sexta-feira, 14 de Dezembro de 2012

Ir Fazendo o Natal


O Natal é mais do que o dia 24 e 25 de Dezembro. É mais do que jantar, abrir os presentes, e almoçar no dia seguinte.
Para mim o Natal começa no dia 1 de Dezembro e só acaba no dia 6 de Janeiro. Começa com chocolate quente, músicas de natal e decoração da casa e da árvore. Continua com o apanhar do musgo e o fazer do presépio. Com a preparação dos cabazes de natal. Com as bolachinhas e os docinhos. É Natal quando preparo e decoro os cabazes, quando escrevo os postais de natal.
Durante o Natal decidem-se as ementas a fazer tanto para a ceia e dia de natal como para o meu aniversário. E é obviamente Natal quando se compram os presentes, quando se embrulham na mesa da sala atolada de coisas e quando se fazem mil e um encontros e jantares de natal com os amigos e colegas.
O Natal não se esgota em dois dias. Em um jantar e um almoço e alguns presentes abertos a correr. É tão mais do que isso. E vai-se fazendo, dia após dia. Nas luzinhas, no calendário de advento escrito todos os dias, na preparação dos postais e dos cabazes. Nos doces de natal. No peru ou no cabrito. No bacalhau. Nos votos de boas festas. Na família que se (re) encontra. Nas músicas de natal. Nos sorrisos. No presépio ainda sem menino Jesus e com os reis magos vagarosamente a chegarem cada vez mais perto, todos os dias mais um bocadinho. Nas tradições de cada um. Nas mudanças.
E depois ainda dizem que por causa disto ou daquilo não há Natal. Há sempre Natal. Porque reunir a família, partilhar uma refeição mais ou menos rica, celebrar o nascimento do Deus Menino e manter as nossas tradições fazem com que haja sempre Natal.
Na minha preparação para o Natal foi tempo de fazer e enviar os votos de boas festas, em postais personalizados.
E é assim que por aqui se vai fazendo Natal!

6 comentários:

  1. concordo plenamente com tudo.
    Cá por casa, apenas umas pequenas diferenças:
    - não destruo musgo. Faço o presépio sobre papel pardo de embrulhos pintado.
    - Não faço cabazes de Natal, por falta de tempo e de jeito.
    - Os meus postais de Natal têm SEMPRE a imagem da Sagrada Família, porque o Natal não é pinheiro nem bolas nem estrelas nem sinos sem o Deus-feito-Menino, esse sim símbolo do Natal e cada vez mais escondido e esquecido atrás de brilhos e luzes e prendas...
    Beijinhos. Boas Festas!

    ResponderEliminar
  2. eu também adoroooo o Natal....
    O natal e primavera são os períodos que mais espero durante o ano.
    No NAtal eu visto a minha casa para receber esta época tão encantadora.
    Troco as toalhas de mesa, panos de prato, decoração, roupas de cama....tudo fica com tema de Natal.
    Esse ano resolvi não comprar presentes. Estou fazendo todos em monha casa.

    Um Feliz Natal para você e um lindo 2013!

    ResponderEliminar
  3. Gostei muito de ler a sua descrição do que é o Natal. para mim Natal tb é feito com muito tempo (desde o dia 1 de Dezembro até ao dia de Reis,muita magia e um nunca mais acabar de decorações. Uso e abuso de velas espalhadas pela casa toda. este anos resolvi fazer como presentes para oferecer às minhas amigas pequenas árvores de Natal em crochet. acho que vão adorar. Um beijo.

    ResponderEliminar
  4. Para mim, os melhores dias deste Natal foram os dias 13 e 14 de Dezembro, dias das festas de Natal das minhas filhas. A mais pequenina tem alguma deficiência auditiva (surdez moderadada, usa próteses auditivas) e está num Jardim de Infância com uma vertente de Educação Especial para crianças surdas. No dia 13 houve uma festa com crianças e jovens surdos de escolas de Coimbra, Lisboa e Porto. Quando a minha menina estava em palco e me viu na plateia fez o maior e mais lindo sorriso do mundo! Nunca esquecerei aquele momento! Parecia que o mundo dela era só eu... Por momentos parou de fazer o que estava a fazer e só continuou quando eu comecei a fazer os gestos que ela deveria estar a fazer.
    No dia seguinte, de manhã, foi a festa da escola onde está integrado o JI onde ela anda! Conseguem imaginar a alegria com que eu saltei para o palco para cantar com outros pais a "Rena Rodolfo"? Conseguem imaginar a alegria da minha filha naquele momento e ainda mais no fim quando, além da mãe, também viu o pai?
    Dali saí a correr para ajudar os preparativos na escola da mais velha, para a festa, à tarde!
    Também fiz parte do coro dos pais. A minha filha sabia que eu estava lá, mas não me estava a ver... Depois viu... e então foi festa de verdade!!!

    ResponderEliminar
  5. Ah! E nunca tive tão pouco dinheiro como agora, mas nunca dei tantos presentes como agora!! Isto dos presentes feitos em casa é uma verdadeira alegria! Dá vontade de fazer mais e mais! Descobri sozinha como trabalhar como o Microsoft Publisher e fiz cartões lindíssimos...
    Descobri na net o seguinte texto (não indicava o autor, tenho pena de não ser eu...):
    "A melhor mensagem de Natal é aquela que sai em silêncio dos nossos corações e aquece com ternura os corações daqueles que nos acompanham na nossa caminhada pela vida".
    Este texto acompanha muitos dos meus presentes.
    Só tenho pena de ter tão pouco tempo... Se ao menos as minhas filhas fossem fáceis de deitar...

    ResponderEliminar