sexta-feira, 10 de abril de 2015

Eletrodomésticos: O essencial, o supérfluo e o desejável



Já não escrevo por aqui há muito tempo. Espero que me desculpem esta falta de tempo, mais do que falta de vontade. Há alturas em que algumas coisas têm mesmo de ficar para trás. Não que quem aqui vem não me mereça todo o respeito, carinho e amizade, que vos tenho, acreditem, mas porque há tantas “alterações” aqui por casa neste momento que foi preciso colocar aqui um “pause”.
Não me faltam ideias e temas acerca dos quais escrever, apesar de por vezes pensar que estes temas vos podem maçar. Não escrevo apenas por escrever. Gosto de “falar” acerca de coisas que eu acho que valem o vosso tempo, mas principalmente que vos podem ajudar, de alguma forma a modificar e a melhorar algumas das vossas rotinas, e dar-vos algumas ideias novas ou apenas relembrar aquilo que todos sabemos. Vamos lá a isto então!

Há algum tempo atrás recebi um mail de uma leitora que me perguntava quais os eletrodomésticos essenciais para se ter em casa.
A pergunta parece obvia, e tentei elaborar uma pequena lista do que é realmente essencial.
Depois de fazer essa lista - e porque a achei tão pequena - resolvi fazer um levantamento de todos os eletrodomésticos, máquina e afins que tenho em casa e percebi que, tenho realmente coisas a mais. Algumas porque comprei mas raramente usei, outras que me foram herdadas da minha mãe ou da minha avó, e outras que apesar de terem tido a sua utilidade, neste momento quase que não fazem sentido. Outras ainda que foram substituídas por outras máquinas que fazem quase tudo e eliminam uma data de outras em casa…
Sendo assim, a par de uma lista de eletrodomésticos realmente essenciais para quem cozinha de tudo um pouco mas não quer encher a casa de eletrodomésticos, uma lista de eletrodomésticos que existem na minha cozinha - e presumivelmente na cozinha de outros tantos amantes de cozinhar - e que raramente usamos - e que foram na realidade um desperdício de dinheiro e de espaço. Serve esta lista para vos ajudar a tomar decisões na hora de comprar mais alguma máquina/eletrodoméstico que tem a função de fazer apenas uma coisa, e que não usamos nem uma vez por ano!

 Eletrodomésticos essenciais

Placa
Forno eletrico
microondas (essencialmente para aquecer, descongelar algo rapidamente e derreter chocolate e folhas de gelatina!)
cafeteira eléctrica
frigorífico combinado
robot de cozinha 
batedeira - varinha mágica
máquina de café
balança digital

Eletrodomésticos que podem ter utilidade mas não são essenciais

Máquina de gelados - uso-a imenso de verão e portanto tem espaço cá em casa
Máquina de fazer pão - para quem faz pão em casa e gosta de comer pão acabado de fazer de manhã. Principalmente se não tiverem nenhum outro tipo de equipamento para amassar (tipo bimby ou grandes batedeiras), são uma ajuda simpática para amassar massas levedas.
Iogurteira - Tenha a minha iogurteira há mais de 15 anos. Continuo a gostar dos iogurtes feitos em casa e uso-a com frequência. Mais uma vez dependerá se estão dispostos a fazer regularmente iogurtes em casa e não têm outra alternativa. No entanto não é necessário ter uma iogurteira para fazer iogurtes em casa.
Máquina de tostas - Eu gosto de tostas e até tenho uma máquina. No entanto já não a uso há uns bons meses. Se forem grandes amantes e não tiverem preguiça de a tirar, usar e limpar.
Máquina de Waffles - Uso-a 3 a 4 vezes ao ano. Não é essencial e pode ter pouca utilidade, mas o dia em que o lanche são waffles, principalmente se temos os amigos em casa, é uma festa!
Grelhador eletrico - Se não tiverem outra possibilidade de fazer grelhados na varanda e não tiverem vizinhos chatos, é sempre uma alternativa para comer um peixinho grelhado de nos meses de verão.
Batedeiras grandes, com braço - Têm bastante utilidade para quem cozinha muito, principalmente bolos, massas levedas ou sobremesas. Para a maioria das pessoas, que faz um bolo ao fim de semana e não se aventura em grandes coisas, acabam por ser pouco usadas, ou não usadas no seu máximo potencial. (Tinha uma, herdada da minha avó, mas que foi para casa da minha mãe. Usava-a para 2 receitas que fazia uma ou duas vezes por ano!)

Eletrodoméstico com pouca ou nenhuma utilidade

Máquina de fazer bolachas para gelados (cones ou taças) - usei uma única vez
Panela de Arroz ou Panela de cozedura lenta - foi herdada da minha mãe que a recebeu de prenda de casamento e nunca a usou. Eu usei-a duas vezes. É só algo que está por ali a encher o armário
Liquidificadora - Até que podem ter alguma utilidade, mas tendo uma varinha mágica ou um robot de cozinha (normal ou tipo bimby) acabam por ser mais um mono na cozinha.
Abre latas elétrico - faziam sentido há uns anos atrás, quando as latas não tinham abertura fácil. Neste momento raras são as embalagens que não as têm, pelo que se tornaram desnecessárias.
Máquina de donuts, de cupcakes, cakepops… - não tenho nenhuma destas máquinas, portanto a minha opinião é baseada na minha experiência. Acho que máquinas que só servem para fazer uma coisa acabam quase sempre esquecidas depois do entusiasmo inicial. Para uma ou duas vezes ao ano, podemos ter mais trabalho e fazer tudo “à mão”.
Passe Vite elétrico -  Apesar de cá em casa adorarmos puré, e de o fazer com alguma frequência, principalmente nos meses mais frios, não uso o meu passe-vite eléctrico há anos. É chato de lavar, e de retirar toda a batata que fica agarrada a todas aquelas partes. Despacho-me muito mais depressa com um esmagador manual, que custou 2€ e que resolve o assunto sempre na perfeição.

Não quero fazer deste post, um post sobre os novos robots de cozinha tipo Bimby. Mas nos dias que correm é inevitável falar deles, ou de dar a minha opinião pessoal sobre a vantagem ou não desses robots.
Durante muito tempo disse que não se justificava dar tanto dinheiro (na altura apenas havia a Bimby) por essa máquina, uma vez que quase tudo podia ser resolvido e preparado com outras máquina que normalmente temos em casa. Actualmente há robots qe custam um terço do valor de uma Bimby, sem estarmos aqui a avaliar se são ou não tão bons. (A final cada um compra de acordo com a sua bolsa!)
Há três anos que tenho uma Bimby. Se acho que vale a pena? Sim. Se tiro partido dela? Todos os dias. Mas continuo a achá-la muito cara e acho que é divicil que se “rentabilize” uma Bimby. Só mesmo se for alguém que comprava tudo feito e só com  a compra da dita máquina passou a fazer em casa o que comprava.
Onde eu acho que este tipo de robots são úteis, é na gestão do tempo. Mesmo para mim - e outras pessoas que conheço - que adoram cozinhar e cozinham imenso, estes robots são uma ajuda preciosa. Contam-se pelas mãos as vezes que fiz uma receita dos livros da Bimby. Uso-a sempre como complemento à minha cozinha e forma de cozinhar. Amasso por lá quase todas as massas levedas, porque me poupa tempo e trabalho, e há alturas que não me apetece fazer essa tarefa à mão, principalmente quando se está a fazer o pão semanal habitual enquanto se faz o jantar. Uso-a para fazer sopas, pois adoro a cremosidade que lhes dá. Trituro grão de bico e arroz e aveia e amêndoas para fazer farinhas em casa. Uso-a para cozinhar a vapor - talvez uma das maiores funções que lhe dou, normalmente os legumes do jantar enquanto por baixo se faz a sopa. Uso-a também para fazer o molho bechamel, em vez de estar de barriga no fogão sempre a mexer, e passei também a fazer lá a minha receita habitual do leite creme, apenas porque me poupa tempo e fica igualmente bom.
É útil para quem cozinha de tacho e tabuleiro, mas também para quem se aventurou a cozinhar apenas e só porque tem uma máquina destas.
Fazem as vezes de outros equipamentos, mas mesmo assim acho útil continuar a ter varinha magica, balança digital, ou até batedeira electrizo, até porque continuo a fazer todos os meus bolos de forma tradicional e acho que ficam melhores que feitos na Bimby.
É uma questão de orçamento, mais do que outra coisa. Podemos todos viver sem elas, não são imprescindíveis, mas são práticas em muitas coisas. 
Cada um deverá pesar os seus prós e contras e ver, até que ponto necessita ou não de uma máquina destas. Não é imprescindível, mas todos sabemos que é um bem muito apetecível!

Que eletrodomésticos acham essenciais? Quais os que acham completamente supérfluos? Qual a vossa opinião acerca de robots tipo Bimby?

Fica aberta a discussão e as opiniões diversas na caixa de comentários!

24 comentários:

  1. Olá,
    eu tenho uma Bimby, adoro-a de paixão, mas confesso que a uso muito pouco para cozinhar. Acabo por usa-la para fazer a sopa (exactamente pela cremosidade como tu!), bater bolos (não consigo bater claras em castelo tão bem noutro sitio) e para cozer a vapor. Falam maravilhas do arroz por exemplo, mas como somos só três cá em casa, acho muito mais rápido fazer numa panela pequena do que na bimby (principalmente a parte de lavar depois!). Fiz uma vez massa com frango, e a massa acabou toda desfeita, por isso acabo por voltar para a panela. Sei que é uma questão de hábito e que poderia tirar muito mais partido da bimby, mas mesmo assim continuo a dizer que é foi um bom investimento.
    E já agora, um truque para se fazer puré: usa a batedeira! Usas a batedeira de mão, com as varas normais, numa velocidade baixa e vais deitando leite. Vais desfazendo as batatas devagarinho, e ficas à mesma com um puré super cremoso

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde. A maneira mais rápida e fácil de fazer o puré é na bimby, porque já não se suja mais louça e porque é muito bom. No ponto certo!

      Eliminar
  2. Olá Joana,
    Ora vamos lá..
    O que acho muito útil:
    O meu fogão é a gáz (apesar de achar uma grande vantagem ser eléctrico, optei assim pois acho que assim, se falhar a luz, pelo menos posso cozinhar, se tiver coisas no frigorifico que se possam estragar).
    Micro-ondas, frigorifico combinado, robot (Bimby, no meu caso), batedeira, varinha mágica.
    Máq. de café, é de filtro e tem 40 anos, mas quando se estragar mudo para aquelas tipo «moka», de fazer café ao fogão, (bebo pouco café em casa e, o que bebo é misturado com leite) pois é mais fácil de limpar e arrumar.
    Iogurteira, uso uma geleira de praia, uma manta e está feito. Quando os iogurtes estão prontos dobro e arrumo, com facilidade; e não preciso de acabar o último iogurte para poder fazer nova rodada, pois tenho frascos suficientes;
    Máquina de tostas, e grelhador eléctrico, já as dei, pois não usava e ocupavam espaço.
    Abre latas, e espremedor de sumos, são coisas que uso tão pouco que quis manuais, pois rápidamente se lavam e arrumam.
    Quando comecei a ter a minha casa, tinha pouco espaço pois a casa era pequena. Actualmente, tento ter o minimo possivel de coisas em cima da bancada; mas lá está tem a ver com o meu dia-a-dia...
    Tento ter coisas que uso com frequência e que se usar pouco, ao menos que sejam prácticas, fáceis de lavar e arrumar para não se tornarem tralha, ou monos a ocuparem espaço.
    Esta é a minha opinião, mas ainda bem que haverá pessoas com opinões diferentes, pois não somos todos iguais...
    Bjs,
    Teresa C.

    ResponderEliminar
  3. Ora bem... esta casa não vive sem a máquina de café, a varinha mágica e... a Bimby. Tiro imeeeeenso partido. Quanto ao puré tão falado aqui, fica perfeito na Bimby. Meu marido adora e antes da Bimby ttnha preguiça de o fazer.
    Um eletrodoméstico que uso muitas vezes é o meu aspirador de mão. A apanhar tudo que vai caindo enquanto cozinho...
    Bom fim de semana.
    Sónia

    ResponderEliminar
  4. Olá Joana e bem vinda de volta aqui. Já tínhamos saudades. Gosto de muitos blogues mas este será sempre o meu favorito. Quanto aos electrodomésticos posso dizer que com grande pena não tenho robot de cozinha.
    Gostava de ter uma bimby mas nunca me decidi a dar o que ela custa pois acho um exagero. Em contrapartida recentemente comprei uma máquina do pão e estou a adorar.
    Para além da máquina do pão também tenho um desidratador e também gosto muito. E gostava de ter uma batedeira e um liquidificador mas quiçá opte mesmo pelo robot de cozinha,
    Os monos cá em casa são mesmo a tostadeira, que uso uma vez por ano e a máquina do café pois bebo quase sempre fora.
    A iogurteira agora uso menos mas já era da minha mãe. Tudo o resto, picadora, varinha mágica, torradeira, balança, jarro eléctrico, batedeira, espremedor citrinos, etc é usado com bastante frequência pelo que ainda acho que compensa o investimentos.

    ResponderEliminar
  5. Olá Joana:

    Engraçado... tenho todos os electrodomésticos essenciais que refere excepto o robot de cozinha. Não tenho nenhum. Vivo sozinha, desembaraço-me muito bem na cozinha, e embora reconheça que uma Bimby ou Yammi sejam úteis (há coisas em que a Bimby é insuperável!), acho que o investimento não me compensa. Se tivesse família, sobretudo filhos, não hesitaria em comprar uma, mas só para mim não vale a pena. Além disso, a minha cozinha é pequena, por isso tenho de ser prática e não atafulhá-la de coisas que depois nem uso. Tenho um liquidificador e uma batedeira eléctrica normal que me servem bem. O espremedor eléctrico tem bastante uso. Os extras, mas que vou usando com certa regularidade, são uma máquina de tostas (adoro tostas de queijo!) e a máquina de fazer pão. Gosto dela para bater massas, fazer pão, alguns bolos, e compotas. Tenho também uma iogurteira pequenina, que uso consoante a minha vontade... Há dois sem os quais não passo: a máquina de fazer café (com filtro de papel) para o café com leite do pequeno-almoço e a torradeira! Acho que ninguém se lembra da torradeira, mas aposto que todos têm uma.... ;)
    Um abraço,
    Marta

    ResponderEliminar
  6. Olá Joana,
    penso que tirando a placa e forno (ou fogão) e o frigorífico (esquentador e máquina da roupa, claro) a aquisição de todos os restantes eletrodomésticos dependerá de cada tipo de família, rotinas, gostos e poder de compra. O que devemos sempre ponderar é se o investimento a fazer se adequa ao orçamento da família e se compensará em termos de utilização.
    Beijinhos
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  7. Olá Joana,

    Acabei hoje de ler todos os posts deste blog e tenho de lhe dar os parabéns. Já tenho ideias para os próximos anos. Já comprei os seus quatro livros e posso dizer que a Joana está cá sempre em casa a fazer o jantar. O meu marido já goza comigo a perguntar "O que é que a Joana vai fazer hoje para o jantar?".
    Graças a si, voltei a gostar de cozinhar. Antigamente só gostava de cozinhar em ocasiões especiais, as refeiçoes do dia-a-dia eram um suplício. Agora consigo fazer o jantar com gosto e já encontrei o meu marido a folhear os seus livros.

    Um grande obrigado e continuação de um bom trabalho.
    Beijnhos

    Judite

    ResponderEliminar
  8. olá joana,
    já tinha saudades destes posts. enho ver todos apesar de raramente comentar. Adoro o blog, este e o das receitas, e os seus 4livros habitam na minha casa, desde o seu lançamento.
    em relação aos eletrodomésticos tenho a acrescentar aos seus essenciais, o jarro elétrico, pois uso imenso, a torradeira/tostadeira, e um que já tenho há imenso tempo mas só uso à pouco, uma crepeira, que para mim serve para fazer panquecas, não é preciso frigideira, fica tudo limpinho, é muito fácil de fazer.
    Ah, as panquecas vieram com a Joana, assim que mostra umas novas vou a correr fazer, as últimas e maravilhosas, são as de aveia.
    Em relação À bimbY, ainda não tenho nem penso ter, acho muito cara. Com todos os outros aparelhos que já tenho, faço a mesma coisa.
    beijinho, Vanessa.

    ResponderEliminar
  9. Oii ... Gostaria de convidar para conhecer o meu blog http://rodrigues-renata.blogspot.com.br/ … espero que goste :D

    Redes sociais que sempre coloco as atualizações do Blog

    Twitter: @Renata_r154
    Instagram: @re_154
    Facebook: https://www.facebook.com/Blog.RenataRodrigues
    Google+: https://plus.google.com/+Rodrigues-renataBlogspotBr/posts

    Beijos

    ResponderEliminar
  10. Joana, olá... penso que só terá esquecido uma coisa... uma fritadeira...
    A fritadeira, que há eléctrica, é um desperdício no sentido convencional. Gasta imenso em óleo e em electricidade. Não faço fritos cá em casa, mas agora, com uma criança pequena, estou a ponderar uma Actifry. É um investimento, tal como a Bimby, pois usa uma única colher de gordura para 1,5kg de comida. E o mais importante: É MUITO MAIS SAUDÁVEL!
    Obrigada pelo(s) seu(s) blog(s), dicas e livros!

    http://aquiharuralidade.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  11. Olá, e obrigada por regressares! Não tenho bimby porque não é para o meu bolso, aliás, hoje em dia muito pouca coisa é para o meu bolso (até os legumes, normalmente são provenientes da minha horta!). Concordo com muitas coisas e acho alguns eletrodomésticos realmente imprescindíveis. Como viciada em café, a cafeteira é realmente essencial. Quanto à panela de cozedura lenta é uma companheira inseparável. Não sei cozinhar melhor o arroz integral de outra forma. Costumo também fazer "arroz de estilhaços" em três tempos para aqueles dias ou Domingos em que a preguiça aperta.

    ResponderEliminar
  12. Tenho um monte de monos aqui em casa, máquina a vapor, passe vite electrico, máquinas de café e outros tantos.
    Mas aconselho a todas que queiram rentabilizar o tempo, um robot de cozinha vale a pena sim!

    ResponderEliminar
  13. Olá, eu não tenho a bimby (porque é efectivamente muito cara, para mim!!) mas ofereceram-nos (a mim e ao meu marido) neste Natal a Yammi. Não sei se é melhor ou pior, mas é a que tenho e faço muito uso dela: desde massas, molhos (béchamel em pacote nunca mais comprei), maionese e até pão, tudo é feito nela. Também as sopas ficam óptimas e super cremosas. Claro, que assim, ficaram a encher as prateleiras várias máquinas (varinha mágica, a 1,2,3, a liquidificadora...).

    ResponderEliminar
  14. Se a minha Avó cá estivesse, dizia que tudo o que a Joana menciona seria útil. Ela passou pela guerra e além de não haver quase nada, em termos de alimentos, também na época não havia igualmente nada para ajudar nas tarefas domésticas: não havia máquinas da louça ou da roupa, aspiradores, ferros eléctricos, frigorífico, batedeira, bimby, e nem mesmo supermercados e hipermercados.
    Felizmente hoje não falta oferta. A questão dos nossos dias é saber estabelecer prioridades porque as casas são cada vez mais pequenas e o espaço diminuto para colocar várias máquinas.


    ResponderEliminar
  15. Que saudades de um post seu, eu própria tenho andado um pouco afastada, sem tempo para escrever e executar todas as outras tarefas. Realmente por vezes confundimos o essencial com o supérfluo e quanto mais temos mais queremos ter, enfim uma bola de neve que se vai arrastando.

    ResponderEliminar
  16. Olá Joana, já tinha saudades dos posts neste cantinho. Relativamente aos eletrodomésticos, para mim são essenciais o fogão, forno, micro-ondas, jarro elétrico, torradeira, varinha mágica, batedeira de mão, cafeteira de filtro, para além da máquina de lavar roupa, esquentador e frigorífico combinado. Comprei um robot de cozinha, básico, com liquidificador, o qual tem tido bastante uso. Também tenho uma máquina de fazer pão, oferecida nos meus anos, e que é usada bastantes vezes. Acho que a compra dos eletrodomésticos (tirando os básicos essenciais) deve ser feita aos poucos em função das reais necessidades, e é claro em função do orçamento e espaço disponível. Sara Oliveira

    ResponderEliminar
  17. Muito bem Joana,
    As "maquinas", que tem algum uso e as que tem muito uso.
    Ou seja as dispensáveis e as indispensáveis.
    Para mim, que sou novo nestas coisas, a que mais uso até é o portátil, não faz café, nem bolos muito menos aspira e fazer gelados e outras guloseimas que tal, também não. Mas quando quero um vinho especial para aquele momento ainda mais especial, então Garrafeira online WIVINI, sempre à distância de um clique.
    Quando não tenho a certeza do vinho que melhor se adequa ao momento, então Garrafeira online WIVINI, é uma maquina indispensável.

    Bjinhos.
    Parabéns pelo post.

    ResponderEliminar
  18. Olá Joana!

    Na minha opinião não há nada que a Bimby faça que não se possa fazer sem ela! Não me tenta...
    A máquina dos gelados não tem cá em casa tanta utilidade como a sua (acho que só a usei umas 3 vezes!), mas já a tostadeira serve todos os dias!
    Considero inútil a centrifugadora para fazer sumos: é uma devoradora de fruta horrível, para fazer um copo de sumo gasta imensa fruta e estraga-se grande parte da polpa, o que não combina nada com a minha pessoa! Foi a minha pior aquisição...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  19. Joana, este post tem quase um mês, mas só hoje é q cá vim, pois já tinha saudades duma 'novidade' por aqui :) Já foi quase tudo dito e, realmente, depende bastante do agregado familiar e do orçamento tb! Ainda hoje em conversa com algumas alunas comentava o facto de achar a Bimby cara e, no meu caso, ñ me atrai apesar das suas potencialidades. Mas, para quem tem uma família (isto é, filhos), acho q dá imenso jeito e é capaz de se justificar esse investimento. Mas tb quem ñ pode comprar, passa bem sem ela! Passamos bem sem as coisas q ñ temos, mas dps de as ter já sentimos a sua 'falta', é um bocado como tudo :) Já algumas pessoas disseram q no passado ñ havia quase nada e as mães, avós e bisas tb governavam a casa e cozinhavam e era boas donas de casa :) Hoje em dia existe mt apelo ao consumismo e parece quase obrigatório ter isto e aquilo. Em termos pessoais ñ passo sem batedeira eléctrica, varinha mágica, jarro eléctrico, torradeira, tostadeira, micro-ondas, picadora 123 forno eléctrico e MFP q é usada tds os fds p o nosso pãozinho caseiro :) Gostaria imenso de investir numa boa liquidificadora (tenho uma básica) e num rainha das batedeiras, mas acho q a próxima aquisição será um robot/processador de cozinha, pq acho q terá mt utilidade cá em casa e faz várias coisas. Utensílios guardados q foram usados escassas vezes são a máquina de waffles e a máquina de gelados, mas quero ver se a uso mais vezes qd chegar o verão :) Bjinhos e obrigada pelas dicas!

    ResponderEliminar
  20. Ola Joana boa tarde!!
    Gostei muito deste post e identifiquei bastante com ele., tambem acho que muitos eletrodomesticos nao sao de tanta serventia pelo que é feito a propaganda. O que nao tem na lista é Fritadeira sem oleo que tem sido no momento o sonho de consumo das donas de casa que gostam de frituras e nao podem consumir , para aquele que fazem controle de ingestao de gorduras devido a Altos indices de colesterol.Muito boa a tal fritadeira eletrica sem oleo. Obrigada pelas dicas. Abraços

    ResponderEliminar
  21. Viva!
    Boas dicas.
    Também já dei a minha abre-latas e a máquina de fazer pão deve ir a seguir.

    Entre aquelas que não são necessárias, mas que uso com frequência, tenho o desidratador.
    Pessoalmente, nunca daria tanto dinheiro por uma Bimby nem, nesta altura do campeonato compraria outro eletrodoméstico do género. Mas considero-a uma opção para quem está a iniciar a sua vida independente e a comprar os eletrodomésticos para a sua primeira casa. Nesse caso, parece-me que uma máquina deste tipo pode compensar, substituindo outros equipamentos e, eventualmente, tachos. :-P Mas pouco percebi de Bimbys. A minha comida é maioritariamente crua. ;)
    Grata pelas sempre boas partilhas!

    Beijo de bom Domingo,
    Sofia

    ResponderEliminar
  22. Given that you have a car that fits the accessibility specifications, you're totally able to run a competitors as many periods as you like.
    There's no two methods about it: Our competitors at Daytona was a FIFA 16 Coins.

    ResponderEliminar
  23. Muitas felicidades e tudo bom.
    muitos dos pequenos eletrodomesticos que utlizo, http://mundodagirafa.blogspot.pt/
    obrigada

    ResponderEliminar