

    ResponderEliminar
  7. Pouca coisa poderei cortar pois dos exemplos acima dados já pouco faço/gasto mas considero o exercício interessante sim.
    Quanto ao comentário anterior... a situação não é assim tão linear, há muita gente que não sabe poupar e se este exercício ensinar algumas pessoas a fazê-lo já é qualquer coisa. São opiniões e há que respeita-las mas definir prioridades não é acabar com a economia e torna-la sustentável.

    ResponderEliminar
  8. Anónimos e Sara:

    Creio que não souberam interpretar aquilo que eu escrevi. Isto é um exercício de poupança, e não, como querem fazer crer, medidas de poupança.
    Estou apenas a falar de UM MÊS sem gastos superfluos, como um exercíco para sabermos para onde vai realmente o nosso dinheiro. Se há pessoas que têm uma garnde consciência e cuidado com os seus gastos, outras há que não conseguem perceber que, num euro aqui e outro acolá, representam muito no final de um mês.
    Em parte alguma estou a dizer para se deixar de consumir e assim não estimular a economia. Estou apenas a propor um desafio para ajudar a perceber onde é que cada um de nós poderá controlar as suas finanças pessoais.
    Não estou a dizer para deixaraem de ir ao cinema, deixar de comprarem jornais ou de tomar café com os amigos. Estou a sugerir que não o façam durante UM MÊS para perceberem quanto é que isso representa no vosso orçamento mensal.Provavelmnete a Sara sabe, e por isso é que vai ao cinema uma vez por mês e usa o cartão zon, mas acredite que muitas pessoas não o sabem porque nunca fizeram essas contas. é essencialmente para pessoas assim que este desafio se destina. Ou então apenas e só para sabermos como é viver sem poder gastar nada mais do que o estritamente necessário, e assim podermos dar valor ao que temos e ao que ainda podemos fazer. E assim poder fazer os ajustes necessários, caso seja preciso.
    Porque muitas são as pessoas que não têm a minima ideia de quanto é que estes extras representam nos seus orçamentos mensais.
    Parece-me que foi isso que não perceberam, ou que não quiseram perceber neste, volto a dizer, desafio/exercício de poupança, facultativo e que muito nos poderá ensinar acerca dos nossos gastos pessoais.
    Espero que tenham ficado esclarecidos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu percebi a ideia e concordo consigo se bem que também compreendo os outros comentários.É urgente reaprendermos a organizar as nossas economias e ajustar os nossos rendimentos à situação actual do país, se bem que não se devam cometer exageros pois do nosso consumo depende a vida de outros.Acho que vou aceitar o seu desafio mas não em Fevereiro pois é o mês do meu aniversário e eu, como qualquer outra pessoa, gosto de um miminho, um bolinho com velas e quiçá um jantareco especial ;)
      Beijocas

      Eliminar
  9. Já sou poupada habitualmente contudo adoptei este desafio no início deste mês. Quero ver exactamente os gastos superfluos que estou a fazer. Acho que gasto demasiado dinheiro em comida,p.e., já que somos apenas para duas pessoas. Tenho andado a aproveitar tudo o há na dispensa, no frigorífico, na arca congeladora. Não me ponhoa inventar ou a querer experimentar receitas novas com novos produtos. Uso o que há em casa. Não tenho comprado nada de roupa nem outras coisas que não são necessárias e se compram só porque sim. Ainda estamos a meio do mês e eu noto sérias mudanças,a começar na conta bancária que parece manter-se bem quietinha.

    não se trata de estagnar a econia mas sim avaliar um pouco o nosso consumo e medir até que ponto não estamos a esbanjar recursos.

    ResponderEliminar
  10. Percebo a ideia e é preciso muita coragem para pôr em prática o desafio pois há uma série de pequenas coisas que já damos como parte integrante da nossa rotina e que nem imaginamos como é ou seria vivermos sem elas. Infelizmente, nos tempos de hoje, são várias as pessoas que tiveram de fazer esse exercício por imposição, desemprego, e para muito mais do que 30 dias...

    ResponderEliminar
  11. Este mês (Janeiro) tenho feito muita introspecção sobre este tema. Criei inclusivé uma nova tabela receitas/despesas, mais detalhada de forma a ter uma visão mais pormenorizada das minhas finanças.
    Não vou aderir ao desafio pelo facto de ter já plena consciência de quanto gasto e com o quê.
    Concordo um pouco com o desabafo do "Anónimo", pois a retracção do consumo não é o caminho para a economia avançar, mas infelizmente esta é uma saída obrigatória para muitas famílias, face ao estado a que o nosso país chegou...

    ResponderEliminar
  12. Com esta bela ementa vamos enviar uns tantos para o desemprego, na realidade devemos ser poupados e tentar controlar as nossas despesas, maso que de hoje em dia é muito dificil, mesmo comsumirmos o que é mais economico, porque os nossos vencimentos cada vez são mais reduzidos.
    Mas o que eu acho é que este blogue atualmente está mais direcionado para as pessoas que teêm um maior poder económico, dado que a maior parte dos ingredientes utilizados nem por isso são os mais baratos.

    Não queira colocar mais pessoas no desemprego.

    ResponderEliminar
  13. Eu só ainda não fiz isso porque ainda ando a "montar a casa" e vejo sempre coisas que me fazem falta (ou não):)mas tenciono em fazer breve :)

    ResponderEliminar
  14. Querida colher de Pau

    Eu já fiz esse desafio, e posso provar que é possivel. Estive três anos desempregada e nunca falhei as minhas obrigações mas tive muitas privações, nunca faltou o essencial graças aos meus pais que foram sempre fenomenais.
    Na casa dos meus pais nunca fui habituada a coisas superfulas, por isso quando depois de casada tive de apertar bem o cinto a mim não me custou, custou-me foi ver que o meu filho começava a sentir os efeitos. Mas confesso que fazia muitas contas para poder "poupar". Este exercicio de poupança infelizmente também trouxe tristeza e depressão porque é muito triste precisar de algo (por exemplo um simples pão) e não poder comprar porque não se tem dinheiro que chegue. Por outro lado não vejo as coisas pelo lado de quem ache que só a consumir desenfreadamente é que vamos fazer algo pelo país, pelo contrario e como já disse no meu blog é facil, siga a regra de ouro faça como os estrangueiros compre sempre só nacional. Ao apostar nos nossos esteja onde estiver está a contribuir para o nosso país. Eu sei o Nosso pode estar bem mais caro do que no chinês, mas pondere para quem quer contribuir.
    Por isso este desafio é algo que a maior parte nós portugueses conhece bem desde os inicios do anos oitenta, o que estavam era já a ficar esquecidos e não vai ser por isso que vai haver mais crise, nem mais desempregados, avançamos é mais devagar. O que faz falta é acreditarmos em nós próprios.
    :)

    ResponderEliminar
  15. Este desafio para mim já não o é; pois já consegui não comprar superfluos vários meses, Ali´s, neste momento o que refere em termos de poupança já o faço há alguns anos, não por falta de dinheiro, mas por opção de poupança e credite que tenho conseguido poupar bastante. Não como, não bebo café, não lancho fora de casa. Não compro comida já confecionada, não passeio, cumpro as minhas listas de compras, cozinho em quantidade e congelo, etc.
    Boas poupançs
    Bjs
    zezinha

    ResponderEliminar
  16. Vou aceitar o desafio. No mês de fevereiro começo, porque este já vai a meio...A economia não estagna por nós "remediados" consumirmos menos um mês no ano, estagna pelo aumento brutal nos impostos e consequente diminuição dos salários...Joana podia criar uma forma de partilharmos como está a decorrer o mês de poupança...Beijinhos e continuação de boas ideias.

    ResponderEliminar
  17. Olá! Gostei deste post. Estou mesmo a precisar de juntar dinheiro, sobretudo agora com as novas medidas... ui... Até tenho medo. E estas dicas são preciosas. Algumas coisas já faço há algum tempo. Levo sempre marmita para o trabalho e poupa-se realmente imenso, mas será que vou resistir a uma peça de roupa? Será que sou fútil por isso? Ou serei apenas consumista? Eu vou tentar *
    Beijinhos *

    ResponderEliminar
  18. Gosto de perceber que existe gente que consegue fazer aquela "ginástica económica" com o objectivo de poupar uns trocados ou porque é assim por natureza! Eu consigo fazer parte deste binómio...e se for só por um mês, vamos lá poupar!
    Beijinhos Joana :)

    ResponderEliminar
  19. entendo que as opiniões são muito variadas, e que devem ser respeitadas.
    Não vou por este desafio, porque acho que a vida é curta, e devemos nos mimar um pouquinho. Por enquanto ainda consigo fazer alguns gastos superfluos, nomeadamente com a minha filha (zoo, cinema etc)sem afetar o pão que entra em casa. Mas pela primeira vez, estou a anotar cada centimo que gasto neste mes e em quê. Pra já, vou limitar-me a isto.
    Parabéns Joana, por ter a coragem de não moderar os comentários e deixar que todos deem as suas opiniões.
    Quanto ao comentário deste Blog ser para alguns mais abonados, não concordo.
    A Joana tem a delicadeza de partilhar aquilo que sabe tão bem e que aprendeu ao longo das gerações da sua querida família. Quem quer aproveita (como eu), quem sente que não é para si, passe adiante. Criticar porque usa produtos caros já é um pouquinho demais, não acham? Há dicas para todos. Comecei a congelar tomates e a fazer polpa por causa da Joana. E meus amigos levam muitos cabazes feitos por mim, com ideias que daqui tirei.

    Mais uma vez: Obrigada Joana e não desanime.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  20. Gostei do desafio e muito sinceramente estava me a preparar para começar a fazer algo do genero a partir de fevereiro lol
    Mas sim é possivel, a uns meses propus me a n fazer compras ate gastar o k tinha armazenado, porque muitas vezes acabamos por perder a noçao do k realmente temos em casa e deu muito resultado, só massas acho k andei um par de meses sem comprar.
    Tambem ando aki com umas medidas n forja para poupar ou melhor para deixar de gastar, n é k eu tenha necessidade disso mas nos tempos k correm penso k todas as ideias k possamos dar nunca sao demais para akelas pessoas k realmente estao mesmo á "rasca".
    bj e darei noticias depois n meu blog k tem andado um pouco n eskecimento :(

    ResponderEliminar
  21. Também tenho visto esses desafios. Um, que vi recentemente e de que gostei muito mas ainda não consegui pôr em prática, é passar uma semana (temos que começar devagarinho :) ) a gastar na cozinha apenas aquilo que temos na despensa, arca e frigorífico, sem gastar nada em compras. Se repararmos, temos ingredientes que dão para muito mais do que uma semana mas se começarmos por aí e formos ganhando hábitos, eles vão-se tornar as nossas rotinas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu já fiz esse várias vezes e resulta MESMO. É até divertido porque nos obriga a fugir às nossas receitas normais e pesquisar o que poderemos fazer com um determinado conjunto de ingredientes.

      Eliminar
  22. Olá!
    Eu entendo esta ideia (até porque vem no seguimento de outras ideias de poupança já publicadas neste blog) mas também entendo que o dinheiro tem que circular, os cafés, as lojas de roupa, os cabeleireiros, precisam de pagar aos seus empregados todos os meses e se ninguem lá for não vai haver dinheiro para salários.
    Por mim, tb tenho outro ponto de vista: considero-me uma pessoa poupada e sem grandes gastos nem esbanjamentos mas, enquanto tiver trabalho e puder disponibilizar alguns tostões acho que também tenho "direito" a beber um café fora de casa ou a comprar um bolo ou umas bolachas se me apetecer :)

    ResponderEliminar
  23. Olá
    Vou alinhar com certeza, embora compreenda o que alguns comentadores disseram em relação ao dinheiro que tem de circular. Isto é apenas um exercício para se fazer durante um mês. No entanto, e infelizmente, acho que já há pessoas a fazerem isto no seu dia a dia durante o ano inteiro por um motivo simples: não têm dinheiro. Eu pessoalmente estou muito preocupada[isto para não dizer apavorada] pois já me vi mais longe dessa situação.
    Parabéns pelo blog
    QC

    ResponderEliminar
  24. Joana, eu vou alinhar :) não sou consumidora compulsiva, mas gosto muito de um jantarzinho fora ou de (mais) uma t-shirt! Quanto às refeições em casa (levo sempre marmita para o trabalho) contamos com a sua ajuda com as ementas semanais... podia fazer umas low cost, especiais para este mês.
    Quanto à estagnação da economia, julgo que o seu blog será o ultimo a ser o culpado. em primeiro lugar estará o aumento do IVA na restauração, depois o aumento no irs, depois... as pessoas andam cheias de vontades de apontar o dedo! Beijinhos e vamos aprender a viver com menos de cara alegre :)porque para alguns ainda é possível começar por vontade própria.

    ResponderEliminar
  25. Eu faço isto no meu dia a dia... há muito tempo!
    Não me lembro da última que tomei café fora de casa.
    Em 2012, só me lembro de ter comprado uma revista (Continente Magazine). Jornais, não comprei.
    Livros para mim: 1 ("As minhas receitas") quando usei um dos meus talões de 10% de desconto.
    Comprei alguns livros para crianças, para oferecer em festas de anos e no Natal.
    Comer fora de casa: impensável!
    Marmita: SIM, sempre (inclui o almoço e os lanches da manhã e da tarde)
    etc, etc...
    Mas também concordo que, se todos fizessem como eu, não seria bom!... Mas durante um mês... porque não? Até para que vejam como não é fácil!...

    ResponderEliminar
  26. Ola Joana gostava muito de acompanhar no mes de feveiro mas a minha filha faz anos e apesar de fazer tudo em casa vou gastar mais € mas no mes de Março vou fazer gostei da ideia.

    ResponderEliminar
  27. Essa ideia não é nova, infelizmente já faço isso com o meu marido a uns 3 anos, nem sabemos mais por onde cortar...mas é uma boa iniciativa.
    Força nisso!!!

    ResponderEliminar
  28. Em fevereiro?? e o carnaval... eu quero ir ver e tenho de pagar :( hihihi
    Boa ideia... eu já faço isso há quase um ano... só de vez em quando é que se foge às regras!
    Lita, Estarreja

    ResponderEliminar
  29. Há outras maneiras, basta anotar tudo (TUDO) o que se compra durante um mês e depois somar o supérfluo. A inércia, e outras coisas, fazem com que muita gente tenha essa boa intenção e nunca a concretize.

    Creio que a ideia da Joana não é sermos o Tio Patinhas, e tomarmos banho no dinheiro que sobra; penso que a ideia é perceber onde se pode cortar o o que isso representa quando chegamos ao fim do mês e o dinheiro não sobra e ainda por cima falta.

    É fácil falar que se não houver consumo a economia se estrangula, mas o problema é que se o dinheiro é escasso, gastá-lo no supérfluo é um bocado estranho...

    Mas sim, conheço casos... continuam a ir todos os dias almoçar ao restaurante porque senão o senhor coitado fecha portas e vai ele, mulher e os 2 empregados para o desemprego, e afinal 6 euros por refeição não é nada (são 132 euros por mês) e levar de casa, que ficaria por metade ou menos do preço, não compensa (poupavam-se 66 euros se ficar pela metade); são os mesmos que dizem que "ir ao dentista é caro e não há dinheiro, cada consulta 50 euros, ladrões que eu não ganho para isso"!

    ResponderEliminar
  30. Bom, isto parece que se tornou num tópico polémico!
    Eu percebo perfeitamente a proposta da Joana Roque, tenho a mesma sensação que a maioria das pessoas nunca fez este exercício e acho que é daqueles que se deveria aprender na escola. Vejo coisas que me arrepiam e no fim ouve-se ''não faço ideia onde mais posso cortar''!

    É importante o consumo como de água para beber mas...sou uma pessoa regrada e gosto desta ginástica toda que se faz quer por necessidade quer por gosto ou feitio. Eu fui educada com muitas regras e a ter muita noção do dinheiro e da sua aplicação no necessário!

    Eu não vou alinhar no desafio pois já o fiz varias vezes, tenho perfeita noção das minhas despesas, são anotadas de forma rigorosa diariamente. Gosto de saber a quantas ando e por isso as minhas folhas exel são o meu braço direito!

    Quando se fala em poupar...é complicado chegarmos a uma conclusão pois o que para uns é indispensável para outros não...! Enquanto vir pessoas a deitar sacos de pão fora, fumar sei lá quantos maços de cigarros e tomar o pequeno almoço no café diariamente e dizer que ''isto está mau''!
    Realmente estes exercícios de poupança são em vão!

    Parabéns por mais um excelente tópico! Beijinhos Joana!

    ResponderEliminar
  31. Olá!
    Adoro o teu cantinho e deixei-te um mimo no meu: http://simplesmentemarisa.blogspot.pt/

    Beijocas

    ResponderEliminar
  32. Também podemos cortar pulsos...:(

    ResponderEliminar
  33. Bem, qd vi o novo post e a quantidade de comments pensei logo 'isto deu polémica' :) Curioso ver q quem é contra este desafio assina como 'anónimo', mas adiante... Se td a gente fosse cm eu, tinham sempre algum dinheiro poupado ao fim do mês e ñ seria cm imensa gente q qd vem meados do mês já ñ têm dinheiro! Ñ vou ao cinema há alguns meses, apesar de possuir o cartão cultura q 2 bilhetes ficam pelo preço de 1; ñ tomo café fora de casa (aliás, nem tenho esse vício e ainda bem), mt menos lanchar e/ou almoçar/jantar fora.. Claro q vem um mês ou outro, p encontrar as amigas combinamos qq coisa e comemos, mas nada de fazer isso sempre e procuramos sempre os sítos mais em conta... Há bastante tempo q me habituei a andar c os meus lanches/snacks, pq simplesmente faço-os em casa e já ñ consigo saborear c agrado qd compro algo fora... E dps, acho q o preço desanima qq pessoa, pois ponho-me a fazer contas e pelo dinheiro de um bolo, faço uma série de queques bem mais saborosos! Entendo q td a gente gosta de desanuviar e comer fora de vez em qd, mas a Joana ñ fez um ultimato, fez uma proposta, só aceita e põe em prática quem quer.. E, já foi dito noutros posts, quem ñ gosta do q lê, ñ é obrigado a ler, mt menos a comentar p criticar destrutivamente... Mt gente, por força das circunstâncias, já se viu obrigada a cortar nas despesas, mas pelo q vejo, ainda há mts pessoas, ou por comodismo ou simplesmente pq ainda ñ concluíram q 5€ hoje e 5€ amanhã fazem um monte significativo ao final do mês, q continuam a fazer gastos supérfluos... e dps vêm dizer q está mau e difícil... Custa, claro q sim, principalmente a quem estava habituado a um determinado nível de vida, mas é possível, aos poucos, chegar a bom porto... Desde mt pequena q sempre apontei todo o dinheiro q gastava, desde na compra de um gelado/bebida a outras compras, combustível, seguros, e claro q continuo a fâze-lo, até para ter noção de qt gasto em cada mês e se gastei mais, qual a razão... Agora em relação à proposta: eu ñ vou alinhar, até pq ainda estão a decorrer os saldos e já estou a pensar em aproveitar os descontos p as prendas da Páscoa e aniversãrios :) E como já poupo em tanta coisa, deixo o desafio para quem ainda ñ treinou a poupança :) Joana, força e continua a dar-nos as tuas dicas e sugestões, pois nós agradecemos e acho q falo pela maioria qd digo q melhorámos a nossa economia de casa e pessoal graças a ti! Bjinhos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anjo-de-mel! ;) Pensei na mesma... "mts comentários... deu polémica"!... ufa! Uma opinião semelhante à minha!! Concordo inteiramente consigo. Afinal a Joana partilha uma ideia, uma proposta, um desafio... não MANDA ninguém fazer o que quer que seja... e sim é "incrível" sempre que há uma ideia deste género por aqui... há sempre um "anónimo" a dizer que a economia e o país estão para acabar!!! fantásticas!!!... estas pessoas que sabem tudo, de tudo... principalmente criticar... e cujos comentários construtivos ficam "para mais tarde"...
      Força Joana! Boa sorte no teu "exercício" de economia no mês que vem... pessoalmente penso fazê-lo mas ainda não... o bébé tem só 2 meses!!!

      Dina Luis

      Eliminar
  34. Acho a sua sugestão inteligente e sensata. Claro que somos todos muito diferentes e as nossas prioridades não são as mesmas. Por isso, só adere quem quer. De qualquer forma, acho a sua proposta muito válida como, aliás, todos os outros temas que aborda aqui neste seu cantinho. Aproveito também para agradecer a generosidade com que partilha os seus saberes e sabores. Tenho aprendido imenso com as sua dicas!
    Um beijinho

    Paula

    ResponderEliminar
  35. Nada de novo para mim.Já é o meu modo de vida desde que fiquei desempregada há 11 anos.Hoje já reformada continuo a poupar em tudo o que posso.Não querendo parecer o Tio Patinhas, não sei como vai ser o dia de amanha
    Ana

    ResponderEliminar
  36. A questão fundamental é cada um de nós perceber quais são os "bens" que são superfulos. Aquilo que a Joana propõe é apenas uma experiencia, que a ser feita pode ajudar algumas pessoas a perceberem onde gastam o seu dinheiro, a conseguirem viver com o dinheiro que ganham mensalmente, sem se endividarem e sem terem falta de algo que lhes é essencial. Eu não vou participar. Na minha casa as contas, até ao dia de hoje, sempre foram feitas e refeitas, corta daqui para gastar ali, ir por prioridades e ter noção de que não podemos gastar mais do que aquilo que ganhamos. Á hora de almoço, bebo o meu cafézito no sitio do costume, com as colegas do costume, é a minha hora de descontrair e de por o trabalho de lado, é o meu luxo, em compensação levo lanches e almoços de casa. Para mim esse café é considerado um bem essencial, mas se por algum motivo a vida desse uma grande reviravolta e dinheiro do café me fizesse falta para por exemplo comprar pão, teria que o deixar de tomar.
    Não se esqueçam que é apenas a sugestão de uma experiencia, quem quer faz, quem não quer não faz.
    Sofia

    ResponderEliminar
  37. Bem Joana... pela parte que me toca, o seu exercicio de poupança vai colocar-me á mingua, desempregada e sem direito a nada...
    Como profissional de estética fico muito triste quando vejo textos que dizem " deixar de ir á Estéticista", para mim Joana sao facadas, porque estudei muito para ter esta profissão, fiz sacrificios que pouca gente fazia e agora vejo a minha profissão que eu adoro morrer aos poucos, e em vários Blogs que conheço e leio diáriamente, são muitos os conselhos parecidos ou iguais.
    Gosto muito de ler o seu Blog mas hoje fiquei triste, já imaginou se toda as pessoas seguirem o seu exercicio? quantas mais pessoas ficarão desempregadas?
    Se ninguém for ao café, á pastelaria, á esteticista, á cabeleireira, cinema,comprar roupa,restaurante,etc..mais vale fechar o país e como disse outro comentador: mais vale cortar os pulsos e morrer de uma vez!

    ResponderEliminar
  38. A Joana disse: "Em parte alguma estou a dizer para se deixar de consumir"
    A Joana no seu texto disse: NADA DE CABELEIREIRO, ESTETICISTA...
    Afinal em que ficamos?
    A Joana é dona e senhora do seu blog e faz o quer, mas quando dizemos o que queremos temos que nos sujeitar em ouvir o que não gostamos. E isso serve para si e para mim e todas as outras pessoas, claro...

    ResponderEliminar
  39. Olá Joana,
    é triste que apesar de a Joana escrever muito bem nem sempre seja correctamente interpretada... enfim. Já conhecia este e outros desafios(alguns bem radicais)e se nos ajudarem a melhorar a nossa gestão doméstica, óptimo. Só que o mês de Fevereiro é o mais pequenino...:)
    Beijinhos e continue a sua generosa partilha (então as suas receitas são a minha 1ª fonte de consulta).
    Obrigada
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  40. Olá. Estava mesmo a pensar em começar agora em Fevereiro uma coisa deste género, principalmente porque tenho um sonho que pretendo concretizar este ano e para isso, tenho que poupar o que puder, e então este exercicio vem mesmo a calhar. Vou tentar, se bem que há uma coisita ou outra que não sei se vou conseguir. Estou com a leitora que diz que poderia fazer uns posts para partilharmos como vai correndo o exercício.
    Obrigada
    Nana

    ResponderEliminar
  41. A Joana disse ou melhor, sugeriu:

    UM MÊS sem gastar

    não foi

    UM ANO sem gastar

    Para além disso, não li também em parte alguma que era obrigatório alinhar sob pena de severas sanções para os que não estivessem de acordo...

    A iliteracia é mesmo um grave problema!

    ResponderEliminar
  42. Gostei imenso do post. Cá em casa já adoptamos algumas destas medidas :)

    Obrigada pela sugestão.

    http://qaoquadrado.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  43. Já cotribui muito para o emprego de muita gente, obviamente a minha intenção agora não é contribuir para o contrario, mas vou testar-me durante o mês de Fevereiro. Quem não quer, não testa.

    No meu entender não são só os desempregados que devem fazer este tipo de exercicios (1 mês apenas), mas quem tem emprego tambem. Se eu vou ver já este mês o meu ´salario reduzido em varios euros, será que devo continuar a consumir como até aqui? Não vou ficar um ano sem ir à esteticista, mas 1 mes aguento bem, tal como eu tenho aguentado reduções constantes no meu salarios e muito das esteticistas a ganharem-no sem o declarar.

    ResponderEliminar
  44. Concordo até certo ponto que é uma iniciativa interessante. Não a vou fazer, porque já o faço há muitos anos apesar de estar empregada. Mas como o dinheiro não estica e as despesas aumentam, sou obrigada a isso, caso contrário, acho que não devemos ser poupadinhos a esse ponto!!!. caso contrário é o colapso da economia, etc.. O que eu acho é que há determinados serviços que estão, ainda, muito inflacionados, nomeadamente, nas pastelarias e cafés. Por exemplo, justifica-se o pagamento de 0,60 € por um carioca de limão ou mesmo um café? Eu, deixei de tomar café, não para poupar, mas por ter descoberto que o mesmo me fazia mais sono, mas sinto falta do intervalo de 5 min que fazia no trabalho a meio da manhã para ir até ao café, para a toma do mesmo, descontrair e falar com as simpáticas donas do café. Deixei de ir lá, porque não me apetece pagar uma enormidade de €s por um bocado de água quente e casca de limão!! Outro exemplo: justifica-se que uma sopa custe entre 1,50 € e 2,00 ou mais? Foi outra coisa que deixei de comer. Vivo longe do meu local de trabalho, não tenho microondas por perto e por vezes ia ao café mais próximo comer uma sopa, principalmente agora no inverno, para complemento do almoço que desde sempre levei.Como também faço sopa em casa sei o preço da mesma, que é manifestamente inferior. Pergunto, não seria benéfico para todos (comerciantes e consumidores) que certos preços fossem mais justos? Sinceramente, eu acredito que sim.
    R. Vouga

    ResponderEliminar
  45. Ainda dizem que não há justiça em Portugal.
    Estes comentários parecem o tribunal, mas parece que o Juiz manda e os réus cumprem.

    Na realidade os pobres já são obrigados a nem sequer terem direito a um cafézinho, perguntem lá á juiza se já sentiu isto na pele, mas falo e com a certeza.Não.

    ResponderEliminar
  46. Olá Joana,
    antes de mais quero dizer que apesar de visitar o seu blog todos os dias, de ter os seus dois livros, e de admirar imenso o seu trabalho e partilha, nunca comentei nada neste blog.
    Contudo, após ter lido todos estes comentários, sinto-me na obrigação de o fazer...
    São ridiculas as acusações que lhe fazem, por amor de Deus, voçê sugeriu, não obrigou ninguém.
    São óptimas as suas sugestões, apesar de me identificar muito consigo, nomeadamente com o gosto pela cozinha, poupança, trabalhos manuais, etc., aproveito muitas sugestões.
    A questão que se passa aqui, é um pouco o que se passa comigo, somos vistas como seres que já não existem, donas de casa muito prendadas... mas acima de tudo num contexto muito moderno.
    Muitos parabéns pelo seu trabalho, ignore tanta inveja!!!!

    ResponderEliminar
  47. Acho uma excelente sugestão e já a aceitei. Quanto à polémica, sinceramente, acho que há gente muito mal resolvida e a sofrer de iliteracia, como li num comentário acima... Todo o blog está construído e vocacionado para pequenos truques que ensinam a poupar (prendas de natal, por exemplo), logo, o desafio está perfeitamente enquadrado. Só faz quem quer, e quem achar que pode tirar algum proveito disso. Obviamente que, infelizmente, há sempre alguém que já pratica o que se fala no desafio e não por escolha mas por falta de recursos, mas isso não muda o facto de haver pessoas que têm mais poder de compra e, ainda assim, quererem ver onde gastam o seu dinheiro. Se somos todos perfeitos a poupar, por que razão lemos este blog?

    ResponderEliminar
  48. Joana, gostei do seu post, e gostava de aderir ao desafio, se isso não acontecesse já cá em casa habitualmente mas forçados de acordo com os rendimentos cada vez menores. Infelizmente qse tds os meses há despesas para pagar além das básicas, e pouco sobra no final, qdo sobra é smp p uma despesa inesperada! consegui poupar uns meses, q tirei mesmo de parte e naousei mais e sinto me orgulhosa por não ter de recorrer a esse valor que poupei. é raro o mês que compro algo p mim. mas acho bem que adiram ao desafio! vão se dar conta do que se gasta em coisas supérfluas.

    ResponderEliminar
  49. Já vi que a sugestão levantou muita polémica. Mas como diz a Joana, é um mês. Vou aderir. Só não o vou fazer porque é mês de 3 aniversários e de uma interrupção com o filhote em casa (uma criança de 3 anos não entende totalmente o gasto zero). Mas vou aderir em março, o que vai ser ótimo para reequilibrar as contas. Quanto aos reacionários, é um desafio. Adere quem quer e não me parece que as portas do comércio fechem por causa de meia dúzia de pessoas que deixam de frequentar determinados sítios.

    ResponderEliminar
  50. adoro este blog e adorei esta ideia ... vou ler com bastante atenção e ver se eu e o marido juntos nos entusiasmamos. quem sabe se estende a mais do que 1 mês!?

    aplaudo a ideia.

    ResponderEliminar
  51. Vou entrar neste desafio! E apesar de ter 2 aniversários e outras despesas "extra" no mês de Fevereiro, vou tentar antecipá-las ainda para este mês. Obrigada!

    ResponderEliminar
  52. Eu vou aderir! Fevereiro até é um mês mais curto, perfeito! ;)

    ResponderEliminar
  53. Olá! só hoje é que vi este post, achei a ideia mt engraçada. Vou aderir agora no mês de fevereiro!!

    ResponderEliminar
  54. Polémico este "post"!!! Uma coisa é certa, temos de respeitar as opiniões de cada um... ponto!

    Sou só mais uma seguidora assídua a dar a minha opinião! Quando vi a sugestão da Joana pensei adotá-la como tenho feito com tantas outras! Boas dicas e sugestões nunca se desperdiçam! No entanto, tal como alguns comentadores, lembrei-me que em tempos já tinha feito algo do género. Aliás, aplico esta sua sugestão em "fases" aleatórias. 15 dias sem ir ao supermercado... por ex.! Ou uma semana! Ou uns dias até esvaziar a despensa! Mas à uns 2 anos dei por mim a fazer o exercício de tomar nota de TUDO o que gastava. O meu marido não colaborou muito :/ por isso não foi um exercício rigoroso para a nossa economia doméstica. Mas mesmo assim, passados alguns meses de anotar os meus hábitos e preencher tabelas mensais, fiz comparações e conclusões interessantes! Como por exemplo, que não tinha necessidade de comprar roupa todos os meses, que gastava imenso dinheiro em tlm e estava na hora de ajustar o tarifário, que tomava imensos cafés e lanches fora de casa :O lol ... blá blá blá!!! Quero com isto dizer que quer façamos o exercício sugerido pela Joana ou o inverso, como no meu caso, ficaremos de certo pessoas mais conscientes dos nossos gastos, das nossas necessidades, extravagâncias, etc etc! Fez-me muito bem e não sinto que, hoje, consumidora mais consciente esteja a prejudicar a economia e agravar a crise! Cada um sabe do seu bolso!

    Bem-haja pelo seu trabalho e dedicação Joana!

    ResponderEliminar
  55. Esqueceu-se de dizer para não comprarem livros de culinária !!!

    ResponderEliminar
  56. Viva!
    Acabei de encontra este blog e já estou a gostar! :)
    Passo muito tempo sem fazer destes "estragos", assim como existem outras alturas em que faço mais "estragos"! Mas fiquei com vontade de embarcar nessa convosco! Fevereiro parece-me bem! ;)
    Bom fim de semana!
    Sofia

    ResponderEliminar
  57. NAO PERCEBI PORQUE DIZEM " TOMAR UM CAFÉ" !!! Eu BEBO um café e TOMO um comprimido !
    Dá a sensação que as pessoas têm uma necessidade de beber um café como se fosse algo de imprescindivel !
    Vejam se alguem diz : "EU TOMO ÁGUA" !?

    Isabel Santos

    ResponderEliminar
  58. lol
    D. Isabel, para mim, um café é imprescindivel! Tomado ou bebido!!!
    E se eu for de nacionalide brasileira?!... O seu comentário não tem qualquer sentido! lol Posso muito bem "tomar café", "tomar uma água",... Chá, café ou laranjada! ;)

    Obrigada a todos os que colaboram com dicas, sugestões, complementando o trabalho dedicado da Joana.


    ResponderEliminar
  59. A primeira vez que vi este blog, e digo já que não sou fã, acho muitas coisas copiadas de outros blogs.

    Santo Deus tantos disparates que se dizem, tanta polémica em redor de um grande disparate, cada pessoa faz o que entende, mas deixe que lhe diga só mais uma coisinha, as pessoas não precisam de ser ensinadas a poupar, porque as dificuldades são tantas que são obrigadas a isso.
    Mas ainda têm que poupar mais, porque as entidades que lhe fazem oferta de várias coisas não as dão aos pobres. Já viu se não se bebe um café a DELTA, E OUTROS TÊEM QUE MANDAR AS PESSOAS PARA O DESEMPREGO, e as massas igual, asim como outros.

    Bem haja

    Isabel Cristina

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há frascos com café que se compram no supermercado. Se eu bebo café em casa, por que raio irei também gastar dinheiro ao café?

      Eliminar
  60. Ola :) Por acaso eu acho uma excelente ideia até porque eu tambem ja a apliquei durante uma mês. Se quiseres até podes verificar o registo dos "30 dias sem compras" no meu blog. Eu sou muito consumista e devo-te confessar que não foi nada facil até porque quando estamos habituados a um nível de vida é dificil mudar de um dia para o outro. Pequenas mudanças do nosso dia a dia tambem podem ser dificeis de assimiliar, o deixar de tomar o cafezinho da manha na pastelaria do costume ( eu adorooooo fazer isso), ou outras coisas que achamos tão banais mas que estamos tão habituados a fazer, custa imenso mas garanto te que foi o mes em que mais poupei. Assim como tu eu encontrei essa ideia em blogs e escolhi fazer essa experiencia não propriamente pela necessidade em poupar mas apenas para ver até onde eu conseguia controlar os meus limites consumistas. Aguentei firme um mês, estranhamos todos ca em casa inclusive os miudos que estavam super habituados a passeios e saidas. Hoje ao reler essa tua publicação pensei que terei de voltar a fazer esse percurso novamente até porque ca em casa parece que vamos ter uma baixa num dos ordenados! Acho fantastico fato de estares a promover essa ideia e desde já deixo te aqui um beijinho e desejo te boa sorte, é um desafio duro! Quanto aos varios outros comentarios acima escritos devo dizer que li e respeito todos eles. Cada um é livre de escolher o que bem entende!
    Parabens!

    ResponderEliminar
  61. Não sei se já repararam que, se todos cortarem em tudo, a economia sufoca e morre.Há mais gente no desemprego e menos possibilidade de todos aqueles que já não têm emprego, voltarem a ter. Tem que haver bom-senso em tudo...

    ResponderEliminar
  62. Em Julho (sensivelmente) decidi comprar um mealheiro nos chineses, daqueles que só se abrem com um abre-latas. Decidi que todas as semanas guardaria 2 euros. Em vez do euro-milhões, punha no mealheiro. À medida que colocava mais moedas e sentia o peso mais vontade tinha de o encher. Por isso, sempre que tenho moedas coloco-as lá para dentro. Penso que daqui a um mês, no máximo dois já o tenho cheio. Já vejo as moedinhas de cima. Sinto que poupo imenso dinheiro. Como só ando com notas, por vezes em vez de apanhar o metro e trocar 5 euros, vou a pé. Outras vezes estou com fome mas para não trocar uma nota, espero mais meia hora. O que é certo é que o meu método tem resultado. Pelo menos para mim. Agora, ando é com outro "problema". O que faço com aquele dinheiro? Não pensei em nada de concreto e não ambiciono nada este momento. Por isso o mais certo é levar o dinheiro ao banco, trocar por notas ou por uma nota, comprar outro mealheiro, colocar a nota lá dentro e continuar a poupar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. comprar mealheiros já é perder dinheiro. Já pensou em aproveitar caixas ou frascos,e forrá-los com um tecido ou papel bonito ? Sentir-se-á melhor porque os fez com as suas proprias mãos e ponha o dinheiro que nao gastou com os mealheiros dos chineses lá dentro.
      Pessoalmente tambem fiz como você, troquei moedas por notas e agora pego nessas notas e junto mais algum dinheiro do sub. de férias e natal e amortizo um pouco a minha divida da casa. Logo a minha prestação baixa e essa diferença vai tambem directinha para o mealheiro :E assim de seguida :)

      Eliminar
  63. O melhor é ficar com algum, e outro comprar alimentos para entregar nas instituições que dão apoio a pessoas carenciadas.
    Então explique lá se for ao continente e lhe derem um saquinho para colocar lá um KG de arroz ou outro produto qualquer, não aceita o respetivo saco, porque não pode trocar a nota, e as moedas são todas para o mealheiro, boa solução. O melhor é comprar logo muitos mealheiros, comprando o mealheiro já está pelo menos a contribuir para a economia CHINESA.

    ResponderEliminar
  64. por acaso fiz uma contençao de custo. tinha que ir a Guarda. mas como o ordenado já nao estica mais, mandei a papelada pela net, e fiz um bolo de chocolate do seu primeiro livro e uma pizza com os ingredientes que tinha em casa e co a ajuda precisa dos meus dois filhos. poupei na gasolina e custos com o carro, uma ida ao fast-food com os meus filhos!!! assim, tive tempo de estar com eles e gozar mais tempo com eles. acho que ganhei muito bem o dia!!

    ResponderEliminar
  65. Vim hoje pela primeira vez ao blog da Joana. Tinha guardado uma folha da revista Para Mim. Encontrei-a ao arrumar papeis. Resolvi entrar.Li uma grande parte dos comentários. Não entendi muitos deles. O pensar e agir em conformidade, todos são livres. Muitos não devem ter entendido o que a Joana disse, aliás, escreveu. Um mês não é nada na vida de alguém. E acho que valia a pena que todos o fizessem, para avaliarem o que se gasta no super-fulo. Estou convencida que a maior parte dos comentários são feitos por gente jovem (quando digo jovem não me refiro só a 20 anos)Tenho a ideia que muitos não terão muito mais que quarenta ou quarentas e tais. Não sabe o que foram os anos 40 50 60 e em 70 eram crianças. Tenho 74 anos, vivemos das reformas, e somos voluntários numa associação de doentes (eu e o meu marido). Aprendi com a minha mãe a inventar receitas com pouco dinheiro, a tratar da roupa, e fazer alguma para vestir Estive com 7 anos nas filas com as senhas de racionamento em que só se podia comprar 1 Kg de açúcar, 3 postas de bacalhau ou 1 Kg de arroz, enquanto a minha mãe ficava em casa com o meu irmão que era bebe e lembro-me que era feliz, não havia Tv, mas havia o rádio, iamos ao cinema passeava-mos
    muito a pé, casei e tenho 2 filhos, que são muito poupados. Gastei como toda a gente, viajei, fiz férias mas sempre procurando gastar o menos possivel. Fiz o que toda a gente fez. Gastei muitas vezes em coisas super-fulas, procurei dar aos meus filhos muitas das coisas que eu não tive (porque não havia e também porque o dinheiro não era muito). Mas agora é preciso poupar, nunca mais iremos fazer o que fizemos nos anos 90 e 2000.
    Se puzermos a mão na consciência, todos gostámos de mais, os governos e nós todos(uma grande parte da dívida são dos particulares) Achámos que seria sempre assim, muitos nasceram e viveram 10, 20 ou 30 anos a julgar que o dinheiro era a mola principal da vida com o dinheiro tinha-mos tudo, se não houvesse, havia crédito bancário e agora estamos todos a pagar. Temos mesmo que poupar. Sabemos que se não comprar-mos, há alguém que não vende, e pode perder o emprego. Mas então o que fazer? Precisamos de comprar roupa? Não a pudemos modificar(há já muita gente a fazer costura), não pudemos aprender a fazer umas coisas para oferecer (têm mais valor)? Não pudemos fazer os doces em casa ou a marmelada em vez de os comprar-mos com aditivos? Porque não levar o almoço para o emprego(eu levo o meu para a Associação)? Pudemos fazer os bolos em casa são de maior confiança. Um perna de frango, massa, uma diversidade de legumos que podemos ter congelado e uns bons temperos com uma salada faz uma refeição para 3 pessoas. Uma posta de peixe, legumes variados e picados com 4 ou 5 ovos, faz uma óptima tortinha acompanhada com batatas e salada.
    Desculpem este desabafo. Fui muito extensa. Obrigada Joana pelos conselhos este mês sem ter ainda lido as suas dicas poupei 250€ Bjs

    ResponderEliminar
  66. Fiquei com a ideia de que muitas das pessoas que aqui comentaram, não têm dinheiro algum, mas quase estão dispostas a fazer empréstimos pessoais para poderem ir gastar no café, no cinema, na esteticista, no cabeleireiro... "Eu fico afogada em dívidas, mas salvo a economia do país e não crio desemprego!!" Poupem-me!! Se entre ficar eu com dívidas ou com dificuldades financeiras ou ter de ver fechar um café porque deixei de lá ir, não tenho dificuldade nenhuma em escolher.

    ResponderEliminar
  67. Bons conselhos, a poupança é um caminho a seguir nestes tempos tão conturbados de falta de emprego e de dinheiro para fazer face à realidade quotidiana de um povo e pais à beira do abismo.
    Algumas dicas já conhecia outras nem por isso.

    ResponderEliminar
  68. graças a Deus Todo-Poderoso por sua gentileza e bondade na minha vida o que eu vou ter feito se não fosse a Sra. Kate Lisa que eu sempre vou ver como Deus enviou mulher que Deus escolheu para ajudar as pessoas que estão em necessidade financeira como eu, um pobre viúva, que foi uma lista resumida e com falta de fundos uma mulher que tem dois filhos e tem muitas responsabilidades de uma mulher que perdeu o marido e tem contas para pagar que consistem em alugar casa e contas de energia elétrica e foi enganado a soma de $ 450.000 usd eu nunca acreditei que ainda há uma empresa de empréstimo legítimo on-line que ainda acreditam que as pessoas estão em problema financeiro e está pronto para ajudar , depois foi enganado $ 450.000 usd eu nunca acreditei que ainda há uma empresa de empréstimo legítimo até que me deparei com um post que foi publicado por uma Sra. John neste mesmo fórum , ela explicou como começou seu empréstimo da Sra. Kate Lisa , que é o CEO Sra. Kate Lisa Home Loan pelo então eu estava tendo mais opção ao invés de tentar a minha sorte para a terceira hora de evitar a perda de minha casa ( alojamento ) para que eu penso sobre isso cheguei a uma conclusão de que eu deveria tentar novamente , então eu contactado Sra. Kate Lisa via e-mail que me atendeu em menos de 10 minutos eu me inscrevi para um montante do empréstimo de US $ 995,000,00 usd o empréstimo foi aprovado com juros baixos taxa e após o processamento eu tenho o meu empréstimo na minha conta bancária ontem assim que eu quero usar rapidamente este meio para informar qualquer candidato a empréstimo lá fora, entrar em contato com a Sra. Kate Lisa email mrskatelisaloanhome1@gmail.com ela vai certamente dar -lhe um empréstimo que você precisa , sem qualquer estresse , mais uma vez , graças a Deus pela sua misericórdia sobre a minha vida. eu vou estar ansioso para ouvir o seu próprio testemunho , assim como a minha .

    Sra. Sarah .

    ResponderEliminar
  69. Olá,
    Este é informar o público em geral que a Sra. Esther Veritas , um emprestador empréstimo privado abrir uma oportunidade financeira para todos que precisam de alguma ajuda financeira. Damos o empréstimo à taxa de juros de 2% para indivíduos, empresas e sociedades sob uma termos e condições claras e compreensíveis. contacte -nos hoje por e- mail para: ( estherveritas@gmail.com )

    DATA do mutuário
    1) Nome completo : .......................................................
    2 ) País : ...........................................................
    3) Endereço : ..........................................................
    4) Estado : ..............................................................
    5) Sexo : ................................................................
    6) Estado civil: .................................................
    7) Profissão: .....................................................
    8) Número de Telefone : ................................................
    9) posição Atualmente no local de trabalho: .....................
    10) Renda mensal : .............................................
    11) Valor do Empréstimo Necessário : .....................................
    12) Empréstimo Duração : ................................................
    13) Finalidade do empréstimo : ............................................
    14) Religião: ........................................................
    15 ) Você tem aplicado antes .................................

    obrigado,
    Sra. Esther

    ResponderEliminar
  70. Boa noite,
    Gostei da ideia do post. =)
    Penso que alguns leitores interpretaram mal aquilo que a Joana disse...
    É apenas um exercício, e só faz quem quer..
    :)

    ResponderEliminar